A Coluna do Roberto Maciel (quinta-feira, 13.1): Bolsonaro diante do espelho

  • Jair Bolsonaro se montou como “mito” construindo inimizades, sendo hostil com colegas de parlamento, disparando acidez e aspereza contra quem ou o quê fosse entendido como oposição a ele. Fez assim com progressistas, com homossexuais, contra mulheres, contra crianças e contra católicos. Faz assim, agora, contra militares. Mas talvez tenha topado com adversários que, como ele, conhecem aquele campo em que pisam. São como a imagem que tem de si.

Falta de tudo
Por razões várias – da falta de força à da coragem, passando por falta de virtudes e de vontade -, o capitão reformado do Exército, ex-vereador, ex-deputado federal e hoje presidente da República atravessou mais de 30 anos de vida pública com muitos borrões morais, mas pouquíssimas anotações na folha corrida. Teve expostos, é verdade, a truculência e o ímpeto de trucidar a lei sem pudores, mas nunca foi seriamente apenado por violentar princípios que devem ser seguidos por todo e qualquer servidor. A Justiça e os órgãos devidos nunca se ergueram para evitar que ele e os seus massacrassem as normas de convivência em sociedade.

O verdugo do Planalto não perde uma chance de debochar dos mortos; é  asqueroso - ISTOÉ Independente

Time
A bem dos fatos, nem dos eleitores o grupo de Bolsonaro recebeu reprimenda. Ao contrário, o eleitor até o contemplou com seguidos mandatos, que se multiplicaram em mandatos para três filhos e no enriquecimento sesquipedal da família. Mais: em 2018, agregado ao então obscuro deputado federal de opiniões e gestos truculentos, um ajuntamento de uma fauna exótica subiu a(os) poder(es). Nomes como Bia Kicis, Carla Zambelli, Carlos Jordy, Daniel Silveira, Kassio Nunes, Abraham e Arthur Weintraub, Ricardo Velez, André Mendonça, Damares Alves, Ernesto Araújo, Silas Malafaia, Olavo de Carvalho, Allan dos Santos e Sérgio Camargo, entre outros, passaram a frequentar o noticiário com falas lunáticas e agressivas.

Fede muito


No entanto, ao cruzar caminho com o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Antonio Barra Torres, um médico e contra-almirante que parece ter cansado de bajular o Planalto, o presidente da República deu com a cara numa parede erguida na caserna. Sim, é nos quarteis que se sustenta o basta do chefe da Anvisa na salivação excessiva e perigosa de Bolsonaro. A firmeza com que o almirante se posta, desautorizando e desmoralizando o chefe, merece atenção especial. Afinal, o próprio Bolsonaro acusou o golpe, buscando espaços numa rede de rádios aliada para alinhar argumentos. Diga-se que o presidente não pediu perdão, como o exigido, mas apresentou uma fieira de desculpas amarelas. Quanto mais mexeu, mais deixou fedido.

O reflexo da reação de Barra Torres na caserna; Entenda

Roteiro
Os municípios de Iguatu (Região Centro Sul), Fortaleza (Grande Fortaleza), Aracati (Litoral Leste), Camocim (Litoral Norte), Itapipoca (Litoral Oeste/Vale do Curu), Baturité (Maciço de Baturité), Tianguá (Serra da Ibiapaba), Quixeramobim (Sertão Central), Canindé (Sertão de Canindé), Crateús (Sertão de Crateús), Tauá (Sertão dos Inhamuns), Sobral (Sertão de Sobral) e Limoeiro do Norte (Vale do Jaguaribe) estão na programação de eventos do Move Ceará, promovido pela Assembleia Legislativa. A iniciativa promove o diálogo e a articulação visando a fortalecer a economia e a contribuir para a retomada do crescimento com geração de emprego e renda. Terça-feira passada, foi relizado encontro no Crato.

Ano vital
A ideia da Assembleia Legislativa é a de finalizar os trabalhos do Move Ceará em dezembro, em Fortaleza, num grande seminário sobre a retomada da economia e o reaquecimento do emprego e da renda. Note-se que o ano de 2023 será de desafios não só na economia, que precisará de todos os esforços possíveis para se recuperar, mas em todos os setores do País.

assembleia legislativa - Anuário do Ceará

Nem um suspiro
Não se leu nas mídias sociais do Planalto nem nas de aliados nenhuma palavra de pesar ou de conforto às famílias das vítimas da tragédia de Capitólio (MG). Mas também não se leu nada nesse sentido sobre as enchentes na Bahia. É por isso que soa sempre muito atual e autêntica a declaração do presidente da República sobre morte causadas pela covid-19:

Olá
O portal InvestNordeste está aberto a interações dos leitores. Contatos podem ser feitos pelo WhatsApp (85) 8144 5728 (somente mensagens de texto) e pelo email portalinvestne@gmail.com.

Deixe uma resposta