Energias renováveis: um investimento de futuro para a economia verde espanhola

Posted on Updated on

A sociedade está cada dia mais consciente de que o aquecimento global e as mudanças climáticas podem ter graves consequências a curto e longo prazo. Por isso, muitas empresas e instituições de todo o planeta começaram a apostar na chamada economia verde.

No caso da Espanha, a principal ação está no desenvolvimento das energias renováveis. Em 2017 mais de 38% da eletricidade produzida no país veio de fontes renováveis, e em 2018 a cifra cresceu até os 40%. Ainda que o petróleo e o gás natural sigam liderando o setor energético, as renováveis se consolidaram como terceira fonte de energia mais consumida.

Historicamente a Espanha possui grande dependência de combustíveis fósseis, porém essa tendência vem mudando – a ponto de atualmente ser o segundo país da Europa em parques eólicos instalados e quinto no mundo. Segundo o Informe del Sistema Eléctrico Español 2018, publicado pela Red Eléctrica de España (REE), a energia eólica representa 19,8% da eletricidade consumida da Espanha.    

Se falamos de energia solar fotovoltaica, em 2018 foram instalados 261,7 megawatts, ampliando a potência instalada em 94% em relação a 2017. A tendência de alta é clara e, até o final de 2019, estará concluída a conexão entre grande parte das novas centrais. Assim, essa energia receberá um forte impulso. 

Aos bons prognósticos acrescente-se que as renováveis são energias cada vez mais competitivas. O custo da fotovoltaica, por exemplo, caiu 95% na última década, tornando-a mais barata que algumas fontes convencionais como gás e carvão. Dessa forma converte-se na principal tecnologia para a transição energética.   

Por outro lado, é a energia hídrica a que mais cresce na Espanha. O mesmo informe da REE aponta que “as energias renováveis consolidam sua alta participação na geração de eletricidade na península, muito por conta do notável crescimento de 85% no uso de fontes hídricas ao longo do ano”. 

Este incremento, ajudado pelo alto volume de chuvas do ano passado, fez com que em 2018 as emissões de CO2 caíssem 2%. Visando melhorar esses números, o Plan Nacional Integrado de Energía y Clima (PNIEC) 2021-2030 define metas para redução de emissão de gases do efeito estufa, maior presença de energias renováveis e eficiência energética.  

São diversas as instituições acadêmicas espanholas que contribuem para a formação de profissionais voltados à economia verde, energias limpas e processos produtivos circulares. Dentre elas está a Next IBS, que oferece o Master em Economia Verde e Estratégias Empresariais de Sustentabilidade. Aos estudantes brasileiros interessados em aprofundar os estudos nesta área, a Next tem aberto um programa de bolsas de estudo. Mais informações em nextibs.com.br/bolsas-de-estudo-business-school/.

Deixe uma resposta