Laboratório de Inovação acelera a transformação digital no Governo do Ceará

Posted on Updated on

Inovar, transformar e inspirar. Essa é a tríade que norteia o Íris – Laboratório de Inovação e Dados do Governo do Ceará criado para acelerar os projetos do Governo Digital no estado e estimular a cultura de inovação e o uso da ciência de dados na administração pública. Ao apoiar iniciativas de transformação dos órgãos estaduais, utiliza-se de metodologias ágeis e abordagens inovadoras para estruturação e desenvolvimento dos projetos. Todo esse projeto integrado tem um objetivo: entregar serviços públicos mais eficientes e centrados no cidadão.

O marco zero do projeto foi lançado pelo próprio governador, no encerramento do Fórum de Integração e Planejamento do Governo, em setembro de 2019. “Nossa missão é deixar um legado para o estado que amamos e para todos os cearenses, principalmente para as pessoas que mais precisam. A gente tem que ter dados e saber utilizar esses dados, para traçar metas, objetivos e melhorar a qualidade dos serviços prestados para a população. Temos que ter um trabalho integrado e eficiente. Até 2022, por exemplo, nós teremos um Governo Digital no Ceará”, disse Camilo Santana.

Sob gestão da Casa Civil, o Íris nasceu para inspirar pessoas e impactá-las de maneira inovadora. “Precisamos cooperar para inovar e inovar para competir. Estamos em um grande movimento em direção ao um governo conectado com as transformações que o mundo vem passando. E mudar a forma como interagimos com os cidadãos ao praticar as políticas públicas. Não podemos ser donos das coisas, nem ser dono dos dados. Somos hoje o que podemos chamar de incubadora de inovações”, explica o secretário de Estado Chefe da Casa Civil, Élcio Batista.

Segundo a coordenadora geral do Íris, Jessika Moreira, o laboratório funciona como um ponto de conexão entre as secretarias, no contexto do movimento de Transformação Digital do Governo. “Temos a missão de apoiar e acelerar as iniciativas de inovação dos órgãos estaduais. Utilizaremos metodologias ágeis e abordagens inovadoras para estruturação e desenvolvimento dos projetos”, aponta Jessika.

O Íris está ancorado em três eixos de atuação: Cultura da Inovação, Governo Digital e Ciência de Dados. O primeiro ponto modificará a forma como a administração pública lida com os processos, promovendo uma mudança de dentro para fora na própria prestação de serviço ao cidadão. É aqui onde a relação e a linguagem simples ganham uma nova roupagem, e assumem também a responsabilidade por disseminar conteúdos e formar multiplicadores.

Já o Governo Digital vai transformar o acesso à rede de serviços ao digitalizar os serviços públicos e processos administrativos, reduzindo a burocracia e acelerando sistemas. Por exemplo: uma pessoa que precise de atendimento na rede pública de saúde já pode solicitar um agendamento de consulta sem precisar se deslocar ou enfrentar filas de espera. O mesmo valerá para inscrições em editais e concursos, onde toda inscrição e processos seletivos serão feitos online. Conforme anunciado pelo governador Camilo Santana, a ideia é que daqui a dois anos o Ceará tenha um governo 100% digital.

O terceiro sustentáculo é a Ciência de Dados. Com sistemas tecnológicos cada vez mais integrados, o Governo do Ceará poderá canalizar as demandas de maneira mais específica. Isso significa investir cada vez mais em transparência, ciência, inteligência e estratégia para um retorno de melhor qualidade.

Os dados abertos podem permitir maior transparência, níveis mais altos de confiança dos cidadãos, melhor prestação de serviços públicos e elaboração de políticas mais eficazes.

Vale ressaltar que o laboratório ancora-se no Programa Cientista Chefe, da Funcap (Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Por meio do conhecimento, pesquisadores com larga experiência e reconhecimento internacional se debruçam em áreas estratégicas para fazer projeções de crescimento de demanda pelos serviços e orientar o governo no planejamento e no investimento das futuras ações. A principal linha de pesquisa de todos os projetos é o levantamento e a análise de informações através das técnicas de Big Data, conceito computacional que está relacionado com o processamento de grandes e diversificados volumes de dados, no menor tempo possível, para permitir que a partir deles sejam obtidos resultados e soluções no mundo real.

Inovação não é só tecnologia

Embora seja muito associada a dispositivos eletrônicos e a tecnologias, a inovação é um tema amplo e que pode envolver, por exemplo, modernização de processos e busca de soluções que sejam mais simples e de menor custo do que as usualmente empregadas nas ações governamentais. O próprio surgimento do laboratório Íris é considerado uma inovação. Isso porque pela primeira vez na história, o Ceará conta com um Governo que pensou e estruturou uma rede integrada de conhecimento e aceleração de projetos.

Deixe uma resposta