Navio de cruzeiro com 50 brasileiros tenta atracar há 15 dias no Pacífico Sul, mas é recusado em portos

Posted on Updated on

Um navio de cruzeiro com aproximadamente 50 brasileiros tenta já há 15 dias atracar em algum país do Pacífico Sul. Nenhum porto os aceitoum alegando barreiras sanitárias em relação ao coronavírus. Entre esses, está um casal do Ceará. São Ruy e Martha Barbosa, empreendedores que moram e trabalham em Canoa Quebrada, Aracati.

Norwegian Jewel

Abaixo, informações da Folha de S. Paulo/UOL:

“A pandemia causada pelo coronavírus e o consequente fechamento das fronteiras fez com que a embarcação com capacidade para 2.000 passageiros fosse recusada por quatro países até agora: Fiji, Polinésia Francesa, Nova Zelândia e Austrália.

O Norwegian Jewel, da empresa Norwegian Cruise Line, partiu no dia 28 de fevereiro do porto de Sidney, na Austrália, com destino a Fiji.

“A última informação que tivemos é que vamos para Pago Pago (capital da Samoa Americana) para reabastecer o navio. De lá, nos disseram que vamos para o Havaí”, disse à Folha o empresário baiano Jorge Fontes, 62, que está viajando com sua esposa Sônia Gonzalez, 56.

De acordo com Fontes, cerca de 50 brasileiros estão a bordo do Norwegian Jewel. “Ninguém tem nenhum sintoma, nem de gripe comum, mas já tem gente ficando desesperada com essa situação”, afirma.

O empresário diz que, assim como ele, outros brasileiros também não sabem como retornarão ao país mesmo depois que o navio for aceito em algum porto.

A Norwegian Cruise Line afirma que, devido ao fechamento do porto de Fiji, o navio foi forçado a procurar um novo destino.

“Estamos trabalhando ativamente para encontrar um porto alternativo e estamos nos comunicando regularmente com os hóspedes. Enquanto isso, aumentamos a disponibilidade de banda larga da internet a bordo e acesso a wi-fi gratuito, para que os hóspedes possam tomar as providências necessárias e se comunicar com seus amigos e familiares”, disse a empresa em nota.

Procurado, o Itamaraty não respondeu, até a publicação desta reportagem, como está acompanhado a questão”.

(…)

A íntegra está neste link


“Precisamos que a imprensa cobre do Itamaraty que se manifeste sobre as providências que está tomando”, escreveu Ruy em mensagem por aplicativo.

O silêncio do Ministério das Relações Exteriores torna mais complicados ainda o constrangimento a que os brasileiros estão submetidos.

Deixe uma resposta