Cinco passos para organizar a vida financeira na quarentena e não cair na tentação de compras supérfluas

Posted on Updated on

Artigo de Dora Ramos, consultora contábil com mais de 30 anos de experiência. Empreendedora desde os 21 anos, é CEO da Fharos Contabilidade e Gestão Empresarial.

85% dos brasileiros já desistiram das compras por causa de filas e ...

O desafio de combater a COVID-19, causada pelo novo coronavírus, é hoje a principal preocupação dos brasileiros e do resto do mundo. O momento é de alerta e, cada vez mais, as pessoas se perguntam até quando passaremos por tudo isso. Diante dessa incerteza é importante manter o controle e ter clareza da situação para que não haja problemas no futuro. Logo, isso não precisa ser motivo para pânico.

Devido às medidas restritivas necessárias para o combate do vírus, a Receita Federal anunciou este mês a prorrogação do prazo para a entrega das declarações de imposto de renda das pessoas físicas para o dia 30 de junho. Nesta época do ano, devemos ter um olhar mais atento para nossas finanças e refletir sobre os gastos do ano passado. Talvez esse seja o momento ideal para organizar ou ajustar o planejamento financeiro para 2020.

Com o novo cenário, a forma como as empresas e grandes companhias dos mais diversos setores instituíram políticas de trabalho remoto para evitar aglomerações e que as pessoas saiam às ruas. Para quem está de quarentena ou em trabalho remoto, esse pode ser o momento ideal para aprender a poupar dinheiro e energia para os próximos dias. Confira 5 dicas para manter o orçamento organizado

1 – Faça uma programação de pagamentos 

No dia a dia são muitas preocupações e tarefas para administrar ao mesmo tempo. Por isso, organizar o orçamento é uma atitude fundamental para não ficar no vermelho. Você pode utilizar ferramentas tecnológicas como aplicativos de celular, planilhas ou até mesmo um caderno de anotações. Isso permite que os processos sejam mais automatizados de forma segura, rápida e eficaz. A ideia é ter o controle das suas contas e realizar uma programação semanal de pagamentos para que não haja cobranças indevidas e evitar atrasos que geram juros e taxas. Assim, você saberá exatamente para onde seu dinheiro está indo. 

2 – Compre somente o essencial

Nesse período, vamos ser bombardeados por inúmeros convites que incentivam o consumo, anúncios que vão te sensibilizar e te convencer que você realmente precisa de determinado produto para passar essa crise com tranquilidade e segurança, fazendo uso de nossas emoções sem nos darmos conta. Fique atento pois, caindo nestas tentações você só percebe o conflito das finanças e as emoções quando as consequências são desastrosas, depois de comprometer o cartão de crédito, o atraso de contas de consumo, aluguel e culminando no acúmulo de dívidas.

3 – Faça um esforço e compre à vista

Quando for efetuar uma compra, tenha certeza de que ela está dentro do seu orçamento. Perceba que, no momento da compra, sempre é oferecida a forma de pagamento com o cartão de crédito, mas fuja dele. Prefira quitar suas despesas à vista, pois, além de estar criando uma dívida a prazo, utilizando o crédito você corre o risco de se enrolar e cair nos juros e taxas que estão cada vez mais abusivos.

4 – Priorize as despesas

Tenha clareza da sua situação. Reveja, todos os dias, o objetivo que deseja alcançar e estabeleça limites de gastos diários. Se possui dificuldades em não gastar, evite o uso de cartões de crédito. Alimente-se de forma mais barata, se preciso. Não podemos esquecer que todo mês temos despesas fixas, como contas de consumos, água, luz, em alguns casos aluguel e condomínio e impostos. Portanto, coloque todas as despesas na ponta do lápis e se organize para garantir o pagamento desse tipo de conta em primeiro lugar. 

5 – Se está devendo, negocie as dívidas e organize as demais

Para quem está endividado ou terá a renda diretamente comprometida por conta do isolamento, antes de mais nada, é preciso fazer um levantamento de todas as contas que precisa pagar. Fazer esse levantamento não é uma tarefa muito agradável, mas para sair do vermelho e realizar um planejamento financeiro adequado, é necessário entender e definir uma estratégia apropriada para agir corretamente. Depois disso, elabore propostas de pagamento que estejam dentro do seu orçamento e procure seus credores. Não adianta aceitar uma renegociação de dívida que você não conseguirá cumprir. Entre em contato com bancos e instituições financeiras para renegociar financiamentos e parcelamentos. Para quem mora de aluguel, tentar solicitar uma redução temporária no valor é uma boa alternativa para este momento.

Agora que já tem uma visão ampla da sua situação financeira, é hora de cortar os excessos e organizar contas de serviços, assinaturas e boletos ativos, reavaliar o que realmente é útil para você nesse momento: streaming de música, de séries e filmes, TV a cabo, internet entre outros serviços. Não há nenhum problema em consumir estes produtos se o valor que você gasta está dentro do seu orçamento. O problema é quando, por falta de planejamento ou disciplina, você corre o risco de cair na estatística que assombra os brasileiros a cada ano, a inadimplência. Então, entre em contato com as operadoras e analise se há outras opções ou pacotes que atendem às suas necessidades.

Controlar os gastos e a impulsividade é essencial para organizar a vida financeira e pode ajudar a superar esse momento de dúvidas e incertezas, tudo que é bem planejado tem muito mais chances de dar certo. Temos que nos manter positivos e tirar lições valiosas com tudo isso que está acontecendo no mundo.

Deixe uma resposta