A Coluna do Roberto Maciel (terça-feira, 29.09): A temporada de caça aos votos tem o fedor de fake news

Foi dada a largada

Eleição 2016: entenda como funciona o voto nulo, o voto em branco e a nova  regra do voto em legenda - ISTOÉ Independente

Tiveram início domingo passado (27.09) as campanhas eleitorais para vereadores e prefeitos. Quem deu a largada foi o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso. “Tiveram início”, claro, é força de expressão, tendo em conta que há candidaturas lançadas oficiosamente desde 2018. Disse o magistrado: “As recomendações mais importantes são: evitar aglomerações, manter distância mínima de um metro das outras pessoas e sempre utilizar máscara. Além disso, reuniões devem ser feitas em lugares abertos e deve-se evitar a distribuição de impressos. Sempre que possível lave as mãos ou utilize álcool gel após ter contato com alguém ou com algum objeto. Com esses cuidados, fica minimizado o risco de contaminação”. Mas essas são, convenhamos, recomendações puramente práticas – sem, portanto, precisarem de fundamentos filosóficos ou jurídicos. Têm muito a ver com bagunça sanitária em que o governo do presidente Jair Bolsonaro enfiou o País. Mas um destaque da fala de Barroso exige atenção especial. É curtinho, mas que seja grifado para cidadãos e instituições, referindo-se à gravíssima ameaça que zurra contra a democracia: “Trata-se das notícias falsas, das campanhas de desinformação e de difamação. Uma causa que precise de mentiras, de ódio ou de agressões não pode ser boa”. Repetindo: “Uma causa que precise de mentiras, de ódio ou de agressões não pode ser boa”. Não pode mesmo.

Começou, sim
Recebi no último fim de semana dois textos de assessorias de candidatos a vereador em Fortaleza. São representantes de uma face da política que, para mim, tem a aparência do oportunismo. Eram informes sobre aberturas de comitês em lugares muito caros, em bairro de elite, do mercado imobiliário de Fortaleza.

A cara nova da política velha
Nenhum texto apresentou proposta ou coisa que valha. Os candidatos são, no meu entender, duas representações de articulações políticas conservadoras e sem substância social – isso não é uma crítica ou uma consideração às pessoas dos rapazes, mas uma avaliação relacionada ao teor que têm. Um se chama Pedro França e é do partido Cidadania. O outro tem o nome de Carmelo Neto e é do Republicanos. Ambas as siglas têm os pés no mais arraigado bolsonarismo. Às assessorias de ambos fiz os seguintes questionamentos por e-mail.

“Gostaria de informações adicionais:

  • Quanto custa o aluguel do referido imóvel?
  • Se não estiver sendo cobrado aluguel, qual a razão da cessão?
  • Quanto custou a estruturação do comitê, com móveis e eventuais adequações?
  • Com que renda o candidato paga essas despesas?
  • O candidato tem emprego formal? É empreendedor? Tem herança? Recebe doações de simpatizantes?
  • Quantas pessoas trabalham ou trabalharão no comitê? Serão remuneradas ou serão voluntárias?
  • Há mulheres na equipe? Em que percentual?
  • Há negros na equipe? Em que percentual?

Agradeço desde já a atenção”.

Ninguém me respondeu. Talvez considerem que seja melhor assim. Mas a democracia e a transparência ensinam que não é.

Outro momento
Se se tornarem merecedores de votos de fortalezenses, os dois candidatos, que são ainda muito moços, terão também a responsabilidade de serem absolutamente transparentes. Já hoje, aliás, precisam assumir esse compromisso com o jogo aberto, com as contas devidamente prestadas à sociedade. A Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral têm o dever de acompahar os gastos que os postulantes fazem. Todos os gastos e todos os postulantes, evidentemente.

Política da água

BARRAGEM DO AÇUDE BANABUIÚ FHD - YouTube

O Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Assembleia Legislativa promove o Seminário Regional da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Banabuiú, no Ceará. O encontro será online, pela plataforma Zoom, começando às 14 horas.

Check!
Há nove seminários programados pelo Pacto pelo Saneamento Básico, que visa a promover a integração institucional e fortalecer as políticas públicas de saneamento básico, objetivando apoiar a universalização do serviço. Dois eventos do gênero já foram promovidos.

Canal
Eu e a jornalista Eveline Frota mantemos canal de vídeos na plataforma Youtube. Chama-se Coluna da Hora. Temos postando nesse espaço análises, entrevistas e variedades. A estreia apresentou entrevista com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) e o segundo episódio foi com a jornalista cearense Caroline Ribeiro, hoje baseada em Lisboa (Portugal). O terceiro é com a especialista em finanças Milena Teles. O quarto recebeu o presidente do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, João Mário de França. Todos estão lá, acessíveis. O endereço, para inscrições e acionamento das notificações, é https://www.youtube.com/colunadahora.

Ao vivo
E às terças e quintas-feiras fazemos lives no Instagram. A marca “Coluna da Hora” está mantida nessa proposta – em referência a um ponto histórico do Centro de Fortaleza, ao fato de começarmos pontualmente às 17 horas e, enfim, ao tempo de uma hora exata que tem o nosso encontro com os internautas. Pode-se acessar e participar das lives da Coluna da Hora por meio dos perfis @evefrota ou @robertoamaciel.

Conhecimento

Comitê da AL recomenda políticas de prevenção de homicídios de meninas

Em 2018, 114 meninas adolescentes entre 10 e 19 anos foram vítimas de violência no Ceará. As informações foram apuradas pelo Comitê de Prevenção e Combate à Violência da Assembleia Legislativa do Estado e destacados em relatório denominado “Meninas no Ceará: a trajetória de vida e de vulnerabilidades de vítimas de homicídio”. A pesquisa ouviu 62 famílias de meninas vítimas de feminicídio, que compuseram o grupo experimental, e 71 adolescentes.

Dê um alô
Faça contato a gente. O Portal InvestNE tem o e-mail portalinvestne@gmail.com e o número de WhatsApp +55 85 99855 9789.

Deixe uma resposta