Com fundos a partir de R$ 10, projeto CoVida20 reúne investidores para financiar PMEs

Com a ideia de construir um ecossistema que visa dar suporte a pequenos negócios de impacto social e ambiental, manter empregos e ajudar a criar um sistema econômico mais equilibrado, foi criada a iniciativa de financiamento emergencial CoVida20

O programa consiste em oferecer empréstimos para pequenos negócios de impacto positivo com maior tempo de carência, prazo alongado de 24 a 48 meses e taxas reduzidas em comparação com os financiamentos tradicionais. Os empréstimos visam garantir o fluxo de caixa necessário para manter o emprego e a renda dos colaboradores. 

“Nosso foco é ajudar empresas que atuam com um modelo diferente do tradicional e estimular esse ecossistema voltado para práticas de impacto ambiental e social. Para fazer a seleção desses projetos passamos por uma rigorosa etapa para saber realmente se essas organizações atendiam aos critérios socioambientais. É a chance de expandir esse propósito de criar um sistema econômico mais aberto, inclusivo, sustentável e igualitário”, explica a diretora executiva do Sistema B, Francine Lemos. 

Valorizando um trabalho de transparência, a equipe do CoVida20 trabalha com um mitigador de risco e maior proximidade com os seus empreendedores participantes do programa. As rodadas dos empréstimos já estão em andamento com  mais de 45 negócios aprovados e mais de 700 pessoas impactadas. A meta agora é ampliar o volume de pessoas que investem no programa para continuar levando os recursos necessários aos empreendedores. 

“Semanalmente fazemos encontros virtuais abertos com grupos de potenciais investidores para explicar sobre o nosso programa e as vantagens dele. Somos uma alternativa muito mais rentável do que a poupança, nossos juros são de 0,5% ao mês em comparação a Selic que está com taxa de 2% ao ano. Nosso investimento gera retorno financeiros e ainda apoia pequenos negócios e pessoas que trabalham para gerar impacto na sociedade”, comenta a diretora de comunicação da Trê Investindo com Causa, Lívia Galasso. 

Como funciona a plataforma

O processo seletivo e a avaliação de impacto são conduzidos pela Trê Investindo com Causa em parceria com a plataforma MOVA, que realiza a avaliação de crédito.  Pela plataforma são disponibilizadas as demandas de cada negócio e os investidores podem escolher quem querem financiar.  

Além disso, no programa também foi estruturado o Fundo Filantrópico Rotativo CoVida20 para mitigar riscos, comportando um “colchão” de reserva para possíveis repactuações com negócios. Gerido pela Sitawi Finanças do Bem, o fundo contou com a doações de pessoas, empresas, institutos e fundações, como Gerdau e Magalu. Atualmente, os recursos captados são suficientes para suportar 13% de repactuações do total de investimentos, considerado um bom nível de mitigação de riscos para os investidores.

“A ideia do empréstimo é possibilitar o pagamento dos colaboradores dos negócios e gerar um fluxo saudável para esses empreendedores passarem pelo período mais crítico. É como um ciclo: sem os recursos, é preciso demitir colaboradores, pagar os direitos, e depois contratar novos funcionários, investir em treinamento e nisso vai muito tempo e dinheiro, podendo até mesmo quebrar o negócio. Com os recursos do programa, os empreendedores se sustentam no período mais desafiador e tem esse fôlego para fazer uma retomada com mais consistência”, finaliza Lívia. 

Sobre o CoVida20

O CoVida20 é um programa de financiamento para negócios de impacto que estejam comprometidos com a manutenção de emprego e renda durante a Covid-19. Idealizado pelo Sistema B, Capitalismo Consciente, Trê Investindo com Causa e Dín4mo, o programa visa reunir diferentes perfis de investidores para oferecer aos negócios empréstimos em condições acessíveis e coerentes com o momento atual.

Deixe uma resposta