PMEs endividadas devem o equivalente à metade do faturamento mensal

Pesquisa da Intuit QuickBooks, fintech americana desenvolvedora de software de gestão para pequenas empresas e escritórios contábeis, identificou que 72% das empresas consultadas mudaram a forma de lidar com a gestão financeira por causa dos efeitos da pandemia da Covid-19 ou pelos reflexos dela na economia. Enquanto 35% dos entrevistados passaram a utilizar planilhas para controlar o caixa, mais da metade (56,5%) tiveram funcionários acumulando funções para otimizar custos e processos internos. Apenas 5% das empresas optaram pela contratação de um especialista ou delegaram a gestão financeira para uma companhia especializada. 

Para Lars Leber, country manager da Intuit QuickBooks no Brasil, existe uma gigante oportunidade para empreendedores, de fato, modernizarem a gestão de suas empresas. “A utilização de planilhas pode ser um primeiro passo para um empreendedor que acha que um sistema pode ser muito difícil ou muito caro para a realidade dele. No entanto, com a conscientização da importância da gestão financeira, a utilização das planilhas pode ser um primeiro passo importante para uma futura digitalização das empresas brasileiras”, explica. “No caso do QuickBooks, por exemplo, é possível que o contador receba as planilhas organizadas dos seus clientes e faça a importação para dentro do sistema,  permitindo que o empreendedor já veja relatórios mais organizados sobre a saúde financeira da sua empresa”, conclui.

E a saúde financeira das empresas?

A consulta ainda descobriu que 63% das empresas estão com o caixa em dia e apenas 19% aparece na lista de endividados. Desse último grupo 68% tem dívidas equivalentes a metade do faturamento mensal, enquanto 13,5% devem um valor semelhante ao que costumam ganhar em 30 dias. Outros 12% tem dívidas de até 3 vezes o faturamento mensal, 3,5% devem o equivalente entre 3 e 5 vezes o que ganham no mês e 3% tem pendências 6 vezes acima do que costumam faturar mensalmente.

“O controle financeiro de uma empresa é bastante complexo – não basta o dinheiro entrar e sair. O empreendedor precisa se preocupar em pagar funcionários, fornecedores, realizar a gestão do seu estoque, entre outras coisas. O fluxo de caixa é uma ferramenta fundamental para uma boa gestão financeira e o apoio de um contador consultivo pode fazer toda a diferença na saúde de uma empresa”, destaca Leber.

O estudo constatou, também, que 21% dos empreendedores buscou algum tipo de crédito nos últimos meses (65% não e 14% preferiram não revelar a situação). Desses solicitantes de empréstimo, 74% foram contemplados e 26% não. E dos quase 75% agraciados, 80% está conseguindo manter o pagamento das parcelas, 4% não responderam e outros 16% não está quitando essas obrigações em dia.

A pesquisa foi feita com 1.067 entrevistados de todo o Brasil nas duas últimas semanas de setembro. A maior parte dos consultados é da região Sudeste com destaque para os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. 55% deles atua no setor de serviços e 35% no de comércio. Além disso, 30% são empresas de porte médio 25% de pequeno porte e outros 18% são microempresas. 

Deixe uma resposta