A Coluna do Roberto Maciel (terça-feira, 27.10): O que há de mais desequilibrado no cenário federal

O dinheiro que Bolsonaro aplicou contra a covid-19 é pouco diante de quase 160 mil mortes

Projeto prevê compensação financeira para trabalhadores de serviços  funerários atingidos por Covid-19 - Notícias - Portal da Câmara dos  Deputados

Estudo da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados indica que o governo federal gastou R$ 38,2 bilhões até o último dia 20 de outubro em ações de Saúde referentes à emergência provocada pela pandemia de covid-19. Parece muito, mas não é. O País, afinal, já se aproxima de 160 mil mortos pela doença e vê-se pela frente o risco de uma segunda onda – que, a estimar pela que ocorre agora na Europa, pode ser tão brutal quanto a primeira. O dinheiro é efetivamente pouco, diante das demandas, que, segundo a Consultora da Câmara, só representa um terço do que foi gasto em 2019 com as ações regulares do setor. Há de se observar que o maior naco do orçamento seguiu para o auxílio emergencial de R$ 600,00. Note-se, por fim, que o governo de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes admitia pagar auxílio de R$ 200,00. No entanto, o Poder Legislativo decidiu elevar a quantia. O Planalto desembolsou R$ 600,00, mas a contragosto. E reduziu o valor tão logo pode.

Pouco
Um dos segmentos da economia mais afetados pela pandemia está passando, devido às políticas do governo federal, a pão e água. É o turismo. O auxílio para o setor, do qual tiram o sustento empreendedores e trabalhadores, é de R$ 5 bilhões. Sabe quanto o Planalto repassou até agora? Pasme: só 15%. Ou seja, cerca de R$ 1,5 bilhão. Insuficiente, portanto, para atender o País todo.

Nada
Pode haver situação pior? Pode. E saiba: a avaliação da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados constatou ainda que o governo de Bolsonaro, com a participação especialíssima da fanática Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, não colocou um centavo furado sequer a serviço de instituições de longa permanência para idosos. A retórica oficial diz que reservaram-se R$ 200 milhões para essa atenção. A realidade, porém, é de que não se executou nada.

A prioridade de Bolsonaro
Para se ter ideia do quanto é reduzido o dinheiro para idosos, basta observar que o orçamento da publicidade de Bolsonaro é de cerca de R$ 138,1 milhões. E que ele pretende aumentar isso para R$ 325 milhões ainda este ano.

Canoa no ar

Canoa Quebrada: um paraíso brasileiro - Blog do ViajaNet - Dicas de  Destinos e Viagens


Apesar do pouco caso do governo Bolsonaro, o turismo vai tentando se ajeitar aqui e acolá. É o caso da Canoa Quebrada, praia referencial do Ceará e do Brasil. O destino está agora sendo atendido por voos saídos de Campinas (SP). Isso, com certeza, pode aquecer o mercado. A companhia Azul está operando a rota.

Virou moda
Essa observação, em tom de falso lamento e autodefesa, é da cofundadora do Nubank, Cristina Junqueira. Segundo ela, a empresa tem dificuldades de encontrar candidatos negros para vagas de trabalho e que não podia “nivelar por baixo” o recrutamento. Cristina disse isso no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Grave
O questionamento sobre capacidades e competências das pessoas pretas tem encontrado guarida até em instâncias oficiais. Além dos produtores de fake news e distribuidores de ódio em redes sociais, o presidente da Fundação Palmares, órgão federal que deveria cuidar da justiça social étnica, Sérgio Carmargo – que é preto, mas se comporta como militante da Ku-Klux-Klan -, vem frequentemente agindo contra noções civilizadas de igualdade.

Reação

Racismo no ensino superior: a visão do reitor da Zumbi dos Palmares

O fundador e reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, José Vicente, reagiu de pronto a Cristina Junqueira. Ele classificou a fala como “lamentável e preocupante”. E a definiu: “Trata-se de um olhar seletivo que revisita e reafirma clichês preconceituosos e superados”. A Zumbi dos Palmares trabalha pela equidade étnico-racial, inclusão dos negros e combate ao racismo.

No ar
O canal Coluna da Hora, resultado de parceria entre mim, a jornalista Eveline Frota e o músico e videomarker André Reis, está veiculando entrevista com o presidente do Instituto de Planejamento Urbano de Fortaleza, Eudoro Santana. O Iplanfor coordena o programa Fortaleza 2040: https://www.youtube.com/colunadahora. E sempre às terças e quintas-feiras eu e Eveline temos lives no Instagram, também com a marca “Coluna da Hora”. Começamos às 17h e nossos encontros com internautas duram uma hora. Pode-se acessar e participar da Coluna da Hora no Instagram pelos perfis @evefrota ou @robertoamaciel.

Oi!
Dê um olá para o Portal InvestNE. Pode ser pelo e-mail portalinvestne@gmail.com ou pelo WhatsApp, no número +55 85 99855 9789.

Deixe uma resposta