40% dos investidores começaram a investir há cinco anos, aponta CVM

Quarenta por cento dos investidores brasileiros começaram a operar há apenas cinco anos. É o que aponta levantamento realizado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Bernardo Pascowitch, fundador do Yubb (www.yubb.com.br), buscador de investimentos do Brasil, explica que a internet têm ajudado a difundir a educação financeira a novas pessoas, que se sentem seguras para aplicar seus recursos. E aos que desejam começar a investir neste momento de pandemia, há uma oportunidade: a reserva de emergência.

“A reserva de emergência, como o nome sugere, é um dinheiro a ser guardado e que deve ser usado apenas em casos emergenciais”, pondera Bernardo. “E o primeiro passo, para saber o quanto uma pessoa precisa juntar, é fazer um controle dos seus gastos essenciais. Ou seja, anotar quais são os gastos em alimentação, moradia, água, luz, telefone, gasolina e outras despesas fixas. E a soma dessas valores indicará qual é o seu custo de vida mensal. Na reserva de emergência, a gente não pode contar com o valor correspondente a apenas um mês. O mínimo é juntar o valor correspondente a seis meses, sendo 12 meses o ideal. Claro que não será simples guardar esse dinheiro, mas a pessoa pode fazer isso aos poucos, com disciplina”. 

O especialista aponta que bons investidores desenvolvem hábitos, e ressalta que a pessoa deve ficar sempre atenta à sua condição financeira atual. “O importante é entender que, assim que receber o salário, ela deve separar uma quantia para a reserva de emergência. Mas ela não deve se comprometer com o que não consegue arcar. Comece aos poucos, com R$ 30,00, R$ 50,00 ou R$ 100,00, e vá aumentando o valor”, complementa.

Após juntar o dinheiro, o desafio seguinte é escolher onde investi-lo. “A reserva de emergência precisa estar em investimentos de renda fixa com baixo risco e liquidez diária. Apesar de não serem os investimentos mais rentáveis do mercado, são os mais seguros”, pontua Bernardo. 

E mesmo sendo a forma de investimento mais popular no país, a poupança não é recomendada. “O problema da poupança é seu baixo rendimento. É importante buscar outras opções de investimento em renda fixa que tenham um melhor rendimento, mas com a mesma segurança que a poupança oferece, como como CDB, LCI, LCA e fundos de renda fixa”. 

É possível investir além da reserva de emergência

Para as pessoas que possuem renda além da reserva de emergência, Bernardo Pascowitch explica como é possível investir. “A pessoa precisa estar ciente que, com a volatilidade que vivemos hoje, só se deve investir na bolsa de valores aquele dinheiro que se pode perder, que não é essencial para a sobrevivência”, explica. 

O especialista ressalta que, mesmo que ninguém queira perder dinheiro, é importante considerar essa hipótese antes de investir. “Ninguém sabe quando o mercado vai se recuperar totalmente e, por ser um momento delicado, é preciso ter cautela”.

O passo seguinte, após definir a quantia, é pesquisar sobre os ativos em que a pessoa deseja investir seu dinheiro. “No caso de ações, é necessário saber o porquê se está investindo em determinada empresa, e não apenas acompanhar as dicas de especialistas do mercado.”.

Por fim, é importante  escolher uma corretora que não cobre taxas. Para isso, o Yubb criou um Guia de Melhores Empresas de Investimento, disponível gratuitamente em seu site oficial. “Como tudo está tão volátil e complicado, ninguém quer gastar dinheiro em taxas ou custos desnecessários. Escolha empresas em que você vai economizar o máximo possível”, conclui Bernardo.

Sobre o Yubb

Buscador online e gratuito, conhecido como o “buscapé dos investimentos”, pois mapeia todos os investimentos do país e recebe mais de 8 milhões de buscas por mês. Com três anos de funcionamento e uma proposta isenta, o Yubb não realiza nenhum tipo de transação, tendo a imparcialidade como o grande diferencial da plataforma.

Deixe uma resposta