Prefeito de Pacatuba (CE) é acusado de abuso do poder político e econômico e de fazer campanha fora das regras eleitorais

A coligação “Juntos Pra Mudar Pacatuba”, do candidato a prefeito Renato Célio Rodrigues (PDT), apresentou à Justiça ação visando à cassação das candidaturas do atual prefeito, Carlomano Gomes Marques, e do candidato a vice-prefeito, Rafael Marques Bastos.

A medida ainda denuncia outro sobrinho de Carlomano, Armando Gomes Marques Júnior, por abuso do poder econômico e abuso do poder político. O pedido de Ação de Investigação Judicial Eleitoral acusa os investigados de agirem deliberadamente para aproveitar o momento de maior vulnerabilidade da população, devido à pandemia, e saírem nos bairros de Pacatuba distribuindo cestas básicas.

Isso teria acontecido de abril a agosto deste ano, de forma deliberada e indiscriminada, segundo a coligação adversária de Carlomano. Rafael e Armando e outros agentes públicos teriam distribuído cestas em nome da Prefeitura de Pacatuba e do prefeito.

Idoso, pertencente, portanto, ao grupo de risco de contrair a doença, Carlomano não teria participado diretamente das distribuições de cestas básicas. Mas, o envolvimento dos demais, segundo a ala política opositora, deixa clara a atitude de cunho eleitoral.

Segundo a peça de acusação, “não é possível aferir o quantitativo de cestas básicas distribuídas, todavia o período de distribuição estendeu-se por aproximadamente cinco meses nos bairros de Pacatuba”. Tornou-se comum o tráfego de veículos de pequeno, médio e grande porte na cidade transportando cestas básicas pelas ruas para distribuição deliberada na forma de “ação de graça” em nome do prefeito Carlomano e de seu sobrinho Rafael Marques.


A proposição prevê cinco dias para a coligação acusada se posicionar perante a Justiça e sugere a inelegibilidade dos três acusados por oito anos.

Deixe uma resposta