Fortaleza chega em 2020 à marca de 341,2 quilômetros de infraestruturas cicloviárias

ciclista passando por ciclovia
Fortaleza se tornou a cidade brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária

A malha cicloviária de Fortaleza saltou de 68,6 km, no final de 2012, para 341,2 km, em novembro de 2020. Um aumento de 397%, fruto da política de investimento durante os oito anos da gestão Roberto Cláudio para promover mais mobilidade, saúde e sustentabilidade para a população, com a implantação de ciclofaixas e ciclovias em todo o seu território.

“Nestes últimos oito anos, foram implantadas diversas infraestruturas cicloviárias por toda Fortaleza e hoje estamos nos aproximando dos 350 km, o que representa um aumento de mais de cinco vezes do que tínhamos no início da primeira Gestão. Outro dado que mostra que essas estruturas estão chegando na Cidade inteira é que metade da população mora a 300m de uma ciclovia ou ciclofaixa”, diz Gustavo Pinheiro, engenheiro da Prefeitura de Fortaleza que atua na área da mobilidade urbana.

O trabalho desenvolvido pela Prefeitura permitiu que a meta de 236 km estabelecida pelo Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) para 2020 fosse batida dois anos antes, ainda em 2018.

Infográfico com dados

Infraestrutura implantada em 2020

De janeiro de 2020 até agora, a Prefeitura de Fortaleza implantou 55,9 km de novas infraestruturas cicloviárias na Cidade. Com isso, 2020 bateu recorde e se torna, mesmo sem ter acabado, o período que mais recebeu percursos para o deslocamento seguro de ciclistas, apesar dos impactos causados pela Covid-19, contemplando importantes vias com novas ciclofaixas, ciclovias ou ciclorrotas.

Como resultado desses projetos, Fortaleza se tornou a cidade brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária, de acordo com levantamento do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil).

Segundo o estudo do ITDP, a Capital cearense está no topo da lista dentre as 20 maiores cidades brasileiras com este perfil e o indicador percentual PNB (sigla em inglês para People Near Bike) mostra que 36% dos fortalezenses moram a menos de 300 metros de uma ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota ou passeio compartilhado, ficando à frente de cidades como Belém (29%), Distrito Federal (27%), Recife (24%), Aracaju (21%), Salvador (20%), São Paulo (19%) e Rio de Janeiro (19%), dentre outras. Esses dados evidenciam ainda que Fortaleza é a única cidade com mais de 30% da população morando a 300m de alguma infraestrutura cicloviária.

De forma complementar, a administração municipal vem fortalecendo essa política por meio do estímulo ao uso de bicicletas compartilhadas, por intermédio do Bicicletar, e ações adjacentes como a implementação de paraciclos.

O Bicicletar, por exemplo, já conta 184 estações das quais 104 foram implantadas de janeiro até agora. Como resultado, atualmente, mais de 880 mil pessoas vivem a uma distância de até 500 metros de uma das estações do Bicicletar.

Além disso, Fortaleza está cada vez mais sustentável e amigável com seu meio ambiente com a redução, até agora, de 1.378,15 toneladas de CO2 que não foram lançados na natureza, graças a troca no uso de carros por bicicletas.

Deixe uma resposta