Do selvagem ao social: como adotar um novo capitalismo? Isso pode mudar o Brasil?

Capa


No livro Capitalismo Social: O que é? Como adotar? Por que ele pode mudar o Brasil?, o professor Maron Emile Abi-Abib direciona o leitor para uma viagem ao século XIX, época em que aconteceu a primeira implantação de um Estado de bem-estar social na Alemanha como alternativa ao liberalismo econômico e ao socialismo. Porém, como relembra o escritor na obra publicada pela Editora Albatroz, esse modelo não durou muito tempo, já que na segunda metade do século XX o neoliberalismo tornou-se hegemônico no mundo e as políticas de bem-estar social perderam força.

Maron revela, em capítulos reflexivos e contextualizados nesse “capitalismo selvagem”, o que é preciso fazer para desobstruir tudo que atrasa o combate às desigualdades extremas, além de argumentar que outro tipo de capitalismo é possível.
Com uma abrangente e rica pesquisa bibliográfica que cita diversos economistas, artistas, pensadores, líderes políticos e religiosos, o autor analisa diversos acordos e tratados internacionais firmados no âmbito da ONU, como a Declaração do Milênio, de forma a mostrar que é possível reduzir a desigualdade, preservar o meio ambiente e ter paz social.

O professor especializado em gestão de organizações sociais sugere diversos caminhos para um capitalismo democrático e propõe a erradicação do falso capitalismo, aquele que não tem compromisso com um mercado sustentável convergente por um consumo regrado.

“Enfim, as mazelas sociais, econômicas e políticas em solo brasileiro são reflexos, em grande medida, de uma parte desfigurada do capitalismo que aqui se pratica. É aquele capitalismo de compadrio, que se afastou do preconizado pela escola clássica, que utiliza vários estratagemas para garantir seus negócios livres de riscos e que para isso não tem o menor pudor em utilizar meios ilícitos, os quais passam pela manipulação do Estado. Os dolos perpetrados por parcela do capitalismo nacional impedem que o mercado evolua e se torne mais competitivo”

Ao mesclar política, economia, sociologia e história, Abi-Abib leva aos leitores uma verdadeira lição de humanidade, uma singular e bem-sucedida iniciativa de promoção social e cultural realizada pelo chamado “Sistema S”. Dessa maneira, o autor procura promover ou reforçar a relação entre governo e empresariado nas ações de reconstrução do Estado de bem-estar social em prol da melhor qualidade de vida para o trabalhador e suas famílias.

Deixe uma resposta