Quais os ativos preferidos dos investidores?

O estudo Big Data SmartBrain revela os rankings de preferência de ações e de fundos de investimento do último mês de 2020. 

São os ativos mais investidos em dezembro, segundo o estudo da SmartBrain, fintech de consolidação de investimentos, com base no processamento diário de 210 mil extratos de investimentos, que somam mais de R$ 120 bilhões. 

A maior parte dos investidores – analisados forma agregada, tem mais de R$ 300 mil em suas carteiras e são os segmentos Alta Renda e Private, contando com a assessoria de profissionais de investimentos no seu dia a dia. Contudo, a base de investidores do varejo é crescente e significativa.

Cenário de mercado em dezembro – principais pontos:

No mês passado, o Ibovespa teve alta expressiva de 9,30%, chegando aos 120.150 pontos. Com isso, o principal índice da Bolsa teve avanço de 2,92% em 2020. 

Apesar da nova onda da Covid-19 e de adoção de lockdown e fechamentos de fronteiras por diversos países, os estudos comprovando a eficácia de vacinas contra o coronavírus e anúncios dos calendários de vacinação em algumas nações alimentaram expectativas otimistas de um retorno ao “normal” com maior fôlego às atividades econômicas em 2021.

Outro ponto que trouxe alívio ao mercado é que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acabou sancionando um pacote de ajuda de US$ 2,3 trilhões, restaurando o seguro-desemprego de milhões de americanos e evitando a suspensão parcial de serviços (“shutdown”) do governo federal.

Este ano, o fluxo de investimentos de pessoas físicas na Bolsa brasileira foi significativo, já os estrangeiros tiveram saldo negativo. No entanto, os meses de novembro e dezembro foram marcados pela volta dos gringos. O movimento é justificado pois a Bolsa ainda está barata em dólar. A preferência dos estrangeiros foi especialmente por ações de companhias produtoras de commodities e do setor financeiro. Os gringos buscaram ações descontadas. De modo geral, houve uma rotação de portfólios em direção a segmentos que estavam defasados em relação a outros, sobretudo as companhias de e-commerce, que já tinham andado bastante. 


Em dezembro, o dólar comercial fechou cotado a R$ 5,189, com uma desvalorização de 2,95% frente ao real. Porém, no acumulado do ano, a moeda americana teve uma alta de 29,33%. 

Já o Ifix – Índice de Fundos Imobiliários negociados na Bolsa, subiu 2,19% no mês passado, mas acumulando uma queda de 10,24% em 2020.

Deixe uma resposta