A Coluna do Roberto Maciel (sábado, 23.01): Bolsonaro ainda leva vantagem sobre Dilma e Temer

A vantagem de Bolsonaro é de deixar muita gente boquiaberta

Bolsonaro volta a criticar governadores e alerta para risco de  desabastecimento - Politica - Estado de Minas


Jair Bolsonaro não tem muito com o que se preocupar em relação a índices de popularidade. Afinal, ainda tem alguma vantagem sobre Dilma Rousseff (PT), antes do impeachment, e o golpista Michel Temer (MDB), que a sucedeu. Os resultados de pesquisas anunciados ontem pelo Datafolha e institutos de menor porte são, de certo modo, surpreendentes: indicam que ele tem, em média, 30% de aprovação. Sobre Dilma, pode-se explicar a baixa da presidenta com a artilharia pesada e incessante que se abatia contra ala partida de congressistas e de órgãos de Imprensa, como os jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, a Rede Globo, a revista Veja, a rádio Jovem Pan e a rede Bandeirantes, entre todos os veículos da imprensa tradicional, conservadora e reacionária. A respeito de Temer, é possível avaliar que o golpista – um político sem carisma – recaíam a pecha de traidor e a incompetência para fazer reformas. De Bolsonaro, no entanto, pode-se contar uma a uma as mais de 215 mil mortes pela covid-19.

Números
O Datafolha informa que o “bom” e o “muito bom” são representados por 31% dos consultados sobre Bolsonaro. Já o “ruim” e o “péssimo” chegam a 40%. Surpreendentemente, 2% dos entrevistados disseram que não tinham como opinar. Um presidente que carrega no lombo tantos óbitos até espanta por dispor de números assim.

Leia

EL PAÍS Brasil completa cinco anos com recorde de audiência | Brasil | EL  PAÍS Brasil

Contudo, merece atenção especial o que nesta semana publicou a versão brasileira do jornal espanhol El País, com texto de Eliane Brum: “A linha de tempo mais macabra da história da saúde pública do Brasil emerge da pesquisa das normas produzidas pelo Governo de Jair Messias Bolsonaro relacionadas à pandemia de covid-19. Num esforço conjunto, desde março de 2020, o Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (Cepedisa) da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) e a Conectas Direitos Humanos, uma das mais respeitadas organizações de justiça da América Latina, se dedicam a coletar e esmiuçar as normas federais e estaduais relativas ao novo coronavírus, produzindo um boletim chamado Direitos na Pandemia – Mapeamento e Análise das Normas Jurídicas de Resposta à Covid-19 no Brasil. Nesta quinta-feira (21/1), lançam uma edição especial na qual fazem uma afirmação contundente: “Nossa pesquisa revelou a existência de uma estratégia institucional de propagação do vírus, promovida pelo Governo brasileiro sob a liderança da Presidência da República”. A íntegra está aqui.

Intenção, plano e ação
Continua El País: “Há intenção, há plano e há ação sistemática nas normas do Governo e nas manifestações de Bolsonaro, segundo aponta o estudo. “Os resultados afastam a persistente interpretação de que haveria incompetência e negligência de parte do governo federal na gestão da pandemia. Bem ao contrário, a sistematização de dados, ainda que incompletos em razão da falta de espaço na publicação para tantos eventos, revela o empenho e a eficiência da atuação da União em prol da ampla disseminação do vírus no território nacional, declaradamente com o objetivo de retomar a atividade econômica o mais rápido possível e a qualquer custo”, afirma o editorial da publicação”.

E a gente faz um País
Retomando, então, a observação que abre esta Coluna: Jair Bolsonaro não tem muito com o que se preocupar em relação a índices de popularidade. Mas o brasileiro que veste luto pelos pais, pelos filhos, pelos irmãos, avós e amigos, esse sim, tem muito com o que se horrorizar.

Nas ruas
Polícia Militar do Ceará, Polícia Civil, Guarda Municipal de Fortaleza, Agência de Fiscalização de Fortaleza, Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania, Corpo de Bombeiros Militar e Vigilância Sanitária formam a partir de hoje uma força-tarefa para conter o coronavírus. Os agentes vão às ruas alertar e reprimir aglomerações.

Governo do Ceará e Prefeitura de Fortaleza ampliam fiscalização contra aglomerações na Capital

Sem folia
Farão muito certo, as forças de segurança e de saúde, se empreenderem esforço especial em relação a bares e outros estabelecimentos do gênero que, mesmo com o risco grave à saúde pública, insistem em promover concentrações de pessoas – alguns aproveitando o clima de pré-carnaval que teima-se em estabelecer.

O botequim e a escola
Assim como vendedores de bebidas nada conscientes, comerciantes da educação também não estão dando bola para a prevenção da covid-19. O Sindicato das Escolas Particulares do Ceará aproveitou a segunda onda para dar uma força à pandemia, com campanha pela volta às aulas em emissoras de rádio e TV. Dizem os empresários que os negócios deles são seguros. Deixam, assim, pais e gestões constrangidas.

Os vizinhos do lado de cá
Do presidente Lula, nas redes sociais, dando uma abanada na cara do governo de Jair Bolsonaro: “Quero agradecer a grandeza política que Nicolas Maduro teve ao ser solidário ao povo de Manaus, na crise por falta de oxigênio hospitalar, resultado da ausência de responsabilidade do governo Bolsonaro. É possível fazer política sem ódio”.

Presidente da Argentina é o primeiro líder a ser imunizado na América Latina

Os vizinhos do lado de lá
Lula não citou, pelo menos ainda, o extremo êxito do governo argentino, que vez por outra é atacado como “socialista” por Jair Bolsonaro. Pois bem: os “socialistas” estão produzindo vacina contra a covid-19. A fabricação lá resulta de parceria do governo de Alberto Fernández (foto acima), vítima frequente dos achincalhes do brasileiro, com a multinacional AstraZeneca. Enquanto isso, o Brasil perde vidas.

Tudo é possível
Está em tramitação na Câmara dos Deputados proposta que institui o Código de Defesa do Empreendedor. A matéria cria direitos e deveres para o microempreendedor no desenvolvimento da atividade econômica. E altera, para isso, o Estatuto da Micro e Pequena Empresa. Num cenário em que os empreendedores de menor porte têm sofrido violentamente com as ações e as omissões do Ministério da Fazenda, pode ser que o projeto aponte para novos horizontes.

Lives
Às terças e quintas, eu e a jornalista Eveline Frota promovemos lives no Instagram com a marca “Coluna da Hora”, a partir das 18h. Os encontros duram uma hora e o internauta pode acessar e participar pelos perfis @evefrota ou @robertoamaciel. Também mantemos no YouTube o canal Coluna da Hora. Lá, há entrevistas com personalidades pra lá de interessantes. A mais recente traz o músico cearense Cainã Cavalcante (foto abaixo), um espetacular artista do violão, e vai ao ar neste sábado.

Facebook

Sua opinião é muito importante
Os leitores podem fazer contato com o Portal InvestNE. Nosso e-mail é portalinvestne@gmail.com e o número de WhatsApp é +55 85 99855 9789.

Deixe uma resposta