Pequenas e médias empresas pretendem aumentar presença online em 2021

Depois de um ano desafiador, é normal esperar ansiosamente pelo próximo ciclo. Ainda que 2021 traga esperanças devido a chegada da vacina do covid-19, os empreendedores brasileiros continuam sem perspectiva clara do fim da pandemia. Isto porque, até uma vacinação em massa funcionar, muitos negócios devem penar para crescer de forma consistente em este ano, sobretudo se houver a volta de uma quarentena mais restrita.

Em meio a tantas incertezas e com base nos desafios enfrentados ao longo do ano passado, que estratégia os empreendedores devem tomar para encarar os próximos meses?

Uma pesquisa realizada pela Innovation Business Intelligence revela que as empresas continuarão investindo na vida digital. Segundo esse levantamento, 70% das pequenas e médias empresas pretendem ampliar sua presença online e priorizar os serviços de delivery em 2021. Do total, 26% já aumentaram sua presença em marketplaces e em aplicativos de entrega.

Para o especialista em alavancagem de MPEs, Conrado Adolpho (foto), as empresas devem continuar a priorizar o e-commerce. Conrado, que é autor do best-seller “Os 8Ps do Marketing Digital”, livro didático usado em diversas universidades e escolas de marketing e negócios, aponta que a presença digital dessas empresas já estava crescendo antes da pandemia, mas a quarentena fez com que as compras digitais atingissem um patamar esperado para os próximos cinco anos.

“Para se preparar para essa mudança do consumidor, é necessário ajustar a presença do comércio eletrônico de sua pequena empresa em 2021. Crie uma experiência de comércio eletrônico perfeita para seus clientes, tornando seu site otimizado para consumidor”, recomenda Conrado Adolpho.

Uma das tendências que provavelmente ultrapassará 2021 é a predominância de opções alternativas de pagamento. O State of Retail Payments (estudo anual de pagamentos), realizado pela National Retail Federation (maior associação comercial do mundo), descobriu que os pagamentos sem contato (cartões de débito e crédito por aproximação ou via smartphones) aumentaram 69% desde janeiro deste ano. Entre os varejistas que implementaram pagamentos sem contato, 94% esperam que o aumento continue nos próximos 18 meses.

Outro cenário que também vem crescendo é o trabalho remoto. Durante a pandemia, pequenas empresas mudaram para o home office em tempo parcial ou integral. De acordo com uma pesquisa realizada pela Intermedia, 54% dos pequenos empresários gastaram mais em soluções de software em 2020 do que em 2019, e 75% esperam que os gastos aumentem no próximo ano. Assim, a orientação é investir em soluções adicionais de tecnologia e software para garantir que os funcionários possam continuar trabalhando à distância.

Deixe uma resposta