Lojas virtuais alcançam cerca de 20 bilhões de acessos no País em 2020, revela pesquisa

As maiores lojas virtuais no Brasil atingiram marca aproximada a 20 bilhões de acessos de consumidores ao longo de 2020, ano em que se intensificou a migração dos clientes do varejo físico para as vendas online. Os dados constam do Relatório Setores do E-commerce no Brasil, um estudo de mais de 130 páginas da consultoria Conversion, agência digital líder em SEO no Brasil, que traz uma análise dos 200 maiores sites de vendas (no total, 217 lojas) e 15 setores que compõem o cenário do ecommerce nacional.

Segundo o relatório, dos 15 setores analisados, 13 tiveram aumento de visitas entre o início e o final do ano, como Farmácia & Saúde (+64,10%), Pet (+73,20%), Comidas & Bebidas (+91,20%) e Moda & Acessórios (+82,10%). As categorias de Turismo e Infantil tiveram queda de -27% e 11%, respectivamente.

Em 2020, o comércio eletrônico teve um incremento de +34% nas visitas totais, impulsionado principalmente pelo aumento em Varejo (+39%) e Moda e Acessórios (+82%). De acordo com o estudo, maio foi o mês que mais alavancou o crescimento dos acessos mensais e se tornou um marco do novo patamar do ecommerce nacional. O varejo ampliado (geral) deteve 52% dos acessos no online, seguido por Moda e Acessórios, que ampliou seu market share em 36%.

“Enquanto as lojas de rua e shopping centers estão reabrindo gradativa e intermitente no Brasil, o ecommerce não para de crescer e mudou para sempre o hábito de compras do consumidor. Prova disso é que, mesmo com a reabertura do varejo físico, o comércio eletrônico tem registrado recordes constantes, consolidando-se como o principal canal de vendas no País”, comenta Diego Ivo, CEO da Conversion. 

Pelo mapeamento da Conversion, o segundo semestre de 2020 foi o período de maior visita dos consumidores às lojas virtuais, com crescimento de 24% em relação aos seis meses anteriores.

O comércio eletrônico registrou em janeiro deste ano 1,77 bilhão de acessos, o que marca um aumento de 25% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Já com relação a dezembro/20, o e-commerce teve queda -6,86%.

Dos 15 setores analisados, dez tiveram aumento de mais de 20% no YoY (Year over Year), como Farmácia & Saúde (+90,42%), Pet (+75,38%), Comidas & Bebidas (+74,07%) e Casa & Móveis (+61,21%). Turismo teve queda de -25,26% comparado ao ano anterior, porém segue em recuperação com aumento de 3% no MoM.

Farmácia & Saúde liderou o ranking de setor com maior crescimento (+200%) no pós-pandemia (Janeiro vs. Fevereiro/20) e também no comparativo anual. Shopee e Shein, da categoria importados, tiveram em janeiro os maiores crescimentos no YoY (2.100% e 922%) de todos os sites analisados. Mercado Livre, o maior site do segmento, perdeu 15% de market share no YoY, já a Amazon Brasil cresceu 30% no mesmo período.

“Neste mês, o canal de busca orgânica e paga foi o que mais contribuiu nas visitas, com participação de 59%, seguido pelo canal direto, 32%. A expectativa para os próximos meses é de um crescimento irrefreável nos acessos diários”, ressalta o CEO da Conversion.

O acesso ao estudo completo pode ser feito no endereço:

Deixe uma resposta