Inovação vai possibilitar análise de materiais em escalas nanométricas

Um projeto de inovação desenvolvido em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) ganhou destaque em reportagem de capa da revista Nature, uma das publicações cientificas mais respeitadas do mundo. Trata-se do projeto Na@Mo, um nanoscópio que permite a análise detalhada em alta resolução de estruturas nanométricas, como átomos e moléculas.

A iniciativa, que conta com apoio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), envolveu pesquisadores de duas Unidades Embrapii, centros de pesquisa que integram a rede da instituição. São elas: Departamento de Ciência da Computação (DCC) da UFMG, que está responsável pelo software, e Senai-Cimatec, desenvolvedor do hardware.

O nanoscópio é um equipamento capaz gerar imagens de materiais com resolução na

escala nanométrica, ou seja, em milionésimos de milímetro (1 nanômetro equivale a um bilionésimo de metro). Para conseguir as imagens com resolução muito além da microscopia óptica tradicional, o nanoscópio possui uma antena que, ao se aproximar do material analisado, consegue captar suas ondas eletromagnéticas e as transmite como sinal óptico a um software, que realiza a análise.

Nesta perspectiva, um dos materiais que poderão ser estudados é o grafeno, material composto por carbono, que pode se transformar em um supercondutor de eletricidade, muito mais resistente do que o aço, e com espessura menor que a de um átomo.

Segundo pesquisadores, a tecnologia vai colocar o Brasil em outro patamar de instrumentação óptica contribuindo para diminuir a dependência do mercado internacional neste segmento e oferecendo benefícios a diferentes áreas industriais. O projeto segue em fase final com previsão para testes em ambiente relevante já nos próximos meses.

Deixe uma resposta