Projeto “Favela Brasil Express” destaca eficiência para comunidades com sistema de logística

Diagrama

Descrição gerada automaticamente com confiança baixa

Com 6% da população brasileira morando em favelas, é possível imaginar o número de pessoas que possuem dificuldade para receber correspondências em suas próprias casas. Esse obstáculo tem sido superado com uma das propostas do G10 Favelas, bloco de líderes e empreendedores, que criou a Favela Brasil Express.

A empresa de logística que visa colocar o CEP das favelas no E-commerce brasileiro, vem com o objetivo de proporcionar uma logística participativa, social e inclusiva. Além disso, oferece um mundo de oportunidades que bate à porta dos cidadãos que vivem em comunidades e áreas de difícil acesso. O programa utiliza o sistema de Presidentes de Rua, criada pelo bloco em 2020, para conectar os desconectados.

A ideia é criar lockers, centralizadores, que recebem as mercadorias, a partir dos Presidentes de Rua, que serão uma espécie de CEP para identificar cada região. Eles serão responsáveis por atender 50 casas e fazer com que o produto chegue nas mãos de quem comprou.

O fato de não ser possível receber uma simples correspondência em casa já coloca milhares de pessoas em uma situação de vulnerabilidade, que em tempos de pandemia e fechamento do comércio, por exemplo, agrava a situação, visto que a única alternativa para o recebimento e envio de produtos são os serviços de entrega.

É justamente nesse ponto que o Favela Brasil Express atua, trazendo uma real transformação dentro das comunidades com alternativas que atendam de forma eficiente às necessidades dos moradores que desejam receber suas compras realizadas pela Internet, independente do local ou CEP, ou seja, sem distinção de territórios. “A iniciativa é uma solução para os moradores de favela que, muitas vezes, não conseguem receber mercadorias em suas casas por causa do preconceito de CEP”, enfatiza Gilson Rodrigues, presidente do G10 Favelas.

Atualmente, a iniciativa tem revolucionado a região de Paraisópolis, uma das maiores favelas de São Paulo, e em apenas seis meses de operação com o projeto piloto, já presta serviço para duas empresas de logística do Brasil: Loggi e Correios. Essa parceria tem elevado consideravelmente a taxa de entrega de correspondências na comunidade, além de gerar trabalho e renda para os moradores. O Favela Brasil Express faz parte de um pacote de ações do G10 Favelas que inclui mais nove iniciativas para impulsionar a economia nas comunidades do país.

Segundo Giva Pereira, CEO do Favela Brasil Express, alguns detalhes mostram a importância e o impacto dessas atividades dentro das comunidades. “A empresa tem como ponto chave o mapeamento da favela e a utilização da expertise e conhecimento da região. As entregas são realizadas pelos próprios moradores que sabem bem a infraestrutura das ruas e vielas e utilizam bicicletas, por ser um meio de transporte leve e sustentável, superando facilmente as adversidades. Temos também um centro de distribuição localizado em posição estratégica que é de fácil acesso aos caminhões para a carga e descarga dos produtos”.  

Trata-se de um ganho não somente para o morador/consumidor da favela e o comércio local, mas para as cidades como um todo, por oferecer uma circulação de bens e serviços mais integrada e sustentável, gerando receita e aumentando o potencial econômico dos municípios.

Mas os planos não param por aí. “Nossa meta é utilizar a tecnologia de armários inteligentes e a criação de pontos avançados e de grandes centros de distribuição para que tanto a indústria do varejo como o comércio local possam entregar seus produtos e serviços de forma ágil, veloz, eficiente e com o menor custo possível. Nosso foco está no E-commerce, mas não apenas em sermos um agente local para grandes embarcadores, mas sim uma transportadora que, verticalmente, conecta a indústria das favelas, e as favelas ao mundo, realidade que ainda é rara dentro das comunidades”, acrescenta Giva.

SOBRE O G10 FAVELAS

O G10 das Favelas é um Bloco de Líderes e Empreendedores de Impacto Social das Favelas que, assim como os países ricos do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), uniu forças em prol do desenvolvimento econômico e social dessas áreas urbanas. A exemplo dos grandes blocos econômicos, o G10 tem encontros regulares e termos de cooperação para que exista uma colheita de dados, acompanhamento das ações propostas e mensurado o real impacto social e crescimento gerado pelo bloco e seus parceiros. A ideia do G10 Favelas é inspirar o Brasil inteiro a olhar com atenção para as favelas, as tornando grandes pólos de negócios, atrativo para investimentos, assim transformando a ‘exclusão’ em startups e empreendimentos de impacto social de sucesso.

Deixe uma resposta