Caminhões: como evitar que um meio de trabalho se torne problema para o ambiente e a saúde

A emissão de poluentes na atmosfera é a grande responsável pelo aquecimento global. E se antes os veículos automotores eram considerados pelos cientistas como os grandes vilões, nas últimas décadas isso vem mudando com a implantação de programas de controle de emissões veiculares na Europa, nos Estados Unidos e em diversos países. No Brasil, o programa de controle de emissões veiculares (Proconve), que está em sua sétima fase, estipula a redução de 60% nas emissões de óxido de nitrogênio e de 80% nas emissões de material particulado dos caminhões e ônibus que saem de fábrica.

Em 2022, quando começar a vigorar a fase 8 do Proconve, esses índices deverão ser de, no mínimo, 90%. Mas toda essa tecnologia antipoluente só funciona corretamente se as manutenções preventivas forem feitas regularmente e em conformidade com as instruções do manual do fabricante. Vale ressaltar que dirigir um caminhão que polui mais do que o permitido, é considerado infração grave pela legislação de trânsito com aplicação de multas e perda de cinco pontos na carteira de habilitação.

Desta forma, para não prejudicar o meio ambiente e não correr o risco de ser punido vale seguir dicas como as da concessionária de caminhões Via Trucks, que tem unidades em Guarulhos-SP, São Bernardo do Campo-SP e Contagem-MG. A Via Trucks é revendedora da marca holandesa DAF, que conta com uma planta fabril no município de Ponta Grossa, no Paraná. A linha DAF é fabricada dentro dos padrões exigidos pelo Proconve 7 e a Via Trucks possui, em suas instalações, toda a tecnologia necessária e técnicos capacitados para realizar a manutenção de veículos novos e usados da DAF, além de também estar gabaritada para atender outras marcas em sua oficina.

“A boa manutenção está diretamente ligada ao desempenho, influenciando em maior eficiência do veículo, reduzindo o consumo de combustível e consequentemente os poluentes. Portanto, uma boa assistência oferecida por profissionais especializados é fundamental”, explica Marcos Nogueira, gerente de pós-vendas da Via Trucks. Nogueira reforça que um profissional sem o devido conhecimento e sem os equipamentos certos não saberá identificar problemas. Além disso, é arriscado usar peças de reposição paralelas e fora de conformidade. “Na Via Trucks, o proprietário do veículo conta com profissionais experientes e tem à disposição peças originais, genuínas e homologadas”, afirma o gerente.

Antipoluição

Desde 2012 os caminhões saem de fábrica munidos de um sistema de pós-tratamento de gases de escape conhecido pela sigla SCR. Além de reduzir a emissão de poluentes ele também melhora o desempenho do caminhão. Ele injeta e monitora eletronicamente um fluido conhecido pelo nome de Agente de Redução Líquido Automotivo 32 (Arla 32).  Trata-se de um líquido a base de ureia que, em conjunto com o catalisador reage com os NOx (óxidos de nitrogênio) e CO2 (dióxido de carbono). Há uma reação química que converte esses gases em nitrogênio e água, inofensivos para a atmosfera.

Para que o sistema SCR funcione corretamente é preciso que regularmente o proprietário do caminhão faça as seguintes verificações:

·       Sempre observe a fumaça que sai do escapamento. Fumaça preta é sinal de que as emissões estão acima do permitido;

·       Verificar se o injetor de Arla 32 está entupido. A cristalização do fluido pode causar esse problema eventualmente;

·       Testar o sensor de temperatura;

·       Testar o módulo de dosagem do Arla 32, que é o responsável por calcular a quantidade certa do líquido que será injetado;

·       Jamais colocar no tanque do SCR algum líquido que não seja o Arla 32. Alguns caminhoneiros fazem isso para economizar. Mas a ação prejudica a performance do veículo, pode causar danos ao motor e, se descoberto pela fiscalização, resulta em multa e até apreensão do caminhão;

·       Sempre use diesel S-10, pois é o que contém a menor quantidade de partículas de enxofre. Quanto menos enxofre houver no combustível, mais eficaz é o sistema.

Esses são os cuidados específicos para que o sistema SCR funcione bem. Mas há outras iniciativas igualmente importantes. Por exemplo, economia de combustível é diretamente proporcional à redução de emissão de gases. Um caminhão 14% mais econômico também contribui muito com o meio ambiente. Por essa razão, também é importante:

·       Manter os pneus sempre calibrados, conforme carga transportada e orientação do fabricante. Isso ajuda a garantir o correto atrito com o solo, resultando em maior vida útil dos pneus, em mais economia de combustível e, consequentemente, em menos emissão de gases e mais segurança;

·       Cumpra os prazos para troca de óleo dos motores, assim como a dos filtros de ar e de combustível;

·       Inspecione regularmente o sistema de injeção de combustível;

·       Procure entender os significados dos símbolos existentes no painel do caminhão. Eles avisam sobre eventuais problemas. Dê atenção especial à luz OBD, de diagnóstico a bordo. Se ela acender pode haver alguma anomalia no SCR.

·       Respeite o cronograma de revisões periódicas descrito no manual do veículo;

Deixe uma resposta