IBC-Br registra elevação de 1,04% e repercussão da demissão de Pazuello

Mais uma vez as altas nos preços das Treasuries assustou o mercado, fazendo com que as bolsas globais fechassem o dia sem direção única. Pelo lado positivo, o avanço na produção industrial na Zona do Euro contribuiu para a elevação de algumas bolsas. Paris teve alta de 0,21%. Londres ganhou 0,36% Milão e Frankfurt tiveram perdas de 0,03% e 0,46%, respectivamente. Lisboa teve recuo de 0,49% e Madri ganhou 0,60%.

Em Wall Street, os mercados também receberam o efeito das altas das Treasuries, mas o IPP (índice de preços ao produtor) com alta de 0,3% e o pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão contribuíram para uma alta no sentido de rotação. O Dow Jones teve alta de 0,9%. O S&P 500 subiu 0,10% e a Nasdaq perdeu 0,59%.No Brasil, o principal índice da B3 fechou a sexta-feira (12) com queda de 0,72%, aos 114.160,40 pontos. O mercado teve realização com a PEC emergencial e o auxílio já precificados pelo mercado, em meio ao aumento das restrições de circulação em muitas cidades brasileiras.

Na Ásia, os mercados fecharam sem direção única, recebendo os impactos das perspectivas do aperto monetário na China. Tóquio avançou 0,17%. Seul teve queda de 0,28%. Hong Kong teve elevação de 0,33% e Taiwan teve queda de 0,04%. Xangai e Shenzhen tiveram perda de 0,96% e de 2,15%, respectivamente.

Para hoje (15/03)No exterior, os mercados abrem sem direção única, com as bolsas europeias abrindo majoritariamente em alta e os futuros de Nova York evidenciando a rotação.

No Brasil, o mercado ficará atento aos desdobramentos do pedido de demissão de Eduardo Pazuello do Ministério da Saúde.  O Banco Central fará leilão de swaps de até 16.000 contratos entre 11h30 às11h40. Quanto aos dados da atividade econômica, os números do IBC-Br registraram alta de 1,04%. O Relatório Focus evidenciou queda nas expectativas para o PIB, com alta para a inflação e taxa de câmbio.

Internacional

Na Europa, os índices de preços ao atacado evidenciaram alta, saindo de 0,0% para 2,3% ao ano e saindo de 2,1% para 1,4% ao mês em fevereiro. 

Nos Estados Unidos, foi divulgado o indicador Empire State de Atividade Industrial para março, refletindo o avanço da indústria de Nova York. O índice superou a expectativa de 14,50 pontos, chegando a 17,40 pontos.

Deixe uma resposta