Empresas criam soluções para amenizar o peso emocional do home office

Passado o primeiro ano da pandemia, o cenário de trabalho remoto permanece o mesmo com as novas medidas de restrição. Segundo uma pesquisa feita pelo LinkedIn em abril de 2020, envolvendo dois mil profissionais em home office, mais de 60% das pessoas estão mais ansiosas e estressadas com o trabalho do que antes. As empresas tiveram que repensar uma série de soluções para tornar o dia a dia dos colaboradores mais humano e menos pesado.

Segundo a psicóloga Daiane Andognini, CEO da HUG, Consultoria especializada em Gestão de Pessoas, os gestores precisam refletir sobre como andam gerenciando suas equipes. “Diversas pesquisas apontam os benefícios inclusive econômicos dessa preocupação. A Organização Mundial da Saúde, por exemplo, calculou que a depressão e a ansiedade causam uma perda de aproximadamente US$ 1 trilhão na economia mundial por ano. Por outro lado, a mesma pesquisa afirma que, para cada US$ 1 investido na saúde e bem-estar mental dos colaboradores, US$ 4 são percebidos em ganhos com o aumento da produtividade”.

A Verity, consultoria de soluções digitais, resolveu, primeiramente, realizar pesquisas internas para compreender o cenário de cada um e entender como a equipe está se sentindo, para, aí sim, analisar as sugestões do que poderia fazer neste momento. “A gente precisa ter sensibilidade e empatia para interpretar as particularidades e limitações do time, promovendo ações que engajem, mesmo em meio a uma crise. O acolhimento se tornou ainda mais importante, já que a saúde mental e as relações interpessoais ficaram comprometidas com o cenário remoto”, afirma Alexandro Barsi, CEO da companhia.

Ele revela que a empresa desenvolveu salas on-line de interação entre os colaboradores, criando um espaço de intercâmbio entre funcionários de estados e setores diferentes. “Criamos uma sala de jogos e uma sala chamada Cozinha, que fica aberta no horário de almoço, entre 12h e 14h, para que as pessoas possam interagir”, comenta. A proposta da sala é que seja semelhante às cozinhas dos escritórios físicos, como um ponto de encontro onde os colaboradores podem estreitar o relacionamento, conhecer novos integrantes da equipe e trocar ideias de forma descontraída.

“Estamos em oito estados e 24 cidades diferentes. Ter diversidade nas empresas traz um ambiente muito mais inovador, pensamentos e ideologias diferentes, que acrescentam no dia a dia. Mas precisamos criar maneiras de conectar as pessoas, principalmente as que estão chegando para completar o time. E sempre pensando: já que a pandemia e a situação crítica continuam, o que podemos fazer para melhorar, ainda que um pouco, a rotina das pessoas?”, conclui.

Deixe uma resposta