Em três anos, bancos tradicionais no Brasil têm queda de 40% em transferências

Levantamento da empresa Transfeera, open banking de gestão e processamento de pagamentos, mostra que os bancos tradicionais têm perdido espaço frente aos digitais, comprovando mudanças já sentidas pelo mercado. Até dezembro de 2017, 99% dos pagamentos da fintech se concentravam nos cinco maiores bancos brasileiros: Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa. Já em dezembro de 2020, 61% dos pagamentos tinham como destino os cinco maiores bancos — uma queda de 39% em três anos. A queda dos bancos tradicionais é um contraponto ao crescimento dos bancos digitais, especialmente do Nubank, que em dezembro de 2020 representou 15% do total de pagamentos realizados.

Carlos Augusto de Oliveira, Diretor de Tecnologia da Associação Brasileira de Bancos (ABBC) e investidor da Transfeera, comenta que é notável o crescimento da base de clientes dos Bancos Digitais, em função da conveniência do onboarding, facilidade de acesso e atratividade pelo apelo de modernidade. Mas, para o especialista, a realidade constatada no ambiente de pagamentos da Transfeera vai além: “o estudo demonstra uma tendência clara de utilização crescente desses Neo-Bancos ao escolherem de forma crescente estas instituições digitais como plataforma para recebimento do seu fluxo financeiro, o que significa uma opção de  uso prioritário no seu dia-a-dia”, diz. 

“Mecanismos de liquidação digital e instantâneas e ecossistemas de compartilhamento e integração, trazidas pelo Pix e Open Banking tendem a pressionar ainda mais os Bancos tradicionais obrigando-os a acelerar a agenda de transformação ao mesmo tempo que acirra a competição com fintechs com estruturas mais leves e ágeis por definição”, finaliza o Diretor da ABBC. 

O presente estudo analisou um montante de 3, 2 milhões de transferências bancárias, realizadas entre abril de 2017 e dezembro de 2020. Do total de transferências, 2,3 milhões (73%) tiveram como destino pessoas físicas e 861 mil (27%) pessoas jurídicas. O levantamento foi possível por meio da análise de dados da plataforma da startup que faz a gestão e o processamento de pagamentos em escala. O estudo completo pode ser acessado aqui.

Market share de bancos para pessoas físicas: Nubank expande, Banco do Brasil perde 23% em três anos

O Banco do Brasil é o banco tradicional que mais sofre com a perda de contas. Em dezembro de 2017, 33% dos pagamentos realizados pela Transfeera tinham como destino o BB, em dezembro de 2020, três anos depois, representam 10% — uma queda de 23%.

Em dezembro de 2020 o Bradesco segue em uma trajetória estável recebendo cerca de 14% dos pagamentos realizados. Nubank vem em franca aceleração, representando 18% dos pagamentos. O cenário para os grandes bancos também não é animador nas transferências para pessoas físicas. Em dezembro de 2018 representavam mais de 80% dos pagamentos, em dezembro de 2020 representam 55%.

Deixe uma resposta