Marcelo Freixo alerta que, para Bolsonaro, policial é massa de manobra: “Ele vai te descartar”

Grupos deturpam proposta de Marcelo Freixo sobre crack

O deputado fluminense Marcelo Freixo (PSOL, foto) fez ontem um alerta às forças policiais. Lembrou que, apesar de tentar instigar agentes ao motim, os bolsonaristas não oferecem solução nenhuma para problemas das corporações. “O presidente só tem uma coisa a oferecer aos policiais: guerra”, diz.

Freixo usou as redes sociais para mostrar a “lógica insana” que tem sido colocada contra as polícias, numa estratégia para tentar manipular policiais, transformando-os em massa de manobra.

Veja a análise de Marcelo Freixo:

Temos uma das polícias que mais matam e mais morrem no mundo, taxas altíssimas de suicídio, agentes com graves problemas de saúde mental, como era o caso do soldado Wesley (Góes, da PM da Bahia), além dos péssimos salários e das precárias condições de trabalho.

Bolsonaro nunca apresentou proposta para resolver esses problemas. Pelo contrário, além de negligenciar a vacinação dos agentes, proibiu o reajuste dos salários e fez uma reforma da previdência que piorou a vida de vocês.

O presidente só tem uma coisa a oferecer aos policiais: guerra. Matar e morrer. Jovens negros e pobres das periferias matando outros jovens negros e pobres das periferias. Eis a tragédia. E enquanto as famílias choram, Bolsonaro faz política.

É por isso que o presidente só fala em excludente de ilicitude, em licença p/ matar, como se o papel das polícias numa democracia fosse servir como arma de guerra. É disso que vocês policiais e a população brasileira estão precisando?

Essa lógica insana, que fracassou no Brasil e no mundo, não vai resolver o problema da violência, nem melhorar a vida de vocês. Então por que insistir nisso? Porque o medo e a violência dão voto e poder a políticos inescrupulosos que jogam com a vida e a morte.

*** ***

E os civis? Marcelo Freixo lembra que a “política irresponsável” de disseminação de armas ameaça a sociedade em todos os setores. E diz aos policiais que quanto mais gente armada, mais riscos haverá.

Continua o parlamentar:

O mesmo vale para a política irresponsável de liberação em massa de armas e munições pesadas, incluindo fuzis, para civis. Em que a quebra do monopólio estatal da força interessa aos policiais? Quanto mais gente armada na rua maior risco de vida vocês vão enfrentar!

Tragédias como a do soldado Wesley, só que envolvendo civis armados até os dentes, vão se multiplicar, seja por causa de transtornos mentais ou do fanatismo alimentado pelo presidente e sua rede de extremistas, que trata atos de violência como heroísmo.

Quem está lutando por melhorias salariais, por condições dignas de trabalho, pelo fim dos abusos cometidos contra praças, por democracia nas corporações e pela assistência à saúde dos policiais somos nós da oposição. Não é Bolsonaro.

Para o presidente, você, policial, é só massa de manobra. Bolsonaro não vai te ajudar se você for preso. Não vai dar assistência à sua família se você for morto. E não vai te defender quando você for punido por participar de motim. Ele vai te descartar, como sempre fez.

Deixe uma resposta