Investir em franquia pode ser um bom negócio em tempos de pandemia

Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF)indicam que o segmento de franquias registrava em 2019 crescimento de 6,8% no faturamento em relação ao ano anterior. E neste momento, mesmo durante a pandemia, ainda são boa aposta. O investimento em franquias permite que se inicie o negócio com o apoio de treinamentos e força da marca, além do conhecimento que pode ser compartilhado para assegurar o sucesso.

“Nesse momento de pandemia a franquia ainda é uma ótima opção, mas precisa ser selecionada com cautela. É necessário ver o mercado nesse momento de crise, por exemplo, se for algo essencial, como alimentação se puder trabalhar com entregas a domicilio; franquias de produtos farmacêuticos e outras necessidades; franquia de marketing digital, pois hoje é o momento para entrar nessa meio e todas as empresas estão se movendo para o digital e muitas não sabem como”, explica Caio Cunha, presidente da WSI Master Brasil, maior empresa de franquias de marketing digital do mundo. 

De acordo com Vicente Di Cunto, co-fundador da rede de franquias de massas artesanais Pastifício Primo, as lojas não tiveram impacto em termos de faturamento significativo, principalmente durante as fases de fechamento. “Nesse último final de semana em que foi decretado fase vermelha no Estado de São Paulo, por exemplo, faturamos mais de 10% acima em comparação aos anteriores. Até o final da pandemia, cerca de 50% dos restaurantes vão fechar as portas, então quando a demanda voltar, quem estiver presente, com qualidade e preço, vai ter um mercado muito mais promissor pra crescer e expandir”, afirma.

“A franquia é um investimento em um negocio já testado e aprovado no mercado. Afinal, quando uma empresa se torna franquia, é porque ela já tem uma certa presença e aceitação dos consumidores. A vantagem de se atuar assim é que o investimento em publicidade é centralizado pela franqueadora, maximizando o conhecimento da marca, não obstante o franqueado tenha a responsabilidade jurídica pelos atos da sua franquia”, esclarece o advogado, especialista em Política Econômica Internacional e Negociação de Contratos, Inovação e Internacionalização de Empresas, Emanuel Pessoa.

Deixe uma resposta