A importância ambiental, social e econômica da reciclagem de resíduos

Você sabia que a coleta seletiva é de extrema importância para o desenvolvimento sustentável do planeta? E que com o aumento no consumo ela passou de uma necessidade, para uma obrigação de todos. Ainda mais se a previsão do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) estiver certa: até 2025 a produção de lixo mundial vai passar de 1,3 bilhão de toneladas para 2,2 bilhões de toneladas.  

Daí a importância de se investir em ação que promovam essa conscientização. A coleta seletiva é uma atividade que prolonga a vida útil de aterros sanitários, ajuda a diminuir a poluição e contribui para o equilíbrio do meio ambiente. Com tantos benefícios à sociedade, reciclar é também hoje um ato de cidadania.  E um bom exemplo disso vem de Biguaçu, onde um container de coleta seletiva foi instalado na entrada da empresa Agroforte.

A iniciativa possibilitou que a comunidade do entorno da indústria de reprocessamento de proteína animal tivesse acesso a um ponto de reciclagem. Totalmente alinhada aos princípios que a empresa prega diariamente em seus processos de produção em relação à sustentabilidade, a iniciativa busca incentivar as pessoas a fazerem a sua parte.  

A estrutura, dividida em cinco categorias de resíduos, permite o depósito do lixo reciclável logo na entrada, de maneira fácil e com a certeza ele será descartado da maneira correta. O espaço está identificado em cores seguindo a orientação já padronizada mundialmente na coletiva seletiva: amarelo para metais, verde para vidros, azul para papéis, vermelho para plástico e cinza para lixo não-reciclável.  Além disso, a porta traseira do container possibilita que a própria Agroforte também realize a sua coleta seletiva e retire o lixo para ser encaminhado à reciclagem. Uma empresa de coleta seletiva realiza o recolhimento periódico do material depositado no local. 

Curiosidades

  • Uma tonelada de papel reciclado poupa cerca de 22 árvores, economiza 71% de energia elétrica e polui o ar 74% menos (Mundo Verde);
  • O Brasil está em quarto lugar entre os países com mais construções sustentáveis (Green Building Council);
  • A natureza leva até 6 semanas para decompor um jornal, e de 1 a 4 semanas para embalagens de papel. Já as cascas de frutas chegam a 3 meses e as bitucas de cigarro e os fósforos 2 anos. Mas os grandes vilões são: sacos e copos de plástico podem ficar até 450 anos presentes no meio ambiente, pilhas e latas de alumínio de 100 a 500 anos e, o pior de todos, o vidro leva até 1 milhão de anos (Mundo Verde).

Deixe uma resposta