CCBNB apresenta agenda de atividades infantis virtuais na Semana da Criança

 Na semana em que se comemora o Dia da Criança, o Centro Cultural Banco do Nordeste reservou programação infantil, com narração de histórias, literatura e teatro. As atividades podem ser conferidas virtualmente, no canal do equipamento no Youtube.

Nesta quinta-feira, 14 de outubro, a partir das 16h, Tâmara Bezerra (Fortaleza – CE) apresenta uma divertida sessão de histórias, que reúne contos tradicionais da literatura oral do Brasil. Todas as narrativas trazem como personagem de destaque um bicho com casco, como tartarugas, cágados e jabutis. Eles surgem de forma surpreendente e bem humorada. O título da sessão também homenageia o grande pesquisador da oralidade brasileira Câmara Cascudo, fazendo um trocadilho com seu nome.

Ainda no mesmo dia, haverá mais contação de histórias. Desta vez, com Patrícia Adjokè (Fortaleza – CE), que contará os “Cantos e Encantos de Adjokè e as Palavras que Atravessaram o Mar”, às 18h. São narrativas literárias nas quais se compreende a ancestralidade africana aflorada pelo som de instrumentos como agogô, berimbau, cuíca e zabumba. “Assim como o tambor acessa nossa sensibilidade ancestral, a literatura nos possibilita acessar a nossa essência negra. Quando comemos cuscuz, acarajé, canjica, farofa, quindim, fubá, munguzá, caruru, pamonha, pipoca, rapadura, vatapá, delícias, sabores da gastronomia que enchem a panela cearense, quitutes que receberam nomes africanos e na maioria das vezes não percebemos; mesmo quando evitamos bafafá, fuxico e pedimos dengo, estamos africanizados e não percebemos”, afirma.

Na sexta-feira, 15, “Uma Chuáá em movimento” é a contação de Vânia Rodrigues (Fortaleza – CE), a partir das 16h. Chuáá é um clown que conta histórias e que utiliza a linguagem do corpo, do som, e a interatividade com o público, como auxílio para narrar seus contos. Neste trabalho, as histórias tratam de maneira interativa de assuntos sobre a natureza, as relações, os valores culturais e a força interior.

Em seguida, às 18h, o Projeto Culturando a Arte Circense (Fortaleza – CE) apresenta “Meu Pedacinho de Chão”, um espetáculo de variedade circense, ambientado na misticidade de lugares e seres do imaginário infantil. A peça conta um dia no cotidiano de um lugarejo que tem sua rotina sabotada por um morador que se transforma em um vilão. Ele transforma todo o ambiente de harmonia, zelo e prosperidade, em um caos de sujeira e destruição. Ao perceber toda situação, os habitantes correm em busca de uma solução para restabelecer o ambiente, fortalecendo a preservação e o cuidado.

No domingo, às 16h, as crianças poderão conferir as narrativas de “Ngundia – saberes, sabores e algumas histórias”, contadas por Zwanga Nyack (Fortaleza – CE). O trabalho compartilha saberes africanos ancestrais a respeito dos alimentos que estão presentes no cotidiano, como o milho branco, farofa, mel e pipoca.

Dia 14, quinta-feira

Literatura
16h – Histórias Cascudas
Tâmara Bezerra (Fortaleza – CE)
Criança e Arte – Contação de Histórias
18h – Cantos e Encantos de Adjokè e as Palavras que Atravessaram o Mar
Patrícia Adjokè (Fortaleza – CE)
Troca de Ideias
20h – Primavera do Cinema Paraibano: Estrangeiro
Edson Lemos Akatoy (João Pessoa – PB)

Dia 15, sexta-feira

Criança e Arte – Contação de Histórias
16h – Uma Chuáá em movimento
Vânia Rodrigues (Fortaleza – CE)
Artes Cênicas – Teatro
18h – Meu Pedacinho de Chão
Projeto Culturando a Arte Circense (Fortaleza – CE)
Artes Visuais – Exposições
20h – Desenvisibilização de um ser
I N D J A (Juazeiro do Norte – CE)

Dia 16, sábado

Música Instrumental
16h – Música Brasileira
Quarteto de Saxofones da FELC (Uiraúna – PB)
18h – Jazz em Cena – Spectrum: Tributo a Billy Cobham
David Krebs (Alemanha)
Música Vocal
20h – Na trilha do vinil
Abidoral Jamacaru (Crato – CE)
20h30 – Kaê Guajajara
Kaê Guajajara (Mirinzal – MA)

Dia 17, domingo

Criança e Arte – Contação de Histórias
16h – Ngundia – saberes, sabores e algumas histórias
Zwanga Nyack (Fortaleza – CE)
Artes Cênicas – Teatro
18h – Meu lugar está morrendo e com ele vou junto
Ludmila da Mata (João Pessoa – PB)
Cinema – Longametragem
20h – Puerpério: por um cinema de pôr-para-fora
Luciana Oliveira (SE/SE)

Deixe uma resposta