E-book gratuito dá orientações sobre cibersegurança para e-commerces e lojistas

Segurança online é um tema que vem tomando relevância cada vez maior no mercado. Segundo o grupo MZ, termos de busca relacionados à segurança tiveram um aumento de 220% em comparação com o ano anterior, e este crescimento aconteceu somente no primeiro semestre de 2021. 

Por isso, recentemente, a startup de tecnologia Codeby lançou o e-book Cyber Security Deck 2022, direcionado a e-commerces e lojistas do varejo. Especializada em soluções para e-commerce, com foco em performance e melhoria na usabilidade para entregar aos clientes aumento significativo em conversões de vendas, a empresa organizou nesse e-book informações importantes para todos que se preocupam com a segurança do negócio.

O mercado online vem crescendo rapidamente nos últimos anos, apresentando números promissores em vendas e transações realizadas nos ambientes online. Em contrapartida, as taxas de tentativas de fraude no e-commerce brasileiro também vêm aumentando. De acordo com Raio-X da Fraude 2021, estudo realizado pela Konduto, as taxas de tentativas de fraude em 2020 no Brasil ficaram em 2,07%, ou seja, correspondem a 3,07% do valor em Real transacionado.

Segundo dados do estudo, em 2020 o ticket médio de fraudes evitadas ficou em R$728,11, um valor 43% maior se comparado com pedidos legítimos realizados.

Fellipe Guimarães, CEO da Codeby, afirma se orgulhar do e-book: “Desenvolvemos um material que presta um serviço essencial ao empreendedor. Nós nos demos com o interesse do público no assunto e decidimos produzir o e-book para auxiliar o lojista na obtenção dessas informações, reforçando os conhecimentos sobre cibersegurança.”

O material desenvolvido pela Codeby explica que o e-commerce precisa proteger dados envolvidos em transações online. Dados como CPF, endereço, número de cartões, entre outras informações que possam ser usadas de má-fé em caso de vazamento desses dados, são muito sensíveis.

O e-book deixa muito claro que nenhum mecanismo ou ferramenta de segurança é infalível. Todos os dias surgem novas tecnologias, novas práticas e novos ataques, e dessa forma ter um plano de recuperação irá possibilitar a empresa a lidar da melhor forma caso ocorra algum ataque bem-sucedido de cibercriminosos, tratando da recuperação dos danos causados.

Quais os principais ataques a sistemas de e-commerce e varejo?

Segundo uma pesquisa realizada pela Finances Online, os ciberataques mais comuns nas empresas são Phishing, que basicamente é uma técnica usada para enganar usuários e obter informações confidenciais como senhas, cartão de crédito entre outros. Cerca de 37% das empresas já sofreram com este tipo de ataque, seguidos por ataques na rede, divulgação indevida de dados, registros de dispositivos roubados ou perdidos e configuração incorreta de sistemas.

Os cibercriminosos aproveitam brechas e vulnerabilidades na segurança digital das empresas, podendo causar prejuízos para estas organizações. Por isso, os ciberataques são uma constante preocupação no mundo corporativo. Normalmente quando um ataque fere a integridade de uma empresa, também pode ocorrer dos cibercriminosos extorquirem valores em troca de não expor estes dados e causar prejuízos ainda maiores para a marca.

Outras preocupações relacionadas à segurança da informação em um e-commerce são sobre a estrutura técnica. Isso porque ataques cibernéticos que mais ocorrem são relacionados a rede, dispositivo e configurações de sistema.

As empresas estão dando mais importância à conscientização do usuário para a segurança cibernética e ações simples como estas citadas podem contribuir significativamente para manter a segurança do seu e-commerce, bem como da operação dos e-commerces e do varejo brasileiro.

Deixe uma resposta