Startup investe em sistema antifraude como solução para pequenos e médios e-commerces

O golpe conhecido como “falso pagamento” liderou as fraudes aplicadas no e-commerce brasileiro (42%) no primeiro semestre de 2021, segundo estudo divulgado pela OLX e pela AllowMe, e já causou prejuízo de R$6 milhões para comerciantes de todo o Brasil.

Pensando nisso, a Appmax – startup gaúcha que oferece soluções para ajudar negócios digitais na maximização de resultados – possibilita aos clientes um sistema de antifraude misto que permite uma verificação em duas etapas. A primeira etapa consiste em uma análise sistêmica onde é possível identificar informações importantes sobre o perfil de compra com base em CPF, endereço e score de mercado. 

O principal diferencial está no modo como a análise em uma segunda etapa é feita: ao receber pedidos que seriam negados automaticamente por outras plataformas através do antifraude automático, a equipe da processadora de pagamentos analisa de forma manual dados que justifiquem a aprovação para que a loja não perca nenhuma venda legítima. 

Além de ser uma alternativa eficiente para os lojistas, é importante lembrar que este método oferece uma melhor experiência do usuário, afinal, muitas vezes o sistema acusa fraude e o consumidor não consegue entender o motivo do cancelamento. Com a análise manual, a chance da recuperação de resultados é maior, possibilitando ao lojista uma taxa de conversão acima da média do mercado sem custo adicional, além da fidelização do consumidor. 

Em média, das transações realizadas pela plataforma, cerca de 35% são identificadas como possíveis fraudes pelo sistema, mas após a análise detalhada, realizada pela equipe interna, apenas 3% são confirmadas como fraude.

Atualmente, o cartão de crédito continua sendo a principal ferramenta de pagamento escolhida pelos consumidores (80%), segundo pesquisa da Cybersource. Portanto, ainda é possível perceber uma queixa das PMEs sobre a alta taxa de bloqueios no sistema automático. 

É o caso do empresário Paulo Carvalho, que desde a fundação de seu primeiro e-commerce em 2014 já percebia um número grande de falsos pagamentos. “Durante alguns anos foi possível notar que a maioria das compras no meu e-commerce eram bloqueadas. Demorei algum tempo para adotar um sistema antifraude híbrido que fosse capaz de reverter a situação. Conseguimos aumentar o número de vendas em 30% com a Appmax”, comenta o executivo. 

Com o uso de tecnologia híbrida, a plataforma realiza o trabalho por meio de pesquisas e cruzamento de dados capazes de identificar e recuperar vendas já consideradas como perdidas. “Aqui na Appmax, nenhuma venda é descartada até que toda a análise seja concluída, por isso, utilizamos este serviço em duas partes para proporcionar uma assertividade e maximização de resultados para os nossos parceiros. Atualmente, conseguimos aprovar em média 95% das transações que passam pela plataforma. Isso acontece devido ao modelo que criamos”, explica Betina Wecker – VP de novos negócios.

Deixe uma resposta