Café baiano ganha destaque em concurso nacional

Posted on Updated on

Os dois primeiros lotes vencedores do 14º Concurso Nacional Abic de Qualidade do Café são baianoa. O microlote produzido em Piatã, na Chapada Diamantina, foi o campeão do concurso, seguido do café cereja descascado de Antônio Rigno de Oliveira, também de Piatã. A terceira colocação ficou para o microlote de Manoel Protázio de Abreu, de Dores do Rio Preto (ES).

Nove consumidores baianos integraram o Júri Popular que ajudou na seleção do produtor ganhador. Além de produtores baianos, participam do concurso produtores de São Paulo, Paraná, Espírito Santo e Minas Gerais, locais onde também foram realizadas etapas do Júri.

A criação do Júri Popular foi idealizada pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) com o objetivo de incluir a opinião e percepção sensorial dessas pessoas que gostam de café na escolha dos melhores grãos do Brasil. Na Bahia, a avaliação foi realizada no dia 25.01, em parceria com o Sindicato das Indústrias de Café da Bahia (Sincafé-BA), na sede da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb).

O Júri é a terceira etapa da avaliação, que conta com uma análise do Júri Técnico, composto por especialistas, e inclui ainda uma avaliação das práticas sustentáveis da propriedade cafeeira. Os trabalhos começam com uma apresentação teórica sobre análise sensorial e qualidade do café, feita por técnicos da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Na sequência, os consumidores provaram separadamente e às cegas (sem saber a origem) o café de cada lote.

A Abic está promovendo um leilão dos lotes até esta quinta-feira, aberto a torrefações, cafeterias e pessoas jurídicas de todo o país. Esses cafés serão posteriormente industrializados e chegarão aos supermercados e lojas gourmet em meados de abril, compondo a 14ª Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil.

Deixe uma resposta