Sergipe

Cesta básica mantém índices nas capitais nordestinas

Posted on Updated on

Nenhuma capital do Nordeste teve incremento no preço da cesta básica, avaliando-se os índices acumulados nos últimos 12 meses. A informação é do Banco do Nordeste.

As maiores quedas foram registradas em Salvador (BA) (-6,4%), São Luís (MA) (-4,2%) e João Pessoa (PB) (-4,1%). Em seguida, aparecem Aracaju (SE) (-2,9%), Recife (PE) (-2,8%), Fortaleza (CE) (-1,8%) e Natal (RN ) (-0,8%). Em janeiro, porém, houve expressivas elevações em todas elas. A pesquisa não alcançou Maceió (AL) e Teresina (PI).

Em relação a valores monetários, Fortaleza continua com a cesta básica mais cara no Nordeste (R$ 387,61). A cesta básica dos fortalezenses é 8,1% maior que o valor da cesta regional (R$ 358,66) e supera em 16% a cesta mais barata da Região, a de Salvador (R$ 333,98). O custo da cesta básica nas demais capitais é: João Pessoa (R$ 368,76), Natal (R$ 360,48), Recife (R$ 356,47), São Luís (R$ 355,22) e Aracaju (R$ 349,97).

As variações mais expressivas em 12 meses foram verificadas nos preços da banana (+12,1%) em Recife e do tomate (+5,5%) e do pão (+4,4%) em Salvador. As maiores retrações foram verificadas no preço do feijão (-43,8%) e da banana (-13,2%), ambos em Salvador, e leite (-12,8%) em Recife.

O estudo do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste, área do BNB que analisa dados do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos, conclui que os aumentos da cesta básica têm superado a variação da inflação do país. Em conseqüência, as famílias de baixa renda são penalizadas.

Aracaju (SE) soma ações como estratégia competitiva

Posted on Updated on

A Fundação Cultural Cidade de Aracaju e a Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo firmaram parceria para efetivar uma política que promova a cultura e o turismo. Segundo o presidente da Funcaju, Sílvio Santos, é essencial somar forças para valorizar a cultura sergipana e atrair turistas e visitantes.

A Funcaju vem movimentando o cenário cultural em Aracaju. Além de incentivar artistas locais, promovendo ações nas unidades, exemplo, disso é o projeto Ocupe a Praça que acontece na primeira e ultima quarta-feira do mês, no Centro Cultural de Aracaju e na praça General Valadão.

BNB apoia empresa de saneamento em Sergipe

Posted on Updated on

O Banco do Nordeste contratou operação de R$ 10 milhões com a Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso. Em 2017, esta é a primeira operação de capital de giro destinada ao setor de infraestrutura no estado. A maior parte dos recursos é proveniente do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste – FNE, ou seja, 80% do crédito é concedido por meio da linha FNE Giro Infraestrutura.

De acordo com o gerente financeiro da Deso, Edvaldo de Melo Fernandes, o financiamento colabora para manter a qualidade dos serviços prestados pela companhia. “Vamos melhorar a infraestrutura da Deso, que lida na ponta com a saúde das pessoas. O crédito é destinado a despesas operacionais, aquisição de bombas hidráulicas e de produtos químicos para o tratamento da água”, disse.

“Também é a primeira operação que realizamos com este importante cliente, que presta relevante serviço social. O contrato marca o retorno do BNB como agente financiador de projetos de infraestrutura em Sergipe. E estamos no processo de negociação para financiar um projeto de investimento com a empresa”, explicou o gerente da agência Aracaju Centro, Carlos Virgílio Holanda.

Para o superintendente estadual do BNB, Antônio César de Santana, a contratação com a Deso representa bem a missão do Banco do Nordeste. “Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de Sergipe e da Região Nordeste, o Banco atende a empresas de todos os portes e segmentos econômicos, através de projetos estruturantes e de capital de giro, com o intuito de melhorar o atendimento prestado à população”, informou.

Criada em 1969, a Deso é uma empresa de economia mista, que tem como acionista controlador o Governo de Sergipe. A companhia é responsável por estudos, projetos e execução de serviços de abastecimento de água, esgotos e obras de saneamento. Detém a concessão para 73 dos 75 municípios sergipanos, com atendimento a cerca de 1,8 milhão de pessoas.

Articulação defende subsídio do milho

Posted on Updated on

 

O presidente do Senado, o cearense Eunício Oliveira (PMDB), iniciou com o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra, mobilização para estender os efeitos de portaria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que beneficia pequenos criadores e agroindústrias de pequeno porte das regiões Norte e Nordeste.

A portaria dá aos pequenos produtores, por meio do Programa Vendas em Balcão da Conab, acesso aos estoques de milho do governo a preços compatíveis aos do mercado atacadista local. Mas a regra perderá validade já em 31 de dezembro próximo, o que pode prejudicar milhares de produtores e criadores rurais.

Em decorrência da medida, a saca de 60 kg é vendida hoje a R$ 33 nos municípios do Norte e Nordeste.

O presidente da Conab argumenta que, com sete meses em vigor, as repercussões da Portaria são “bastante
expressivas” na movimentação da economia local. Segundo estudo da Companhia, no volume de vendas nos 15 estados atendidos, de 10 de abril passado a 9 de novembro, o comércio em balcão de milho em grãos a preço subsidiado superou 86% o volume de vendas no mesmo período de 2016.

Eunício disse que vai tratar com o presidente da República, Michel Temer, e com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, defendendo a prorrogação da medida.

Sergipe investe em infraestrutura agrária

Posted on Updated on

Produtores e agricultores familiares de Porto da Folha, em Sergipe, receberam incentivos que somam mais de R$ 4,8 milhões. O governador Jackson Barreto esteve no município para entregar títulos fundiários, caminhão-tanque e a implantação do programa Mais Palma. Na ocasião, também foi autorizada construção da ponte do povoado Lagoa da Volta.

“São grandes investimentos para nosso sertão. Assinamos autorização para construção da ponte do povoado Lagoa da Volta. É uma obra muito esperada pela população.  Entregamos títulos de regularização fundiária, são 706 famílias atendidas aqui. Esse é um grande investimento porque o homem do campo se torna cidadão quando ele tem um título de sua propriedade na mão. Também entregamos um caminhão à prefeitura de Porto da Folha para ajudar no abastecimento de água”, disse o governador.

O programa Mais Palmas objetiva incentivar a produção de palma forrageira para reserva e multiplicação estratégica de alimento bovino leiteiro. O programa prevê o investimento de R$ 906.300 mil, recursos do Fundo de Combate a Pobreza, beneficiando 823 produtores do Alto Sertão.

Executado pela Secretaria de Inclusão, em parceira com a secretaria de Agricultura, o Mais Palma vai fornecer ao pequeno produtor condições para implantar uma tarefa de palma em sua propriedade. Para tanto, o governo vai fornecer raquetes/palma para plantio, uma hora de serviços mecanizados (trator) e três sacos de fertilizantes. Serão 250 hectares de plantio que vão render 2.450 hectares na colheita ou replantio.

Banco de Sergipe registra crescimento

Posted on Updated on

O Banco do Estado de Sergipe conquistou lucro líquido de R$ 36,3 milhões no primeiro semestre de 2017, resultado 61,7% superior ao registrado no mesmo período de 2016, de acordo com o Relatório da Administração e as Demonstrações Contábeis da instituição publicados pela instituição.

O Banese é uma das poucas instituições financeiras estaduais que escapou da política de privatizações do governo de Fernando Henrique Cardoso.

De acordo com o Relatório do Banese, no fim do primeiro semestre de 2017 os ativos totais tiveram saldo de R$ 4,6 bilhões, 16,6% a mais que o registrado no primeiro semestre de 2016.

Palavra do presidente da empresa, Fernando Mota: “Os números são consistentes. Eles mostram a importância que o Banese tem para a economia de Sergipe e que o banco se fortaleceu e está cada vez mais num caminho de consolidação de sua atuação no Estado”, disse o presidente durante a coletiva de imprensa.

Ainda segundo Mota, as receitas no primeiro semestre de 2017 cresceram e o Patrimônio Líquido do banco chegou a R$ 334 milhões, num incremento de 11,5% em relação ao primeiro semestre do ano anterior. “Os números alcançados no primeiro semestre de 2017 demonstram que apesar das incertezas pelas quais o Brasil vem passando, as nossas estratégias estão gerando os retornos esperados e o Banese se mantém sólido e sustentável”.

Fernando Mota observou que no primeiro semestre de 2017 houve muitos investimentos em tecnologia e o Banese solidificou-se como um banco mais digital e mais competitivo. “Hoje mais de 80% das transações realizadas no Banese são feitas através dos canais de autoatendimento, sendo que 61% delas são realizadas através do Internet Banking e no aplicativo do banco para celular e tablet”, explicou.

Segundo o presidente, os números do cartão de crédito Banese Card, que encerrou o primeiro semestre de 2017 com um volume financeiro transacionado total de R$ 666,5 milhões, também registram crescimento. Foram 6% em relação ao primeiro semestre de 2016. O cartão conta atualmente com 510 mil clientes aptos a comprar, além de 38 mil lojistas credenciados, por meio dos quais se apuraram 5,3 milhões de transações.

(…)

“É também através do Instituto Banese que o banco apóia 14 instituições filantrópicas de Sergipe, todas muito conhecidas no Estado, pelos relevantes serviços que prestam, tendo beneficiado nesse primeiro semestre mais de 23 mil pessoas por elas assistidas”, disse ainda o presidente.

Para mais informações, clique aqui.

Nordeste tem inflação abaixo do índice nacional em junho

Posted on Updated on

dinheiroO Nordeste apresentou crescimento de 0,32% da inflação em junho, índice inferior ao verificado em âmbito nacional no mês (0,35%). A avaliação é resultado de monitoramento periódico do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de estudos regionais do Banco do Nordeste.

No acumulado dos últimos doze meses, a inflação no Nordeste registrou alta de 9,0%, nível mais elevado que o verificado em todo o Brasil (8,8%). Apesar disso, a região apresentou indicadores abaixo do nível nacional em seis dos nove grupos de preços pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Fortaleza continua com a maior taxa de elevação de preços na região, chegando a 10,4%. Em seguida, aparecem Salvador, que registrou inflação de 8,8%, e Recife, com índice de 8,5%.

Na avaliação mensal de junho, as três capitais mais populosas do Nordeste registraram variações equilibradas em comparação a maio: Fortaleza e Salvador, com 0,32%, e Recife, com 0,33%.

“Apesar de certa resiliência do processo inflacionário nos últimos meses, espera-se que, em razão da atividade econômica, conjugada com a diluição dos efeitos da elevação dos preços administrados em 2015, resulte no arrefecimento da pressão inflacionária”, afirma o estudo.

Do Banco do Nordeste.

Aracaju discute efeitos da crise na área de gerenciamentode projetos

Posted on

O 3º Congresso Sergipano de Gerenciamento de Projetos acontece nos dias 11 e 12 de setembro, na cidade de Aracaju (SE). O encontro irá discutir o tema “Vencendo a crise com agilidade e estratégia”. O objetivo é abordar a relevância do gerenciamento de projetos para o sucesso das organizações.

O evento é organizado pelo PMI – Project Management Institute, que é a principal associação mundial, sem fins lucrativos, voltada ao Gerenciamento de Projetos e que conta com mais de meio milhão de associados em todo o mundo.

A multinacional eWave do Brasil é uma das patrocinadoras do Congresso. “Investir em atualização e incentivar práticas que refletem em melhorias no ambiente corporativo é uma das nossas prioridades. O evento permitirá que os participantes conheçam as tendências e estratégias adotadas no gerenciamento de projetos, além das ferramentas, práticas e novas tecnologias”, explica o diretor comercial da eWave do Brasil, André Nascimento.

Serviço:
3º Congresso Sergipano de Gerenciamento de Projetos
Data: 11 e 12 de setembro
Local: UNIT- Farolândia – Aracaju (SE)
Mais informações: www.csgp.pmise.org
 

Rio Grande do Norte se torna o maior produtor de energia eólica do Brasil

Posted on Updated on

O Rio Grande do Norte segue como principal produtor de energia eólica no País. No primeiro semestre de 2015, as usinas potiguares registraram 650 MW médios de energia, montante 142,6% maior do que o produzido nos seis primeiros meses do ano passado.

As usinas eólicas brasileiras aumentaram em 114% a produção de energia no primeiro semestre de 2015. De acordo com levantamento da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, a geração média nos seis primeiros meses deste ano foi de 1.840 MW médios frente aos 860 MW médios alcançados no mesmo período do ano anterior.

Na sequência, aparece a Bahia, que triplicou sua geração eólica, com 406 MW médios (+297%), o Ceará com 362 MW médios (+48%) e o Rio Grande do Sul com 287 MW médios, aumento de 91% em relação ao montante gerado no mesmo período de 2014.

A geração eólica também ganhou mais representatividade na matriz energética brasileira neste primeiro semestre. No fim de junho do ano passado, a fonte era responsável por 1,4% do total gerado de energia no Sistema Interligado Nacional – SIN. Atualmente, ela representa 3% de toda a energia produzida.

A capacidade instalada das 244 usinas eólicas cadastradas na CCEE chegou a 6.211 MW ao final do primeiro semestre de 2015. O crescimento é de 60%, em relação ao mesmo período do ano passado, quando a capacidade das 156 instalações em operação era de 3.891 MW. Os dados consolidados da CCEE apontam que o Rio Grande do Norte com 2.104 MW também segue na liderança em capacidade instalada da fonte, seguido por Ceará (1.301 MW), Rio Grande do Sul (1.300 MW) e Bahia (959 MW).

raking

Rede de grãos torrados busca franqueados na região Nordeste

Posted on

nutbaA Nutty Bavarian – rede especializada em grãos torrados e glaceados – está procurando novos empreendedores na região Nordeste, em especial nas cidades de Salvador (BA), Recife (PE), Fortaleza (CE) e Aracajú (SE). A rede, que atualmente conta com 117 unidades em operação em todo país, já possui quatro pontos na região marcando presença em Alagoas, Maranhão, Paraíba e Rio Grande do Norte. Cada loja ativa recebe em média 3000 consumidores por mês.

“Temos muito interesse em crescer no Nordeste, pois entendemos que é um local com grande potencial para a Nutty Bavarian. Além de possuir um público que aprecia a qualidade e o sabor diferenciado das nuts (amêndoas, nozes, pecan, amendoim, pistache, avelã e castanha de caju), somado a isso, a região aponta um ótimo desenvolvimento sócio econômico e com vários empresários promissores, o que nos motiva a prospectar fortemente o local”, comenta Adriana Auriemo diretora da Nutty Bavarian.

Sobre a NUTTY BAVARIAN:
A Nutty Bavarian é uma empresa especializada em amendoins, castanhas, nozes, amêndoas, avelãs e outros grãos glaceados e torrados. No Brasil desde 1996, a marca atua com franquias de quiosques de baixo investimento, divididas em três modelos de negócios: Standard (taxa de franquia a partir de R$ 80 mil reais) e Premium (taxa de franquia de R$ 85 mil reais). Atualmente, a rede conta com 117 quiosques distribuídos em 16 estados mais o Distrito Federal.