Startup implanta sistema de gestão e segurança no Porto de Suape, em Pernambuco

Posted on Updated on

Suape procura um parceiro privado para se reposicionar

A NavalPort, startup 100% brasileira e investida do BMG UpTech, acaba de implantar um inédito Sistema de Gestão e Segurança de Navios no Porto de Suape, em Recife (PE). A primeira atracação monitorada pela ferramenta ocorreu no início de maio, no PGL 3B, sendo considerada um importante marco para a tecnologia nacional portuária. Além de possibilitar mais eficiência em todo o processo de manobras e uma grande economia para as empresas, o contrato assinado com a Engecampo Industrial e a Petrobras reforça a relevância do ecossistema de inovação nacional e abre caminho para que outras startups tenham a oportunidade de ingressar nesse mercado ainda conservador.  

O CEO da NavalPort, Marcos Santiago, explica que a solução implementada monitora, por meio de sensores, as embarcações no mar desde o planejamento até a chegada ao porto, incluindo o tempo de aproximação, estadia e manobra. “Amplia toda a gestão do fluxo, o que é fundamental, especialmente no caso de petroleiros, em que o nível de segurança precisa ser mais elevado. Além disso, a plataforma agrega funcionalidades de inteligência que auxiliam na redução do tempo de permanência da embarcação no Porto, que é a parte mais cara de todo o processo de navegação”, detalha.

Ele destaca que o sistema ainda reduz a chance da realização de obras estruturais prematuras no Porto de Suape, podendo aumentar a vida útil da estrutura de cais em cerca de 10 anos – uma economia em torno de R$ 10 milhões a R$ 15 milhões. “Isso porque, até agora, não há nenhum controle. Então, diversas manobras ocorrem com a velocidade de toque ligeiramente acima dos limites estipulados para o berço, acumulando microdanos estruturais que comprometem a vida útil de toda estrutura”, argumenta.

Já a Petrobras poderá gerar redução até US$ 10 mil nos custos globais de toda a cadeia para cada 30 minutos que forem reduzidos na estadia (tempo de espera por uma vaga), conforme dados do Porto de Roterdã, na Holanda. “A ideia é que a nossa plataforma possa integrar todos os players envolvidos e agilizar o processo de estadia em uma a duas horas em 12 meses”, completa. Santiago reforça que a ferramenta desenvolvida é definitiva e, portanto, está pronta para implantação em outros terminais e para monitoramento de todo tipo de navio, como cruzeiros e transporte de grãos.

Especializada em tecnologia portuária, a NavalPort foi fundada em 2015 e deverá ganhar mais visibilidade, inclusive internacional, após esse contrato com a Petrobras.

Ciro Gomes lança livro hoje em evento digital

Posted on Updated on

Ciro foi para 'Paris' porque plano petista era associá-lo à derrota

Novo livro de Ciro Gomes será lançado em live no sábado, 30 de maio, às 17h, com apresentação da obra pelo autor e conversa com a jornalista Mara Luquet. Projeto Nacional: O dever da esperança, livro inédito de Ciro Gomes, é um convite para debater racionalmente o país que somos e que desejamos ser. O lançamento será neste sábado, 30 de maio, às 17h, em live nos canais do autor e da editora LeYa Brasil no YouTube.

Em conversa com a jornalista Mara Luquet, Ciro vai apresentar a nova obra, que define como sua “contribuição pessoal a uma reflexão inadiável sobre o Brasil, as raízes de seus graves problemas e as pistas para sua solução”. A frase, presente na introdução do livro, reflete o espírito de Projeto Nacional e de seu autor: não só oferecer um diagnóstico das principais questões que atrapalharam o nosso desenvolvimento com democracia, liberdade e justiça, como também apresentar um vasto conjunto de ideias capazes de direcionar o Brasil rumo a um futuro desejável.

É o que Ciro Gomes chama de um novo Projeto Nacional de Desenvolvimento – ele segue a linha de pensadores do nacional-desenvolvimentismo, de que, para superar o atraso e a desigualdade, não basta crescimento econômico: é necessário criar condições para promover a justiça social, reparar dívidas históricas com o próprio povo, gerar oportunidades menos desiguais e, ao mesmo tempo, garantir dinamismo a este gigantesco mercado interno chamado Brasil. Feito um caixeiro-viajante, Ciro Gomes vem, há muitos anos, percorrendo o Brasil, apresentando ideias como palestrante, político, candidato a cargos eletivos e estudioso dos problemas do país.

Ciro tornou-se uma das vozes mais relevantes no debate público atual. Assim, seu livro sintetiza a proposta que vem fazendo Brasil afora durante esse período que considera dramático na história brasileira, que vai dos anos do governo de Dilma Rousseff e Michel Temer ao começo da gestão de Jair Bolsonaro: escapar da polarização que restringe o país a dois lados antagônicos que não dialogam e bloqueiam qualquer debate racional sobre os problemas a combater e as soluções a encontrar.

A maioria dos brasileiros, ele lembra, espera e merece mais do que essa polarização irracional. De maneira esclarecedora, Ciro percorre quase um século de história econômica e política para produzir seu diagnóstico de como interrompemos o sonho do desenvolvimento – de Vargas ao golpe de 1964, da hiperinflação dos anos 1980 ao Plano Real, da devastação promovida pelo neoliberalismo às crises na política e na economia que geraram a queda do PT e a ascensão da extrema direita. A partir daí, ele enumera diversos pontos que considera fundamentais para um Projeto Nacional de Desenvolvimento, abordando questões como o papel do Estado, impostos, educação, cultura, meio ambiente, superação da pobreza, a agenda necessária de reformas, segurança e a defesa da democracia. 

Em Projeto Nacional: O dever da esperança, Ciro Gomes oferece um roteiro de trabalho para devolver ao Brasil a esperança, a possibilidade de voltarmos a acreditar na política como uma forma de chegar a um futuro melhor. São ideias expostas para serem debatidas – a cortina aberta para a divergência civilizada que busca não destruir o inimigo, mas (re)construir uma nação por meio do consenso.  Projeto nacional: O poder da esperançaAutor: Ciro GomesEditora: LeYa BrasilPáginas: 274Preço: R$ 49,90Lançamento: Sábado, 30 de maio, às 17h, nos canais /cirogomesoficial e /leyabrasil no YouTubeLink para compra: https://www.amazon.com.br/Projeto-Nacional-Esperan%C3%A7a-Ciro-Gomes/dp/655643003X

Roberto Cláudio reforça continuidade do isolamento social em Fortaleza

Posted on Updated on

prefeito de perfil falando

O prefeito Roberto Cláudio reforçou, em transmissão ao vivo nas redes sociais na Internet, que o isolamento social deve permanecer em Fortaleza. Embora esteja prevista a retomada das atividades econômicas de menor risco sanitário a partir desta segunda-feira (01/06), o isolamento ainda segue sendo a melhor medida para conter a pandemia do novo coronavírus.

“A redução na procura pelos Postos de Saúde, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e de casos graves só foi alcançada graças ao tempo do isolamento social. É um esforço que traz preocupações, angústias e desconfortos, mas neste momento, o mundo tem caminhado nessa direção e, em Fortaleza, o isolamento tem se mostrado o melhor custo-benefício e mais eficiente para salvar a vida das pessoas”, enfatizou.

O prefeito também ressaltou que o índice de redução de fluxo de carros no período de isolamento social rígido atingiu uma média diária de 51% na Capital, e a demanda do transporte público também caiu, em média, 79%. “A gente vai precisar continuar com esse esforço. Se a gente afrouxar, os casos voltam a subir de novo”, disse.

Mais detalhes sobre a nova etapa de isolamento social deverão ser divulgadas neste sábado (30/05), após reunião com representantes do Governo do Estado do Ceará.

Ações sociais

Roberto Cláudio destacou que já foram mais de 2 milhões de máscaras distribuídas gratuitamente por meio do programa Máscara Para Todos. A ação, resultado de parceria com o Governo do Estado do Ceará e instituições privadas, beneficia costureiras comunitárias, tendo sido 80% delas já beneficiadas com os recursos da confecção. Ao longo do mês de junho, mais 1 milhão de máscaras ainda devem ser distribuídas em locais estratégicos, como terminais de ônibus e escolas.

Outra iniciativa que vem oferecendo auxílio aos fortalezenses mais vulneráveis é o programa Comida em Casa, que já distribuiu 6.500 toneladas de alimentos em toda a Cidade, seja por meio de cestas básicas ou kits de alimentação escolares. Na oportunidade, o Prefeito agradeceu aos órgãos municipais envolvidos no planejamento e execução da ação.

Mobilidade sustentável

Conforme Roberto Cláudio, um novo plano de mobilidade sustentável, que será apresentado a partir da próxima semana, será imprescindível para a adaptação dos serviços públicos, de forma progressiva, à nova realidade pós-pandemia da Covid-19.

O planejamento engloba a diversificação no funcionamento do transporte público baseada em novos horários de atividades econômicas; o aumento da malha cicloviária permanente e temporária, bem como da rede Bicicletar, visando criar uma maior adesão como meio de transporte para o trabalho; e o incentivo da caminhada como meio de locomoção para trajetos curtos, com segurança e iluminação.

“Em vários locais do mundo, criaram-se facilidades para esse processo de retomadas. A vida tem que ser adaptada à nova realidade até o aumento da imunidade a 60% da população ou até o surgimento da vacina”, explicou.

Edital Somos Um

O Prefeito também destacou a abertura do novo edital pela instituição de terceiro setor Somos Um, em parceria com a Unifor e a Prefeitura de Fortaleza. O intuito é identificar startups e ideias criativas que utilizem a tecnologia para auxiliar a retomada da economia na Capital.

Postos abertos neste fim de semana

Por fim, Roberto Cláudio ressaltou que, neste fim de semana (30 e 31/05), a Prefeitura seguirá mantendo o funcionamento de 12 Postos de Saúde. A medida expande as portas de entrada para o sistema público de saúde e reforça as ações em execução direcionadas ao combate à Covid-19 no âmbito municipal.

Caucaia tem 776 pacientes curados do Covid-19

Posted on Updated on

/admin/view/noticia/img/20200529152857coronavirus_recuperados.jpg

O município de Caucaia, no Ceará, um dos mais importantes da Região Metropolitana de Fortaleza, registrou 776 pessoas curadas do novo coronavírus, o que representa 60,48% do total de 1.283 casos confirmados. Os dados foram divulgados pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Ao apresentar sintomas leves, o paciente deve ir a qualquer unidade de saúde onde será avaliado por um médico ou enfermeiro. Caso seja de grupo de risco e apresente os sintomas por mais de 10 dias, ele realiza o teste rápido para diagnóstico da doença. A Prefeitura de Caucaia disponibilizou em toda a rede de saúde do município os testes rápidos. Mais de 3 mil já foram realizados.

Após confirmação, o paciente recebe medicamentos e segue para isolamento residencial que devem durar 14 dias. O acompanhamento do paciente é feito diariamente via telefone por profissionais da saúde que compõe a Equipe de Saúde da Família. “Quando encerra o prazo de isolamento e o tratamento, além de não apresentar mais nenhum sintoma, o paciente é considerado recuperado”, conta a coordenadora da Atenção Primária do Município de Caucaia, Vilalba Carlos. 

Em estado de Conferência Nacional de Cultura

Posted on Updated on

Artigo do secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba:

Fabiano dos Santos é o novo secretário da Cultura do Ceará

Tenho dito que estamos em estado de conferência nacional de cultura. Um estado de espírito, um estado de ânima e um estado político de encontro e movimento.

Num contexto de isolamento social, nem nós esperávamos por isso. Emergiu de uma mobilização emergencial em torno de um projeto de lei de iniciativa das formidáveis Benedita da Silva e Jandira Feghali e foi ganhando corpo sensível e político com força e ternura, reacendendo um tanto de encantamento pela cultura e um caldo de resistência por meio da arte. A arte é o que resiste, já pensou Deleuze. Assim, assado, estamos também em estado de resistência. A cultura está viva. A Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc é fruto de uma construção social e autoria coletiva.


Gosto de pensar a cultura como saber/fazer comum, portanto, a cultura como solidariedade e elemento (água, terra, fogo e ar) de transformação de vidas e transgressão de realidades.

O que estou querendo dizer é que este estado de conferência nacional de cultura é um ato político solidário para com o Brasil. Cabe a nós manter essa chama acessa como uma chamada que vai além do emergencial, pois a execução desta lei é estratégica para as políticas culturais. Ela exige de nós um plano de gestão nos estados e municípios numa ação integrada com os conselhos estaduais e municipais de cultura, com os fóruns de linguagens artísticas e dos segmentos culturais, com as redes do Cultura Viva e Pontos de Cultura e com os coletivos espalhados pelo país.

Estamos diante de uma oportunidade real de desenvolver o Sistema Nacional de Cultura e a ideia de um MinC Popular parece ser potente. Com a sua extinção, o MinC somos nós. Não podemos fazer feio e tampouco falhar. Temos que ser exemplares na execução, nos resultados e impactos da aplicação da lei nos estados e municípios como uma ação primordial dos artistas, agentes e espaços culturais existentes e resistentes no Brasil.


A cultura – como traduziu tão lindamente Alexandre Santini ao celebrar a Lei Aldir Blanc – é a esperança equilibrista. E equilíbrio é a força que age entre duas ou mais coisas ou pessoas. A cultura é no mínimo dois, nos lembrou Gilberto Gil. E assim de novo estamos conjugando no plural. Com força e ternura, como recorda Célio Turino. Pois bem, as tecelãs estão na teia, o baião tá pisando o barro do chão, o samba tá trovejando, o toré tá chamando a força, a capoeira tá na roda e a ciranda tá girando. E pra dançar ciranda – na voz de trovão de Lia de Itamaracá – juntamos mão com mão.

Noutras palavras, ninguém solta a mão de ninguém. A democracia está sob ataque e a cultura tem um papel central para seu exercício pleno e para soberania nacional. Não podemos nos distrair nem desmobilizar nosso estado de espírito político de conferência nacional de cultura. Tolo de quem pensa que só estamos lutando por uma lei emergencial. Em nós ecoa os Doces Bárbaros: com amor nos corações preparamos a invasão (da cultura) cheio de felicidades, entrando em nossas cidades amadas, pois nossos planos são muitos bons!

A Coluna do Roberto Maciel (30.05 – sábado)

Posted on Updated on

O troco do @CapitãoWagner não está no gibi: é só ficar na retranca

Capitão América' enfrenta a Justiça Eleitoral em Fortaleza ...

Foto: O Globo

Ontem (sexta, 29.05), o deputado federal cearense Wagner Sousa (Pros), pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, reagiu a à acusação, feita pelo Ministério Público Estadual em nota assinada pelo procurador-geral, Manuel Pinheiro de Freitas, de que está criando e espalhando notícias falsas. Ele e um delegado de Polícia Civil sem expressão no noticiário, chamado Henrique Silva. Wagner – que já havia sido derrotado na eleição municipal de 2018 – produziu em vídeo um texto longo e até maçante para se defender, mas que nem por isso deve deixar de ser visto. Vamos aqui a uma metáfora de futebol: Wagner, um flamenguista nascido em São Paulo, deixou de ser atacante, posição cômoda para um parlamentar, visto o instituto da imunidade, para ficar na retranca. O jogo mudou, pode-se afirmar. Veja o vídeo na página do deputado no Facebook.

Resposta fake
Diante do que Wagner fala, é necessário reler a nota do Ministério Público. Diz lá que “No (…) dia 11/05/2020, o coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público (CAODPP) (…) recebeu uma notícia de fato encaminhada pelo deputado federal Capitão Wagner, tratando dos mesmos fatos, tendo feito o devido e imediato encaminhamento para que o caso fosse distribuído entre os promotores naturais, bem como, no dia seguinte, informando ao parlamentar o número do processo eletrônico, de modo a permitir o seu acompanhamento”. Sendo isso real, destaca-se uma fratura ética em três momentos: 1. Wagner Sousa, representante do Poder Legislativo, com mandato popular, teria encaminhando solicitações a um órgão executivo, a Procuradoria Geral da Justiça do Ceará, que tem finalidade de fiscalização; 2. A PGR teria acusado o recebimento e remetido a o deputado resposta oficial e ordinária sobre as medidas tomadas; 3. Wagner teria ignorado a resposta da PGR mesmo a conhecendo, optando por fazer uma “denúncia” midiática que mancha a imagem do Ministério Público Estadual. É grave.

Cenário

Sobre o delegado, é interessante notar que ele gravou vídeo ostentando um brilhoso distintivo oficial e diante de um banner com logomarcas da Polícia Civil do Ceará – dando aos incautos a impressão de que estava a serviço -, além de ter feito outras aparições com a simbologia bolsonarista, o que deixa nítidos os interesses eleitorais que alimenta. Por respeito à instituição, às normas de conduta e à inteligência das pessoas, deveria se abster de gerar essa confusa situação. Depois, gravou outro vídeo choramingando mágoas por ter sido afastado das funções que exercia.

Gabinete do Ódio: representação das fake news paga com dinheiro público
É lamentável reconhecer, mas ao que parece as fake news – “notícias falsas”, em bom português – se reciclaram no cenário atual ao ponto de se tornarem estratégias obrigatórias para grupos políticos. Vieram para ficar, embora já existisse no panomara nacional havia mais de um século. Quer prevalecer? Pois monte estruturas de fake news! Quer chegar aos seus públicos com eficiência? Institua, então, métodos para criar informações. O “Gabinete do Ódio”, que a oposição diz existir em sala contígua à do presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto, seria, então, uma representação concreta desse momento preocupante. O levantamento de informações sobre o funcionamento dessa usina de mentiras, feito pelo STF e pela Polícia Federal, traça um quadro aterrador. Saber que há um mecanismo dessa natureza funcionando no centro do Poder do País e a serviço do governante maior é, sem tirar nem por, uma tragédia. Essa é a má notícia.

Questão de ordem, companheiro!
A boa notícia é que existem acenos do que seria uma reação civil a esse tipo de manobra criminosa. O apoio que se tem visto em redes sociais na Internet ao inquérito do Supremo Tribunal Federal que trata do assunto é um sinal muito positivo. O fato de haver no Ceará e outros estados leis que punem a produção e a disseminação de fake news é igualmente animador. Verificar na pauta do Senado uma lei (que deverá ser votada na próxima terça-feira, 2 de junho) que prevê sanções para fabricantes de mentiras mostra um novo horizonte para a sociedade.

Diferenças entre cenários

Apoiadores do presidente exibem faixa com os dizeres “Somos todos ...

Alguém precisa avisar urgentemente aos seguidores do presidente Jair Bolsonaro e aos marqueteiros que tentam turbinar as esquálidas manifestações em defesa de golpe militar, do fechamento do Supremo Tribunal Federal, da cassação e prisão de deputados, entre outras besteiras, que muito os diferencia das chamadas “vivandeiras dos quarteis”. Suas marchas não se comparam. As “vivandeiras” assombraram há 56 anos a inteligência nacional. E, assim como as da década de 1960, as réplicas de hoje pouca afeição demonstram ter aos mais elementares sustentos da democracia. Também são propagadoras de discursos de ódio e de intolerância. São, ainda, espalhadoras de mentiras. Mas certamente as semelhanças param por aí. As de antigamente eram enfaticamente submetidas e dirigidas pela mídia golpista – que, hoje sem respeito nenhum, tem sido xingada de “lixo”. Antes, os atos expunham nomes proeminentes da religião, das Forças Armadas, dos parlamentos e do Judiciário, porém hoje são apenas um monturo de lambe-botas alucinados em videozinhos de rede social. Outrora, somavam milionários e outros tubarões do capitalismo e agora só atraem protozoários da riqueza. A guinada medieval do Brasil é real e perigosa, deve-se admitir, mas os bobos da corte da era Bolsonaro não passam de bufões.

Artigo | As manifestações de apoio a Bolsonaro tentaram | Opinião

Cara a tapa
Face exposta da ala bolsonarista na Assembleia Legislativa do Ceará, o deputado Francisco Cavalcante (PSL) – o vulgo “delegado” – andou reclamando de colegas que consideraram o presidente Jair Bolsonaro como “desqualificado” e “fascista”.

Sim, por quê?
E saiu-se com essa: “Por que ele é fascista? Porque está moralizando o Brasil? Porque está economizando dinheiro de corrupção e direcionando para os estados e municípios? Chega desse palavreado contra o presidente, vamos resolver nossos problemas que é melhor”.

Bosta e estrume
Bolsonaro chamou, no sisudo ambiente de uma reunião ministerial, governadores e prefeitos de “bosta” e “estrume”. O ministro Paulo Guedes, da Economia, aconselhou a parceira da Família, Damares Alves, a deixar “se fuder” quem a contesta. Abraham Weintraub, o gestor da Educação, classificou como “filhos da puta” e “vagabundos” os ministros do STF.

Elogios
No meio de um palavreado desses, chamar alguém de “desqualificado” e “fascista” pode dar a impressão de que se está tentando adulá-lo. Entenda isso, Cavalcante.

Lista
A área da Secretaria Regional I de Fortaleza tem liderado os indicadores de mortes por coronavírus na cidade. Mas os registros não apontam só essa preocupação com regiões periféricas. O bairro da Barra do Ceará tem avançado no obituário.

Ligados
Essa situação em regiões mais carentes de Fortaleza fizeram com que as autoridades sanitárias acionassem um potente sinal de alerta. Vereadores que atuam em bairros mais distantes do Centro também estão se mobilizando para tentar atenuar os números. “Queremos um mutirão pela vida em toda a cidade”, diz o presidente da Câmara Municipal, Antônio Henrique (PDT).

Empreendedorismo
E em Teresina (PI) o vereador Gustavo de Carvalho (PSDB) conseguiu aprovar envio de requerimento para que os bancos que atuam na capital disponibilizem informações sobre linhas de crédito para pequenos e microempreendedores. Segundo Gustavo, a ideia é “definir estratégias para impulsionar micro e pequenas empresas”.

Dê um alô
Faça contato com o Portal InvestNE pelo e-mail portalinvestne@gmail.com. Se achar melhor, saiba que o número de WhatsApp é +55 85 9638 5129.

“A pandemia pegou em cheio meu fluxo financeiro. E agora?”

Posted on Updated on

Fluxo Financeiro - GestãoClick

A pandemia da Covid-19 abalou a vida financeira de muita gente. Com a instabilidade econômica, boa parte das pessoas perdeu seus empregos, teve seus salários cortados por um tempo ou interrompeu as atividades devido à necessidade do isolamento social. Esse cenário impactou diretamente na capacidade de pagamento das contas mensais, o que tem levado muitos consumidores a viver um período de dificuldades em manter os compromissos em dia.

Para Victor Loyola, empresário do mercado financeiro e cofundador da Consiga+, fintech de crédito consignado privado, é fundamental ter calma neste momento para tomar as melhores decisões. “É importante manter as obrigações em dia, é claro. Porém, não sendo possível, é aconselhável priorizar as despesas em que a suspensão do serviço implica em dano imediato”, analisa. Contas ligadas à prestação de serviços básicos como luz, água, telefone, mensalidade escolar, entre outras, devem fazer parte da lista de despesas a serem priorizadas, de acordo com o empresário.

Loyola aponta que adquirir um empréstimo para saldá-las pode ser uma alternativa, mas é preciso ter alguns critérios. Em primeiro lugar, o consumidor deve avaliar se o seu fluxo de caixa absorve um empréstimo neste momento. “É muito importante elaborar um planejamento para incluí-lo às despesas nos meses seguintes para que isso não se torne um outro problema no futuro”, alerta.

A taxa de juros é outro ponto de atenção. Para obter boas vantagens nesse sentido, a premissa mais importante é manter o nome fora das listas negativa dos birôs de crédito. “Mesmo no caso do crédito consignado privado, que já tem taxas mais baixas e está disponível a negativados, o nome limpo colabora para que a taxa seja a menor possível”, atesta. “Existem muitas empresas financeiras que facilitam o acesso ao crédito, porém cobram uma taxa de juros muito elevada, o que faz com o que a pessoa pague caro demais por isso”.        

Nesse cenário de pandemia, o coCEO da Consiga+ ressalta que muitas instituições estão oferecendo empréstimos aos seus clientes com prazo de carência, o que pode ser uma boa opção para as pessoas que estão com uma dificuldade temporária. “Observa-se bancos disponibilizando créditos para começar a pagar entre 90 a 120 dias. Isso pode ser uma saída interessante, já que o consumidor só terá que iniciar o pagamento após normalizar a sua situção, com um fluxo de caixa parecido ao que era antes do coronavírus”, avalia.

Além de buscar a solução para essas questões, Victor reforça que o momento é propício para fazer um planejamento financeiro. “Sugiro aproveitar essa fase para rever os gastos e entender como será possível encarar os próximos meses, que podem ser difíceis por conta da crise provocada pela Covid-19”, finaliza.

Como criar uma reserva financeira emergencial

Posted on Updated on

Como funciona e como usar o Fundo de Reserva em condomínios ...

A Covid-19 evidenciou a todos que imprevistos acontecem e que muitas pessoas não estavam preparadas para as urgências, principalmente no que se refere à vida financeira. Para isso, Otavio Machado, especialista em educação financeira da Creditas, principal plataforma online de crédito com garantia do Brasil, fala sobre o que é e como fazer e manter uma reserva financeira para ajudar nesses momentos.

“Momentos inesperados acontecem na vida de todos e para passar por eles da melhor forma, é muito importante um planejamento financeiro para se ter um fundo de emergência. Com ele, a pessoa guarda uma quantia para que possa continuar pagando suas despesas por um período, caso deixe de ter a renda prevista. Afinal, ninguém consegue prever uma demissão, gastos extras com remédios ou o pagamento do conserto do carro ou de eletrodomésticos”, aponta Machado. 

Por isso, a educação financeira é muito importante e pode contribuir para que quem não tem o hábito de poupar, aprenda a se planejar. Dados de uma pesquisa feita em março de 2020 pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mostram que 52,1% dos brasileiros não contam com uma reserva de emergência.

Para se ter uma boa reserva emergencial, algumas dicas:

O primeiro passo é analisar e organizar o orçamento mensal ponto a ponto para identificar quais são os gastos essenciais e quais não são. Neste momento, é importante reorganizar dívidas, caso as tenha, entender juros e prazos e identificar se as parcelas estão com valores praticáveis ou se deve-se tentar renegociar. Colocar tudo em uma planilha pode ajudar nessa organização.

Após entender todos os gastos, um método que pode ser usado para entender melhor para onde está indo o dinheiro, é a regra do 50-30-20. Com ela, é possível também se estabelecer uma proporção mensal para cada um dos tipos de gastos:

  • 50% para os gastos burocráticos ou fixos, como as contas de moradia e consumo;
  • 30% para os gastos flexíveis ou de qualidade de vida;
  • 20% para os investimentos no futuro ou construção da reserva de emergência. 

O ideal é fazer os cálculos do quanto essas porcentagens representam no orçamento mensal para manter os valores sempre em mente. Dessa forma, fica mais fácil priorizar como investir o dinheiro.

Quando o salário é mensal, o mais comum para muitas pessoas é pagar primeiro todos os gastos fixos ou de rotina. Em seguida, partem para os gastos flexíveis ou os relacionados com a qualidade de vida. E, enfim, ficam por último, os investimentos no futuro: aquele dinheiro que pode ser reservado para se ter um bom padrão de vida ou realizar um projeto importante.

Porém, o ideal é inverter essa lógica e colocar os investimentos em primeiro lugar, pois, caso haja imprevistos, a pessoa não será pega de surpresa. Em seguida, a qualidade de vida e por último, os gastos burocráticos. Assim, é possível ter mais flexibilidade para fazer uma mudança de vida até ter o ganho mensal novamente.

Uma reserva financeira deve contemplar entre três e seis meses dos custos fixos, pois isso dá maior segurança em casos inesperados, mas, quanto maior for essa reserva, mais segurança terá. No caso de pessoas que têm uma remuneração variável, é importante que a reserva seja ainda maior por não contar com auxílios, como o seguro desemprego e o fundo de garantia para conseguir manter o pagamento de suas contas.

Um fator importante a ser destacado é que ao conseguir criar uma reserva financeira, muitas pessoas acabam a usando para outros recursos, como viagens e passeios. Porém, a ideia de se ter uma reserva de emergência é para que seja usada justamente em momentos inesperados e em que a renda tenha acabado ou diminuído. Os recursos destinados a lazer devem ser planejados antecipadamente. “Caso apareça uma oportunidade de lazer com muito desconto, se pago à vista, pode valer a pena usar a reserva, mas após esse evento, a prioridade total deve ser repor a quantia gasta” completa.

E por fim, a preservação do valor da reserva pode garantir um crescimento na quantia, se bem aplicada. A alternativa é escolher por uma opção de investimento que não tenha baixo rendimento e sim aquelas que deixem o que foi poupado ainda mais rentável, garantam o resgate imediato, tenham um baixo risco por conta das oscilações do mercado e uma baixa taxa de administração.

Algumas das opções mais indicadas são o Tesouro Selic (LFT) e fundos de Renda Fixa Referenciados DI Simples. 

#SalveOsPequenos ultrapassou a marca de 6 mil negócios cadastrados

Posted on Updated on

Salve os Pequenos - Posts | Facebook

Lançado no fim de março, o projeto Salve os Pequenos (www.salveospequenos.com.br) já conectou seus mais de 6 mil pequenos negócios cadastrados a clientes em potencial em mais de 200 cidades do Brasil. A plataforma já recebeu mais de 250 mil acessos.

“A crescente nos números reflete a intensa busca das PMEs por alternativas para se manterem ativas. Além disso, o ambiente digital tem sido a opção prioritária para a oferta de produtos e serviços neste momento de isolamento social. Esse período certamente é de adaptação para muitos empreendedores. Por isso, é importante apoiá-los para atravessar esta crise da forma mais saudável possível. O Salve os Pequenos assumiu este compromisso e se manterá ativo até que se tenha indícios da retomada segura das atividades econômicas”, afirma Bruno Dilda, diretor de negócios da Azulis, marca do grupo Red Ventures que desenvolveu o projeto de forma pro bono.

Esta realidade é confirmada por pesquisas recentes, como a divulgada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a qual revela que a quarentena foi responsável por impulsionar a abertura de mais de 100 mil lojas online no Brasil. O casal Gisele Padin e Marcello Santos, proprietários da Las Padin, é um exemplo de como essa transição para o digital ajudou a manter o empreendimento ativo.

Fornecedores de empanadas e tortillas para cafés e restaurantes, o casal viu na plataforma online Salve os Pequenos uma oportunidade de continuar vendendo: “Ficamos muito preocupados com a pandemia, porque vários cafés fecharam portas. Só que aí a gente se reinventa né? Buscamos informações na internet e encontramos o Salve os Pequenos. Depois que a gente cadastrou a Las Padin começamos a ter muitos clientes novos”.

Para contribuir com empresários que tiveram que mudar sua estratégia de negócio por conta da pandemia, como foi o caso da Las Padin que passou a focar no consumidor final, o Salve os Pequenos utiliza as redes sociais (@salveospequenos) para compartilhar dicas, histórias inspiradoras e entender as necessidades dos donos de pequenos negócios neste momento.

Como funciona na prática

O Salve os Pequenos tem como missão conectar pequenos negócios, principalmente aqueles que dependiam – antes da pandemia – de estabelecimentos físicos para fazer suas vendas, com clientes em potencial por meio de uma plataforma online prática e intuitiva, sem a cobrança de taxas. Feirantes, pequenos mercados, docerias, donos de lojas de roupa ou de artigos para festas, por exemplo, podem se cadastrar gratuitamente e fazerem parte do catálogo. 

Para isso, é necessário dizer a categoria de serviço e produtos oferecidos, em quais bairros e cidades estão fazendo a entrega e os contatos pessoais. Dessa forma, o usuário consegue filtrar e ver quais são as opções entregues em sua localidade, por meio de uma funcionalidade com mapa, e contatar diretamente o pequeno empreendedor para fazer a compra via aplicativo de troca de mensagens ou rede social.

Procurador acusa deputado @CapitaoWagner e delegado de espalharem notícias falsas contra Ministério Público

Posted on

oco :: Rádialista Rogério Palhano :: Ipu em F

O procurador-geral de Justiça do Ceará, Manuel Pinheiro, publicou Nota Pública nesta sexta-feira (29/05) para restabelecer a verdade e esclarecer a população cearense acerca de uma série de notícias falsas divulgadas em redes sociais pelo deputado federal Capitão Wagner e pelo delegado de Polícia Civil Henrique Silva sobre o trabalho da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP). O caso veio à tona após as denúncias de supostas irregularidades na compra de respiradores mecânicos pela Prefeitura Municipal de Fortaleza. Leia a nota na íntegra: 

NOTA PÚBLICA 

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), após ter ciência de que o deputado federal Capitão Wagner e o delegado de Polícia Civil do Ceará Henrique Silva publicaram informações falsas em vídeos publicados nas redes sociais, ofendendo os seus membros e atacando a Instituição, vem a público esclarecer:     

1) Que vários membros do MPCE tomaram conhecimento dos vídeos publicados pelo parlamentar no dia 09/05/2020 e pelo delegado no dia 10/05/2020, nos quais foram noticiadas suspeitas de irregularidades na contratação, com dispensa de licitação, de uma empresa para fornecer ventiladores mecânicos para a Prefeitura Municipal de Fortaleza, logo que os mesmos passaram a circular nas redes sociais e nos grupos de mensagens instantâneas; 

2) Que alguns destes membros do MPCE decidiram encaminhar os vídeos em questão para que as Promotorias de Justiça com atribuições legais para investigar os fatos noticiados pudessem decidir sobre a abertura de procedimentos administrativos; 

3) Que entre os membros que tiveram a iniciativa espontânea de enviar os vídeos em questão para serem examinados pelos promotores que possuíam atribuições legais para investigar os fatos estão a coordenadora da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP) e o coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal (CAOCRIM), sendo que ambos adotaram tal providência no dia 11/05/2020; 

4) Que, no mesmo dia (11/05/2020), o coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público (CAODPP) também recebeu uma notícia de fato encaminhada pelo deputado federal Capitão Wagner, tratando dos mesmos fatos, tendo feito o devido e imediato encaminhamento para que o caso fosse distribuído entre os promotores naturais, bem como, no dia seguinte, informando ao parlamentar o número do processo eletrônico, de modo a permitir o seu acompanhamento; 

5) Que as referidas notícias de fato, tanto as de iniciativa própria da coordenadora da PROCAP e do coordenador do CAOCRIM, quanto a endereçada pelo parlamentar ao coordenador do CAODPP, foram encaminhadas para a Secretaria das Promotorias de Justiça Cíveis do Patrimônio Público;       

6) Que, no dia 13/05/20, o primeiro oficio de remessa dos vídeos, que havia sido enviado pelo coordenador do CAOCRIM, foi distribuído entre os promotores de Justiça do Patrimônio Público, tendo sido atribuído ao titular da 23ª Promotoria de Justiça de Fortaleza, que tornou-se prevento para atuar nas demais notícias de fato sobre a mesma questão; 

7) Que o titular da 23ª Promotoria de Justiça de Fortaleza decidiu instaurar um procedimento administrativo, visando apurar as noticiadas suspeitas de irregularidade na contratação, com dispensa de licitação, de uma empresa para fornecer ventiladores mecânicos para a Prefeitura Municipal de Fortaleza e também um possível uso indevido de meios, símbolos e insígnias do Governo do Estado por parte do noticiante, que se apresentara no vídeo como delegado de Polícia Civil; 

8) Que, para instruir o referido procedimento, o promotor de Justiça responsável pelo caso adotou como providências iniciais:  

8.1.) Intimar o representante legal do Município de Fortaleza da abertura do procedimento;  

8.2.) Determinar a realização de pesquisa sobre a empresa e os seus sócios nos bancos de dados públicos;  

8.3.) Requisitar que a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza enviasse a documentação completa referente ao procedimento de dispensa de licitação, garantia e processos de pagamento;  

8.4.) Intimar a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza para apresentar informações, justificativas e documentos que fossem reputados pertinentes para esclarecer os fatos em apuração;  

8.5.) Requisitar da empresa contratada a apresentação de pelo menos três cópias de contratos semelhantes de vendas realizados na mesma época para outros entes públicos, bem como de cópias das notas fiscais das compras dos equipamentos;   

8.6.) Determinar a realização de diligências visando a confirmação da identidade do noticiante, através de contato com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado, instando ainda que a pasta governamental emitisse manifestação sobre o possível uso indevido de meios, símbolos e insígnias do Governo do Estado por parte deste; 

9) Que as providências adotadas pelo titular da 23ª Promotoria de Justiça são necessárias para a devida e completa elucidação dos fatos investigados e estão de acordo com as normas legais e regulamentares que disciplinam as formas e os prazos dos procedimentos administrativos desta natureza;  

10) Que, mesmo tendo tido acesso a uma cópia do processo administrativo, no qual estavam registradas todas as providências já adotadas pelo titular da 23ª Promotoria de Justiça para apurar as suspeitas de irregularidades na contratação (itens 8.1. a 8.5., acima), o parlamentar e o delegado gravaram um outro vídeo, no qual afirmaram falsamente que o Ministério Público, ao invés de apurar os fatos alegadamente ilícitos, estaria investigando  e perseguindo o noticiante; 

11) Que, além disso, o parlamentar afirmou falsamente que a PROCAP teria destacado um promotor para investigar o noticiante, ao invés de investigar as irregularidades na contratação dos ventiladores mecânicos por ele apontadas, numa tentativa de coagir as pessoas para que elas parassem de denunciar irregularidades; 

12) Que, na verdade, a atuação da 23ª Promotoria de Justiça de Fortaleza na apuração dos fatos não derivou de qualquer designação da PROCAP, até porque não havia relato de envolvimento de autoridades com prerrogativa de foro, sendo uma decorrência do processo regular, aleatório e impessoal de distribuição dos feitos entre os membros da Instituição que têm a mesma atribuição legal para apurar fatos desta natureza;   

13) Que a iniciativa espontânea da coordenadora da PROCAP de gerar uma notícia de fato, logo ao tomar conhecimento dos vídeos, e encaminhá-la para quem tivesse atribuição legal para apurá-la é uma demonstração cabal de que a chefe do órgão estava atenta e vigilante, como sempre esteve, para a apuração de qualquer suspeita de irregularidade, mesmo que não afeta diretamente ao seu mister;    

14) Que o Ministério Público do Estado do Ceará está apurando todas as notícias de irregularidades na aplicação dos recursos públicos durante o estado de calamidade resultante da pandemia do novo coronavírus, já tendo instaurado dezenas de procedimentos para atingir esta finalidade;  

15) Que a apuração dos fatos relacionados com a contratação de ventiladores mecânicos continuará sendo feita de forma isenta e responsável pelo titular da 23ª Promotoria de Justiça de Fortaleza, sempre visando a descoberta da verdade e com respeito às normas constitucionais e legais que regem a atividade do Ministério Público; 

16) Que é lamentável que dois servidores públicos tenham usado as redes sociais para fazer afirmações falsas, posto que ambos sabiam que a contratação dos ventiladores mecânicos estava sendo devidamente investigada pela 23ª Promotoria de Justiça de Fortaleza, porque isso estava claro e evidente no procedimento administrativo ao qual tiveram acesso; 

17) Que nada justifica que dois servidores públicos tenham usado as redes sociais para colocar a população contra uma Instituição como o Ministério Público do Estado do Ceará, que é formada por profissionais sérios, honrados e competentes, que têm trabalhado de forma corajosa e incansável, ao longo dos últimos anos, arriscando as próprias vidas para proteger o patrimônio público contra a corrupção e para tutelar outros interesses difusos e coletivos igualmente relevantes para a sociedade; 

18) Que a luta histórica do Ministério Público do Estado do Ceará contra a corrupção sempre foi e continuará sendo pautada pelo respeito à Constituição e às leis e jamais por pressões ou interesses políticos e econômicos.            

 Fortaleza, 29 de maio de 2020 

Manuel Pinheiro Freitas, procurador-Geral de Justiça