Plataforma facilita interação entre advogados e clientes

Posted on Updated on

Quando surge a necessidade de se contratar um advogado, burocracia, morosidade e palavras complicadas em contratos longos vêm à tona no pensamento de muitos brasileiros. Em seguida, surge o martírio de selecionar o profissional mais confiável e capacitado em meio a um oceano de opções. Foi pensando em resolver situações como essas que a lawtech Roundlaw iniciou sua operação no Brasil, no ano passado. Atuando em São Paulo, Rio e Brasília, a plataforma conecta os cinco advogados mais inovadores e os cinco mais renomados de diversas especialidades aos seus potenciais clientes.

A empresa surge para resolver um problema crônico: a escolha do advogado ideal entre mais de 1 milhão de profissionais ativos no país, o que dá um advogado para cada 209 brasileiros, segundo dados da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O número é superior, por exemplo, a mercados mais desenvolvidos, como EUA e Reino Unido, que possuem respectivamente proporção de um profissional a cada 246 e 354 pessoas. “Ao selecionarmos os cinco melhores dentro de cada área, conseguimos separar o joio do trigo. Ou seja, resolvemos a dificuldade das empresas e pessoas físicas na busca por advogados realmente qualificados em suas especialidades, além de retirar a necessidade das indicações pontuais de amigos, colegas de trabalho e familiares, que muitas vezes são inapropriadas para a situação exigida no momento”, informa Gabriel Oliveira, CEO da Roundlaw no Brasil.

Para utilizar o serviço, o executivo explica que o visitante deve iniciar a busca no site optando por um dos dois tipos de perfis. O primeiro, batizado de ‘Market Recognition’, reúne cinco advogados de cada especialidade com ótima reputação em seu mercado, isto é, os mais consagrados de cada cidade. Na opção ‘Roundlaw Selection’, estão listados profissionais escolhidos mediante critérios específicos definido pela Roundlaw. “Vale lembrar que ambos os grupos de advogados contam com ampla capacidade de comunicação, proximidade e engajamento com os clientes, especialização comprovada e proficiência em línguas estrangeiras. Ou seja, estão na vanguarda do Direito”, argumenta o executivo.

Vale ressaltar que para integrar o segundo grupo, o Roundlawyer – título dado aos selecionados – precisa passar pelo crivo da equipe de inteligência de mercado da startup, composta por headhunters especializados no mercado jurídico e pela devida validação de reputação junto a outros profissionais do mercado. “Além disso, realizamos entrevistas com esses candidatos para verificar o nível de carisma, teste de proficiência de inglês e conhecer detalhadamente sua experiência profissional. Tudo isso para oferecer um advogado realmente qualificado para atender a demanda dos nossos usuários”, garante Oliveira.

Concebida pela russa Elizaveta Uvarova, do grupo suíço de tecnologia Tech Vanguard, a ideia foi desenvolvida a partir da sua dificuldade em encontrar advogados qualificados para uma consultoria jurídica altamente confiável, quando pretendia trazer um dos seus empreendimentos ao Brasil há cerca de três anos. “Na época não haviam plataformas semelhantes à nossa com informações a respeito da formação acadêmica e desempenho dos especialistas”, relata. Após isso, ao manter contato com executivos de outras empresas e brasileiros de forma geral, ela constatou a existência da mesma dificuldade. “Há uma grande oferta de profissionais, mas muitos se denominam como o melhor da cidade em um determinado segmento, sem inserir qualquer critério ou referência para utilizar a chancela. Isso nos motivou a criar uma plataforma isenta e que pudesse resolver essa dor de mercado”, complementa.

Lançada em julho de 2018, a Roundlaw já trouxe inúmeras causas aos advogados cadastrados na plataforma. Somadas, elas geram movimentação financeira acima de R$ 10 milhões. “Queremos se tornar uma referência nacional no setor jurídico, impulsionando o networking e a geração de negócios dos profissionais listados em nosso site. Nesse início, tivemos uma receptividade positiva do mercado e acreditamos que temos todos os fundamentos para crescer de forma rápida”, avalia a empreendedora.

Atualmente, a Roundlaw disponibiliza a lista de profissionais de 25 áreas diferentes do Direito em São Paulo. No Rio de Janeiro, são 23 especialidades, enquanto em Brasília há 13. O bem-sucedido trabalho abre portas para a expansão. “No momento o foco é disponibilizar mais especialidades aos usuários nas cidades que já mantemos operação. Após a conclusão desse processo, queremos pouco a pouco disponibilizar a plataforma em outras importantes capitais e, consequentemente, renovar o status quo do marketing jurídico no país. Para 2019, a expectativa é de gerar volume de negócios superior a R$ 60 milhões aos advogados”, conclui Uvarova.

Deixe uma resposta