Esmec promove em Fortaleza seminário sobre contextos jornalístico, político e histórico de 1964

Posted on Updated on

Para discutir as implicações políticas, jornalísticas e históricas de 1964 no Brasil e na América Latina, a Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará (Esmec) promoverá hoje (16 de maio), a partir das 14h, o Seminário 1964: contexto político, jornalístico e histórico.

O evento é gratuito e aberto ao público. Estão convidados a comunidade acadêmica, juristas, estudantes de graduação e pós-graduação, professores e outros profissionais.

Serão ministradas três palestras sob diferentes óticas, proferidas por uma jurista, Isabelle Chehab, uma jornalista, Ângela Marinho e uma historiadora, Adelaide Gonçalves. O desembargador Heráclito Vieira de Sousa Neto, diretor da Esmec, irá abrir o evento, que será encerrado pelo coordenador-geral, Juiz Ângelo Bianco Vettorazzi.

Os participantes que comparecerem terão direito a certificado, correspondente a 5 h/a, emitido pela Esmec. Para realizar a inscrição basta clicar no link e preencher as informações solicitadas.

Programação completa:

Abertura – Des. Heráclito Vieira, diretor da Esmec

14h – Palestra “1964: origens, desdobramentos e legados” .

Isabelle Chehab: Pós-Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Direito Agrário da Universidade Federal de Goiás (PPGDA/UFG). Professora permanente do PPGDA/UFG. Doutora e Mestra em Direito Constitucional pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Atuou como consultora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) na Comissão de Anistia do Ministério da Justiça (CA/MJ) para a Rede Latino-Americana de Justiça de Transição (RLAJT). Membro do Conselho Editorial da Revista Themis (ESMEC/CE).

15h – Palestra “Liberdade de Expressão versus Liberdade de Imprensa no Processo de Comunicação Social no Brasil”.

Ângela Marinho: Graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará (1978) e em Direito pela Universidade de Fortaleza (1990) e especialização em Assessoria de Comunicação Social pela Universidade Estácio de Sá (2014). Atualmente é professora convidada da Universidade Estácio de Sá.

16h – Palestra “Ditadura de 64: direito à memória, à verdade e à justiça”. Palestrante: Adelaide Gonçalves, historiadora.

Adelaide Gonçalves: Doutora em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000). Pós-Doutoranda pelo Instituto de História e Teoria das Idéias, da Universidade de Coimbra. Professora Titular do Departamento de Historia da Universidade Federal do Ceará. Professora da Escola Nacional Florestan Fernandes do MST-Brasil.

Deixe uma resposta