A vigilância foi longe demais?

Posted on Updated on

O tema é amplo, recorrente há muitas décadas e até séculos. E o gigantismo persistente de todos os governos do Brasil, sejam municipais, estaduais ou federal, torna a abordagem essencial. Afinal, o que tem sido feito na prática e que se possa considerar uma evolução?

É difícil culpar apenas o governo Bolsonaro, mas é evidente o ímpeto fiscalizador dos últimos tempos, impactando desde o combate ao crime organizado como os sinais trocados do próprio governo sobre a Operação Lava Jato, ora a favor, ora contra – inclusive pela possível indicação política para a Procuradoria Geral da República (PGR).

Em momentos anteriores, o impulso punitivo contra as empresas responsáveis pela corrupção ajudou na diminuição de empregos e renda, e até das próprias empresas. Como escreveu Delfim Netto em sua coluna semanal na Folha de S.Paulo: “Poderíamos ter reduzido o seu custo social com uma oportuna e inteligente lei de leniência (o que não era tarefa da Lava Jato, mas do governo que ela expôs) que mantivesse as empresas funcionando com a expertise técnica que acumularam, que é patrimônio da nação” (FSP, 21/08/2019). Diminuir o número de Ministérios foi um primeiro passo, assim como a política de desestatização. Mas tem dado – ou vai dar – resultado? O que a população brasileira espera da Gestão Pública?

Esses são os temas para o debate de William Waack com seus convidados. O Painel WW vai reunir um jurista renomado com dois professores especializados em Administração Pública – uma da Unicamp e outro da FGV-RJ –, inclusive com passagens por Ministérios.

A próxima edição do Painel WW vai ao ar nesta quarta-feira, 28 de agosto de 2019, às 19:30.

Confirmados:

  • FRANCISCO GAETANI

É coordenador do Mestrado Profissionalizante da EBAPE da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro. Foi Secretário Executivo do Ministério do Meio Ambiente e Presidente da Escola Nacional de Administração Pública.

  • MILENA PAVAN SERAFIM

É Professora Doutora do curso de Administração Pública da Faculdade de Ciências Aplicadas e também dos Programas de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências humanas e Sociais e em Política Científica e Tecnológica – todos na UNICAMP, a Universidade Estadual de Campinas.  Trabalhou na gestão de programas do Ministério do Desenvolvimento Social (em 2005 e 2006) e como consultora PNUD no Ministério da Saúde (em 2005).

  • WALTER FANGANIELLO MAIEROVITCH.

Jurista, é desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo e professor de Direito Penal, Processual Penal e Penitenciário.

Deixe uma resposta