Existe idade certa para empreender?

Posted on Updated on

Na atualidade muito tem se falado de empreendedorismo. Já nas faculdades, onde os alunos ingressam cada vez mais cedo nas universidades, a disciplina já faz parte de muitos cursos da graduação. Isso quer dizer que a maioria dos empreendedores de sucesso começou cedo, correto? Errado. Segundo o professor e especialista em descomplicar a inovação, Marcelo Pimenta (foto), essas afirmações são crenças errôneas, que se cristalizaram ao longo do tempo.

 “Há inúmeros cases de sucesso de negócios criados por pessoas de idade avançada. John Pemberton, por exemplo, inventou a Coca-cola aos 55 anos. Henri Nestlé criou a conhecida farinha láctea aos 52. A KFC, famosa rede de restaurantes de fast-food estadunidense, que explora a antiga receita de frango frito do Kentucky, foi criada por Harland Sanders, quando este tinha 62 anos. Exemplos de que não há idade para se começar um novo negócio há inúmeros. Por isso insistirmos tanto nessa ideia: não existe idade certa para empreender”, argumenta.

Segundo Pimenta, a característica essencial do empreendedor é acreditar em si mesmo, se preparar, corrigir, aprender e continuar, mesmo sem experiências anteriores. Ele enfatiza que especialmente no momento atual, há espaço para novos modelos de negócios, já que as novas tecnologias e as novas maneiras de criar negócios estão em ascensão.

“Nunca é tarde para empreender. As tecnologias digitais e os novos jeitos de criar negócios baseado nas startups, nos mostram que é possível realizar um negócio, de uma loja a uma horta comunitária”, explica.

Um mercado para os maduros – As pesquisas focadas em entender a longevidade e o inevitável envelhecimento populacional apontam que nunca antes no planeta tivemos uma média etária tão elevada, e uma participação tão grande dos maduros (ou prateados) em relação ao total das populações.

“As pessoas vivem cada vez mais e têm cada vez menos filhos, em todos os países e a consequência óbvia disso tudo é o envelhecimento populacional. No mundo do marketing, que até hoje sempre priorizou nas suas simbologias o mito colorido da juventude, abrem-se muitas oportunidades para as empresas que souberem se comunicar com esse público e nichos de mercado que abrirem espaço para atuação dos maduros”, explica Alexander Correa Lima, professor da FGV e pesquisador.

Alexandre, que se prepara para publicação do seu segundo livro, esse com foco na Revolução Prateada, explica que o envelhecimento da população mundial e um espetacular aumento da longevidade se dá pelo consequente busca de qualidade de vida pelas pessoas.

“Não se trata de mais anos de vida, mas, sobretudo de mais vida nos anos! As pessoas na faixa etária dos maduros têm buscado faculdade, casam-se, viajam e empreendem. Esse é o cenário atual”, explica.

Workshop on-line gratuito – Nesta terça-feira, dia 26, ambos os palestrantes ministrarão um workshop on-line gratuito com o tema “Empreender na Revolução Prateada”. A discussão – palestra terá início às 18. Para participar é necessária uma inscrição prévia no site https://agoraeahora.com.br/empreender onde também há mais informações sobre o conteúdo.

Deixe uma resposta