Plataforma de jogos matemáticos é opção lúdica e educativa para alunos

Atividades on-line de matemática, planos de aula e planilhas

A plataforma de jogos matemáticos da Matific, utilizada atualmente na grade escolar de 7,5 mil colégios públicos e privados no Brasil, é uma alternativa lúdica de reforço à distância para alunos que estão de férias escolares, além de colaborar na redução dos impactos de aprendizagem aos estudantes menos favorecidos no País.

Crédito: Agência de Notícias do ParanáDesde março deste ano, a ferramenta é utilizada gratuitamente por cerca 3 milhões de alunos no Brasil, de 5 a 12 anos, para manterem os estudos durante a paralisação escolar, bem como beneficia mais de 40 mil professores que utilizam o sistema de aulas para suas turmas.

Os usuários contam com acervo completo de jogos digitais de matemática da empresa, com quase 7 milhões de atividades, desafios e exercícios já executados este ano. O sistema também está alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e aos principais livros didáticos no País.

Atualmente, a Matific possui parcerias de uso da plataforma em vários estados e municípios brasileiros, por meio de convênios assinados com os governos de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, e cidades como Osasco, Maceió, Santo André, Coruripe, Guarapuava, São Bernardo do Campo, Paulista e Porto Alegre, além do Distrito Federal.

Segundo Dennis Szyller, CEO da Matific Brasil, mesmo com a paralisação escolar, os alunos brasileiros continuam com as aulas regulares de matemática à distância sem nenhum tipo de prejuízo no calendário escolar. “As escolas publicas e privadas terão de lidar, até o fim do ano, com a questão da educação à distância. E, neste aspecto, plataformas como a nossa passam a ser uma grande aliada, no sentido de facilitar a relação aluno-professor, além de garantir que as crianças continuem aprendendo, tanto na rede pública quanto nos colégios privados”, comenta.

“Portanto, a tecnologia se tornou uma ferramenta imprescindível de professores e alunos durante a paralisação das escolas, pois permite ao docente interagir e acompanhar o desempenho de seus discentes mesmo de forma remota, enquanto seus alunos passam a ter mais autonomia no seu processo de aprendizagem”, acrescenta Szyller.

Deixe uma resposta