Apenas 35% das empresas estão preparadas para a retomada dos trabalhos

Coronavírus: para que servem as máscaras na pandemia? | Super

Levantamento da Vendrame Consultores aponta que de 9 mil negócios no Brasil, só 35% buscaram produtos e serviços voltados para a biossegurança dos colaboradores em meio a pandemia. Ou seja, 65% das empresas não estão seguindo a Portaria nº 20, publicada no Diário Oficial da União no dia 18 de junho de 2020, que estabelece todas as medidas a serem seguidas visando à prevenção, controle e mitigação dos riscos de transmissão da Covid-19 nos ambientes de trabalho, entre elas, a sanitização.

Em comparação com o segundo trimestre de 2019, abril, maio e junho deste ano representaram um crescimento de 15% na comercialização de serviços voltados para a segurança dos colaboradores. “Isto se deve aos novos produtos ofertados, com o objetivo de auxiliar o mercado a reduzir os impactos da pandemia em suas atividades”, afirma Antonio Carlos Vendrame, fundador da Vendrame Consultores.

Entre essas novidades, estão o Telemonitoramento (telemedicina de saúde ocupacional), planos de contingência, testes covid-19 e aparelhos para sanitização de ambientes, que utilizam ultravioleta para limpar todo o ar do ambiente e devolvê-lo livre de microrganismos, inclusive vírus. Desde o início da pandemia, maio foi o mês que mais se destacou em relação a alta nas vendas, pois segundo Vendrame, “havia uma grande expectativa de reabertura já em junho”.

Ainda de acordo com o levantamento, dentro do cenário atual, o investimento em medidas de biossegurança ainda deve crescer cerca de 25%, devido a abertura gradual de todas as atividades, chegando a 40% no total. Não à toa, São Paulo, o estado com o maior número de infectados no Brasil, lidera o ranking de busca pelos serviços, seguido por Goiás e Mato Grosso.

Deixe uma resposta