Projeto de eficiência energética garantirá à universidade redução de gastos e avanço sustentável

Iluminação Pública - Ruas e Avenidas de Itabira terão iluminação de LED -  NOVA 93FM

Dez mil lâmpadas tradicionais substituídas por iluminação LED, economia de 567,6 MWh/ano e avanços imensuráveis em termos de sustentabilidade, combate ao desperdício e preservação de recursos naturais. Com este resultado, o projeto da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), em Minas Gerais, demonstra a eficácia do investimento em eficiência energética e a importância da conscientização acerca dos efeitos da conservação de energia.

Para uma noção mais clara a respeito da economia gerada, vale considerar que 567,6 MWh/ano equivalem ao volume de energia necessário para manter funcionando, durante quase dois anos, a antiga iluminação do Campus Sete Lagoas (CSL) da instituição. Esta quantidade, com os novos equipamentos mais eficientes e duráveis, seria suficiente para que as lâmpadas de LED do CSL permanecessem ligadas por mais de quatro anos.

Este balanço da USFJ sobre o Projeto de Eficiência Energética implantado no campus da universidade foi apresentado em evento online, com a participação da comunidade acadêmica, do reitor Marcelo Pereira de Andrade, do presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) e da DEODE Inovação & Eficiência, Frederico Araújo, além do gerente de Eficiência Energética da Cemig Distribuição S.A., Ronaldo Lucas Queiroz.

Com foco na eficiência energética e na sustentabilidade, a iniciativa contou com aporte de R$ 1,085 milhão da Companhia Cemig Distribuição S.A. e foi realizada por meio da Chamada Pública 001/2019 do Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Concluídas neste ano, as atividades foram executadas pela DEODE em conjunto com a Divisão de Projetos e Obras, ligada à Pró-Reitoria de Administração.

“A nova iluminação da UFSJ trouxe diversos benefícios para a comunidade acadêmica. Estamos orgulhosos em concluir esta etapa e dispostos a participar de futuras chamadas públicas”, pontuou, na oportunidade, o reitor. Ele destacou ainda ações institucionais visando a diminuição do consumo de energia, desenvolvimento de projetos de construções mais sustentáveis e reuso de água. O diretor de Relações Institucionais e Comunicação da Cemig, Roberto Bastianetto, também participou do evento e enalteceu a relevância da iniciativa da UFSJ.

Impacto social

Para Frederico Araújo, mais que economia, projetos como o da USFJ promovem um impacto social fundamental para esta e as próximas gerações: “Iniciativas assim tem tido espaço em hospitais, presídios, escolas públicas, etc. Os maiores beneficiários são as pessoas de baixa renda e, num contexto geral, toda a sociedade, além do meio ambiente. Isso deveria ser levado para todos os nossos deputados e senadores, demonstrando a importância dos programas de P&D e eficiência energética para o futuro do País”.

“Com eficiência energética, todo o mercado, empresas, indústrias, órgãos públicos e pessoas são beneficiados. O consumo inteligente combate ao desperdício e evita investimentos em geração e distribuição e, consequentemente, aumentos tarifários”, afirmou. Ele também falou do desafio destes grandes projetos para as empresas de serviços de conservação de energia. “Na Abesco contamos com associadas aptas, com capacitação técnica de alta qualidade, e especialmente preparadas para oportunidades dessa proporção”, concluiu.

Deixe uma resposta