Empoderar para transformar: empresas realizam programa de inovação aberta com foco em alimentos

A Unilever, em parceria com a consultoria de inovação 1601, abriu o segundo semestre de 2020 com um convite bastante desafiador a seus colaboradores: criar soluções disruptivas para a categoria de alimentos. O Foodcamp, realizado em julho, foi mais uma forma de a multinacional mostrar a importância do trabalho colaborativo e da mentalidade de inovação como ferramenta de criação e resultados entre as equipes, independente do nível de senioridade e das áreas de atuação.

O projeto, 100% digital, teve seis etapas e abriu oportunidade de inscrição para todos os colaboradores da multinacional. Com duração de um mês, o Foodcamp premiou o melhor e mais inovador projeto de solução para os desafios da categoria de alimentos da Unilever. Das centenas de pessoas inscritas de toda a companhia, 32 colaboradores foram selecionados para ingressar no programa e divididos em oito equipes.

“Um ambiente colaborativo, aberto e que estimula a criatividade das pessoas é essencial para gerarmos soluções inovadoras. Ao abrirmos espaço para pessoas de quaisquer áreas e níveis hierárquicos trocarem conhecimento e gerarem ideias, criamos um ciclo virtuoso de aprendizado e desenvolvimento – ganham as pessoas, ganha a cultura e ganha o negócio”, conta Alexandra Gomes, Gerente de Transformação Digital e Inovação da Unilever

O vencedor foi escolhido por uma banca avaliadora, formada pelos sócios da consultoria 1601 (que facilitaram as aulas do programa, desenvolveram e cocriaram o Foodcamp), pelos executivos seniores da categoria de alimentos da Unilever, e pelos mentores da área de inovação interna da companhia. O time de profissionais de inovação assistiu a oito pitches dos grupos finalistas, que tinham que responder a dois desafios: um sobre o futuro da comida e outro sobre o futuro do negócio de alimentos. Depois de assistirem e analisarem as propostas, a banca elegeu o projeto Veggie Guru – um aplicativo de machine learning. Os responsáveis pelo projeto receberam como prêmio o workshop Digital Sprint, uma metodologia em formato 100% digital, criado e desenvolvido pela 1601, que preserva a abordagem do design thinking e adapta as ferramentas para o trabalho remoto.

O aplicativo vencedor do programa Foodcamp promete ajudar pessoas em transição de seus hábitos alimentares – os chamados flexitarianos: público que está deixando de comer proteína animal e adotando apenas proteínas vegetais em suas dietas. Ainda em estágio inicial, a ideia será desenvolvida e trabalhada pelo time da Unilever em um Digital Sprint.

“As metodologias e ferramentas estão ao nosso dispor para serem usadas, mas muitas vezes não liberamos tempo na agenda e não focamos nas pessoas. É isso que a Unilever está proporcionando, mais ação e menos previsão,” explica Eduardo Paraske, sócio da consultoria 1601.

Apesar de o programa ter apenas um vencedor, todas as ideias criadas pelos grupos serão consideradas dentro de uma priorização estratégica da companhia. “O mais importante sobre a inovação é empoderar os profissionais e fomentar experimentação de novas ideias e soluções. É muito mais sobre mentalidade e aprendizado do que um produto em si”, comenta Léo Brazão, também um dos sócios da consultoria 1601.

Deixe uma resposta