Indústria do Nordeste pode reduzir de 30% a 50% o gasto com energia

Em tempos de pandemia que asfixia as atividades econômicas, a sustentabilidade dos negócios passa pela redução de despesas. Entre os insumos que impactam fortemente nos custos de produção, está a energia elétrica. Algumas soluções no mercado, por outro lado, buscam justamente proporcionar às empresas corte no consumo e, consequentemente, baixar valores dispendidos com esse item.

São soluções as quais, por exemplo, começam a estar disponíveis no mercado nordestino, voltadas ao setor industrial da região. Com base em experiências em indústrias de outras partes do Brasil, há possibilidade de reduzir de 30% a 50% a conta de energia elétrica, dependendo do ramo e do perfil do empreendimento. 

Uma diminuição nessas proporções tem efeitos decisivos para a sustentabilidade financeira das empresas. Afinal, de acordo com cálculos Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), as despesas com energia elétrica representam para a indústria brasileira, em média, 40% dos gastos com produção.

EXEMPLOS

O enfrentamento dos custos com energia pode ser dar por dois caminhos. Um deles, a partir de decisões de ordem estratégica, do ponto de vista da gestão administrativa e financeira. Por exemplo, optando pela operação em faixas de horário possíveis de serem incluídas na chamada “tarifa branca” de energia (mais barata), ou mesmo adquirindo energia diretamente de empresas geradoras (no “mercado livre de energia”).

Pode se dar ainda por meio de investimentos em equipamentos ou soluções de ordem tecnológica. Renovar os motores – os mais novos têm maior eficiência – ou automatizar os processos contribuem para baixar o consumo de energia. Outro caminho recorrente é a aquisição de bancos de capacitores.

Deixe uma resposta