O consumidor está conectado, mas o mercado está pronto para vender online?

As compras pela internet se tornaram essenciais durante o isolamento social para evitar a transmissão do coronavírus. Quem aí, nos últimos quatro meses, não fez uma compra online ou usou os serviços de aplicativo? Para o especialista, Bruno Rafael Marioti, professor do curso de Gestão Comercial da EAD Unicesumar, o mercado está passando por uma reestruturação do comércio em geral, onde somente as empresas que souberem se reinventar estarão em situações menos desfavoráveis.

Segundo dados da 41º edição do Webshoppers – o mais amplo relatório sobre e-commerce do país, elaborado semestralmente, o e-commerce brasileiro ultrapassou a marca de R$60 bilhões em faturamento, atingindo 148 milhões de pedidos em 2020. Somente os quatro primeiros meses deste ano correspondem a 32% do resultado de todo o ano de 2019. Outro dado relevante, também apontado por Marioti, trata-se do indicador de notas eletrônicas divulgado pela Receita Federal. Desde março, as vendas online vêm sendo impulsionadas, somando em junho o total de R$670 milhões. Este é o melhor desempenho entre os meses de 2020, também superior ao mesmo período em 2019.

Estes números confirmam que estamos vivendo profundas mudanças de comportamento do consumidor. De necessidades básicas, como alimentação, bem-estar e educação, até o entretenimento com lives de cantores famosos ou passeios virtuais a museus e parques, nos levam a crer que as experiências de vida estão sendo ressignificadas.

Com o comércio não é diferente. As pessoas estão comprando mais pela internet e as empresas precisam se adaptar para garantir um “lugar ao sol”, ou melhor, na internet. O problema é que nem todas estão preparadas digitalmente para essa mudança. “Empresas que já possuíam uma cultura inovativa e digitalizada estão saindo com vantagens. Entretanto, para grande parte dos médios e pequenos negócios, essa nova obrigação se apresenta como um grande desafio, pois precisam se adaptar para sobreviver em um curto prazo de tempo, garantindo uma presença digital ativa e ainda assimilar que este deve ser o modelo de atuação que promoverá a perenidade do negócio”, analisa Marioti.

Para o professor, as palavras de ordem do momento são: estratégia, criatividade e identificação de oportunidades. Assim, ele deixa 5 dicas para alavancar as vendas pela internet:

1)    Não tem loja virtual? Marketplace é uma boa saída

Conhecido também como shopping center virtual, o marketplace é considerado vantajoso para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, facilitando a procura pelo melhor produto e preço. Além disso, é uma forma menos custosa para se estabelecer no mundo virtual, levando em conta que reduzir custos, neste momento, é uma necessidade principalmente para pequenos negócios.

2)    Invista em anúncios online

O investimento em anúncios online, como forma de ser visto e lembrado, também pode gerar vendas. Para isso, estar presente nas principais redes sociais, utilizar de ferramentas como o Google Ads e Google Meu Negócio, podem trazer resultados satisfatórios, desde que bem monitorados e planejados.

3)    Cuide da experiência do seu cliente

Cliente satisfeito pode ser um influenciador da sua marca. Preze pela boa experiência do cliente nestes novos canais, assim como o atendimento e a entrega da compra da maneira correta. Para isso, adote estratégias de marketing de relacionamento e não vá deixar seu cliente falando sozinho nas redes sociais, ok? Além destas ações, detalhes pequenos, como o cuidado com a embalagem da entrega e a formulação de promoções que demonstram aos clientes a sensação de um tratamento exclusivo – como um simples bilhete escrito à mão –

são estratégias favoráveis para fidelizar e engajar as vendas.

4)    Qualificação profissional é investimento

Já pensou em qualificar-se e aprender a lidar com todas essas mudanças de maneira sustentável? A educação a distância da Unicesumar oferece diversos cursos de graduação e pós-graduação para uma formação completa. Confira alguns cursos: EmpreendedorismoGestão ComercialMarketingpós-graduação em Marketing DigitalCanais de Marketing e Inovação.

5)    Diante da crise, enxergue as oportunidades

Estar atento ao que a crise está nos ensinando, entendendo que as mudanças atuais refletirão em novos hábitos de consumo, pode representar oportunidades que impulsionem o comércio. Este pode ser o momento para inovar e abraçar oportunidades. Não se esqueça, as ações que fizermos agora, bem como o nível de conexão que estabelecermos com o cliente neste momento, refletirá na imagem de marca, mesmo após a crise, podendo representar importantes diferenciais competitivos.

Deixe uma resposta