Universitários desenvolvem carros movidos a hidrogênio em desafio de tecnologia

A Sae Brasil lança às universidades brasileiras o Sae Brasil & Ballad Student H2Challenge, primeiro desafio estudantil no País para a construção de veículos movidos a hidrogênio. A iniciativa conta com 13 equipes inscritas de 12 instituições de ensino superior dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Bahia, e tem o apoio da canadense Ballard Power Systems, líder nessa tecnologia com operações na Europa, Estados Unidos e China.

Nessa primeira etapa foram realizados nove cursos de capacitação para os alunos de engenharia sobre os temas da mobilidade com hidrogênio, e incentivada a interação entre profissionais da academia e da indústria. 

Segundo o engenheiro Daniel Lopes, mentor em Tecnologia e Inovação para Mobilidade com Hidrogênio da Sae Brasil, o objetivo é transferir aos estudantes conhecimento e experiência sobre os sistemas à célula de combustível para aplicação automotiva.  “O Sae H2Challenge é uma iniciativa pioneira na qual oferecemos aos estudantes a oportunidade de aprender e trabalhar com essa tecnologia de ponta ainda pouco difundida no Brasil, além de interagir com engenheiros especialistas da indústria nacional e internacional”, diz Lopes.

Apoio – Especialista em energia limpa, desenvolvedora e fabricante de células a combustível, a Ballard doou10 stacks (células a combustível), para aplicação em veículos do tipo Baja e Fórmula SAE. O material será entregue para as 10 equipes selecionadas nas etapas digitais, que participarão da fase final prevista para novembro próximo, na BW Expo Summit Digital 2020, em São Paulo.

O projeto recebeu ainda a adesão da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) na forma de cooperação para a construção dos veículos, por meio da adoção das universidades finalistas pelas empresas associadas à entidade.

Etapas – O desafio compreende etapas digitais classificatórias nas quais serão avaliados: Aspectos técnicos e financeiros – especificações do veículo proposto, detalhes do desempenho do powertrain híbrido elétrico com célula a combustível, projeto do sistema segurança para o hidrogênio no veículo e protocolos de segurança adotados para manuseio do hidrogênio; Aspectos gerais – prontidão e organização da equipe e participação nos treinamentos oferecidos; Design – conceito de shape design e color &trim (estilo e design visual do veículo) a ser apresentado com o tema ″Hidrogênio para a Mobilidade Brasileira” e Apresentação do projeto – em sala virtual, projeto completo com desenvolvimento do powertrain a hidrogênio e justificativa do conceito de shape design e color & trim.

A avaliação dos resultados das equipes será feita por engenheiros da Sae Brasil & Ballad Student H2Challenge, profissionais da indústria automotiva brasileira, especialistas nos temas do desafio e com experiência acumulada em competições automotivas dos programas estudantis da instituição.

“A Sae Brasil colabora em preparar estudantes da mobilidade a ingressarem no mercado de trabalho aptos a enfrentar os desafios profissionais. Agora, por meio do ae Brasil & Ballad Student H2Challenge, já a partir de 2020, cerca de 150 estudantes de engenharia terão conhecimento teórico-prático nessa tecnologia focada no desenvolvimento sustentável”, aponta Camilo Adas, presidente da Sae Brasil.

Equipes inscritas

Sae Brasil & Ballad Student H2Challenge

Baja UFABC – Universidade Federal do ABC (SP)

B’Energy – Centro Universitário Facens (SP)

Cheetah E-racing – Universidade Federal de Itajubá (MG)

DEDA Team – Centro Universitário Facens (SP)

EEP Baja- Escola de Engenharia de Piracicaba (SP)

Fórmula FEI H– Centro Universitário FEI (SP)

Mack Gear – Instituto Presbiteriano Mackenzie (SP)

Mauá Racing – Instituto Mauá de Tecnologia (SP)

Minerva Baja – Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ)

Tec H2 Racing – Senai Cimatec (BA)

Tesla UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais (MG)

UFPR Fórmula SAE – Universidade Federal do Paraná (PR)

Unicamp Baja SAE – Universidade Estadual de Campinas (SP)

Deixe uma resposta