Dólar a R$ 5,60 – Especialistas apontam investimentos para proteção

 
A moeda comercial norte-americana apresentou uma grande retomada de força a partir do início desta semana, obtendo sua maior valorização desde o mês de maio. Exibindo certo aumento após a derrubada do veto do presidente em relação ao aumento salarial dos funcionários públicos do próxima ano, o dólar voltou a operar em alta, subindo quase 1,67%, com máxima de R$ 5,67. Além disso, os investidores seguem atentos, voltando sua atenção para os tópicos discutidos na reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), Banco Central dos EUA, entre os quais citaram uma preocupação em relação ao real brasileiro, que desvalorizou cerca de 5% se comparado ao dólar, em meio aos contínuos cortes nas taxas de juros pelo Banco Central do Brasil.

De acordo com Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da Nova Futura Investimentos, o dólar a esse preço pode indicar um problema ou uma solução, pois reflete a situação do Brasil com o resto do mundo. “O mercado continua nos vendo como um porto inseguro. De ontem para hoje, o governo teve mais uma derrota para o Senado, que derrubou o veto do presidente em relação ao aumento de salário do funcionalismo público. Na opinião de Paulo Guedes, este era um tópico fundamental para garantir o equilíbrio fiscal do ano que vem, porque economizaria por volta de R$ 130 bilhões. No entanto, o executivo foi derrubado de novo, mostrando uma grave falta de atenção. Agora, eles precisam apresentar para o mercado e para a sociedade comprometida com a política de estabilidade fiscal que estão atentos a qualquer movimento, colocando suas lideranças no Senado o tempo todo. Se uma simples comida de bola como essa impactou em 0,5% a Bolsa, imagina quando vier a reforma administrativa e tributária”, afirma.  

Para Daniela Casabona, diretora da FB Wealth, o dólar já se encontra em um patamar bem elevado. “Acredito que o pacote econômico americano poderá aliviar um pouco o estresse da nossa moeda, porém, ainda vamos ver o câmbio elevado por um longo período. Para se proteger dessa alta, o investidor deve buscar ativos atrelados a moeda e dolarizar parte do seu patrimônio como diversificação. Hoje, temos muitos investimentos rentáveis no mercado dos EUA, um deles é a nota estruturada USD Phoenix Mem Decreasing One Star, que está pagando até 10% do valor investido e é lançada com prazos de entrada e duração de alguns anos, geralmente dois. Aqui no Brasil, somente os fundos cambiais podem ser protegidos, mas ainda sim o investidor precisa saber que só está investindo para acompanhar a alta ou baixa rentabilidade do dólar e não protegendo seu poder de compra contra sua desvalorização”, completa.

Segundo o financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, Fabrizio Gueratto, é uma tendência do Ministro Paulo Guedes, desde o início do governo, deixar o dólar valorizado sobre o real. principalmente por contas das exportações e para deixar a indústria brasileira mais competitiva. “Na verdade, um bom investimento que podemos ter são os de hedges, que utilizam uma estratégia de proteção contra grandes variações de preços em que é fixado um valor para a mercadoria, ação, título ou taxa cambial desde o momento da negociação, fazendo com que o preço seja cumprido no momento da entrega ou efetivação da venda. Não temos como prever o que vai acontecer com a moeda americana, com a economia global e internacional. Então, toda vez que o dólar sobe, principalmente, esta ferramenta é fundamental dentro de uma carteira de renda variável”, explica.

Deixe uma resposta