Plataforma auxilia controle de estoque e gerencia demanda por equipamentos para tratamento da #covid19

Coronavírus: Governo entrega EPIs para profissionais da rede ...

Já está disponível gratuitamente para hospitais e postos de saúde públicos e particulares de todo o Brasil o MedsCtrl, um sistema inteligente de gestão de equipamentos de proteção individual, medicamentos e outros suprimentos essenciais para tratamento da Covid-19. Trata-se do primeiro aplicativo transformado em produto após ter sido desenvolvido durante a maratona virtual de programação HackaTrouble, desafio organizado pela Sae Brasil e Centro Paula Souza (CPS) com apoio do Sebrae-SP e Amazon Web Services entre outras empresas.

Além de controlar o estoque, o sistema conta com recursos tecnológicos para gerenciar a utilização dos materiais, indicando ciclo de vida e tempo estimado para reposição. É possível ainda cadastrar fornecedores, acompanhar processos de compra, fazer inventário de equipamentos com impressão de etiquetas em QRcode, consultar histórico de manutenções e solicitar chamados de assistência técnica.

“A ideia é oferecer um meio interativo e de fácil acesso com diferentes ferramentas para que os profissionais de saúde não sejam surpreendidos com a falta de algum item fundamental. Em uma emergência médica, cada minuto é precioso. Por isso, os equipamentos devem estar sempre disponíveis e em condições de uso”, explica Hilton Ricardo de Sousa, líder da equipe e um dos idealizadores da solução que pode ser utilizada sem custo durante o período de seis meses.

Também integram o grupo Daniel da Silva, Gustavo de Melo Corrente, Milton Sérgio de Oliveira Júnior e Silvio Carvalho de Souza. A plataforma MedSCtrl pode ser acessada pelo site medsctrl.com.br.

Virada tecnológica

O HackaTrouble foi realizado em abril e reuniu mais de 400 participantes empenhados em propor, no decorrer de 48 horas ininterruptas, soluções tecnológicas para enfrentar desafios impostos pelo novo coronavírus nas áreas de saúde, mobilidade, negócios e social. A maratona envolveu estudantes e ex-alunos de Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais, bem como de outras instituições, além de educadores, programadores, desenvolvedores, empreendedores, designers e outros profissionais de diferentes áreas de conhecimento.

De acordo com o agente regional da Assessoria de Inovação do Centro Paula Souza (Inova CPS) e coordenador do Centro de Inovação da Fatec São Paulo (iCenter), Antonio Celso Duarte, o Hacktrouble revelou um alto nível de engajamento entre os participantes. “É muito gratificante poder apresentar em tempo oportuno os primeiros resultados de um trabalho que, além de envolver muita dedicação, talento e criatividade, mostrou o quanto o espírito de solidariedade é capaz de fazer a diferença diante de uma situação de calamidade”, afirma.

“Partimos do anseio de fazer uma maratona tecnológica para o fomento de soluções inovadoras na mobilidade a fim de mitigar os efeitos da pandemia do coronavírus e amadurecemos a ideia para buscar uma causa maior, que viesse a cooperar com a sociedade também em outras áreas críticas”, explica o engenheiro Thiago Negretti, mentor de Tecnologia e Inovação para Transformação Digital da Sae Brasil.

Deixe uma resposta