Deputado destaca preocupação com fechamento de empresas em Sergipe

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania, na foto abaixo) apontou na Assembleia Legislativa de Sergipe o período pós-pandemia de recuperação da economia. E destacou números revelados pela Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe) sobre o fechamento de 950 lojas.

Para Georgeo o momento é de preocupação com a saúde e em salvar vidas, mas também é preciso focar nos “CNPJs”. “Chega a informação agora da Fecomércio que Sergipe perdeu 950 lojas no segundo trimestre deste ano. Pessoas encerraram suas atividades e, agora, com a retomada dos empregos, no pós-pandemia, vai ser muito importante a participação do governo do Estado, da gente encontrar formas de ajudar”.

Em seguida, o deputado pontuou que outras Assembleias Legislativas do País estão em condição mais avançada que a de Sergipe e entende que, por se tratar de um momento de transição, há uma preocupação que mais empresas passem por dificuldades em um cenário difícil que está porvir. “O próprio governo federal tem suas limitações e, em um determinado momento, os auxílios e ajudas cessarão. E nós temos que verificar como o governo do Estado está se preparando”.

Georgeo alertou que o cenário de mais crise e de que a situação ainda pode ficar pior, com o comércio e outros setores da economia já sinalizando essa preocupação. “Temos que buscar meios e alternativas para evitar que novas empresas sejam fechadas, que a gente perca mais postos de trabalho. Esperamos que o governo também não queira aumentar a alíquota de tributos no próximo ano. Seria inaceitável pensar em aumentar tributos aqui no Estado”.

Cooperativas

Georgeo também saiu em defesa das Cooperativas de Transporte que vinham fazendo refis antes da crise e que, durante a pandemia, com o fechamento do comércio e dificuldade de locomoção, ficaram de três ou quatro meses no “vermelho”, tendo que cumprir com suas obrigações e pagamentos de impostos, além dos refis. “Estamos fazendo um apelo ao Secretário de Estado da Fazenda sobre informações a respeito de como se comportou o refis nesse momento de pandemia, quando essas pessoas, também tiveram que honrar seus compromissos com os salários de seus trabalhadores”.

Deixe uma resposta