Startup de tecnologia em saúde inova com tratamentos digitais durante a pandemia

Num momento em que se fala tanto em digitalização dos negócios e preocupação com a saúde, a Nilo aparece como um case. Uma startup que já nasceu 100% digital e com o propósito de cuidar da saúde das pessoas. A clínica multidisciplinar digital é especializada no público acima de 50 anos e oferece serviços de atenção primária e secundária para os pacientes. 

A startup de tecnologia em saúde foi fundada em janeiro deste ano, com início da atuação em plena pandemia. A equipe da Nilo é composta por médicos, enfermeiros, psicólogos e gerontólogos com especialização na faixa etária atendida e que passaram por instituições renomadas, como a a Faculdade de Medicina da USP, Hospital Sirio-Libanês, Hospital Albert Einstein e outros grandes nomes. 

Todo o processo é feito pelo WhatsApp, canal de comunicação mais utilizado pelo público 50+. Após uma avaliação ampla de sua saúde e frente aos aspectos que são mais importantes para cada paciente, um plano único é criado para ajudar o paciente a cuidar da sua saúde. Os pacientes podem escolher tanto planos de envelhecimento saudável e de saúde mental como planos focados em questões de saúde física, como doenças crônicas. A partir desse primeiro contato, o paciente passa a ter interações periódicas com seu time de saúde tanto pelo Whatsapp como em teleconsultas feitas em outra plataforma digital, para manter a segurança de dados. 

A Nilo se coloca à disposição dos pacientes para enviarem mensagens e dúvidas a qualquer hora, mantendo o contato mais próximo e humanizado possível. “A gente deixa um médico responsável por cada pessoa. Junto a uma equipe, ele faz um acompanhamento frequente e eficiente dos pacientes, com o histórico sempre em mãos (prontuário eletrônico atualizado), evitando a repetição de informações a cada consulta”, explica Victor Marcondes de Oliveira, CEO da empresa. 

O serviço da clínica será via parceria com alguns convênios e hospitais, ainda em andamento, além de novas formas de atuação em um futuro breve. “A ideia da Nilo como um todo é que esse tipo de saúde interdisciplinar vire o médico de referência desse paciente, como aquele de família de antigamente. Aquele que faz a prescrição de remédios, pedido de exame ou até que direcione a pessoa a um profissional especializado, se for o caso”, explica Victor. 

A startup recebeu um investimento de R$ 8 milhões de fundos como Canary e Maya Capital no fim de abril, época em que começou suas operações. Nesse período de pandemia, a primeira consulta é gratuita para todos que tiverem demandas de saúde, mesmo aqueles que não têm convênio médico.

Deixe uma resposta