Empresas iniciam testes de rede 5G em Pindamonhangaba (SP) e têm parceria do universidade paraibana

A Americanet, operadora de telecomunicações e conectividade no Brasil, anunciou, em parceria com a Nokia, o lançamento dos testes iniciais com a tecnologia 5G, em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo. A empresa obteve junto à Anatel a licença em caráter de teste e pesquisa para as experimentações na cidade, utilizando as faixas de 3,5 e 26 GHz (milimeter wave).

De acordo com Lincoln Oliveira, CEO da Americanet, a escolha da cidade Pindamonhangaba se deveu à forte presença estratégica do município em diversos setores que podem se beneficiar com a aplicação do 5G. “Pindamonhangaba está localizada no Vale do Paraíba, uma região estratégica, do ponto de vista de logística e de negócios com alto poder de investimento, onde encontramos segmentos como o industrial, comércio e varejo, residencial e de segurança pública. Já estamos presentes na região e iremos fomentar o desenvolvimento de novos negócios com o incremento do 5G. Será uma ótima oportunidade para mostrar o funcionamento da nova tecnologia na prática e buscar possíveis upgrades para a aplicação em larga escala”, afirma o CEO da Americanet.

Todos esses propósitos serão concretizados em um Showcase, promovido no dia 26 de outubro, pela Americanet e a Nokia, que irá fornecer toda a infraestrutura e equipamentos necessários para conduzir os experimentos em diversas aplicações. Um dos dispositivos da Nokia em utilização é o roteador Nokia FastMile 5G, gateway que oferece acessos de banda larga para residências e pequenas empresas com aplicativos sem fios fixos (FWA – Fixed Wireless Access).

“Com a ativação dos testes de 5G fim a fim, em Pindamonhangaba, a Nokia reitera seu compromisso com o desenvolvimento do ecossistema de serviços no Brasil. É importante que todas as empresas participem ativamente das discussões e se capacitem no potencial de 5G, para promover desde já a tecnologia e novos modelos de negócio que melhorem a vida das pessoas e impulsionem o desenvolvimento, fora dos grandes centros urbanos. A parceria com a Americanet vem para demostrar o potencial de 5G como uma plataforma de novos serviços digitais, com oportunidades no futuro bem próximo”, destaca Luiz Tonisi, Head da Nokia Brasil.

ShowCase: experiências em diversas aplicações

Dentre as demonstrações, destacam-se as aplicações desenvolvidas pelas empresas parceiras: Universidade Federal de Campina Grande e seu Laboratório Virtus, com orquestração de vídeo aplicada à segurança pública, realidade aumentada e inferência automática, desenvolvidas sob a tecnologia 5G e combinadas com computação de borda; a Neo Vision, com a exemplificação de como o 5G pode melhorar  o serviço de inspeção industrial com utilização de drones; e o SENAI-SP, que mostrará como a digitalização das indústrias, também conhecida como Indústria 4.0, pode aumentar a produtividade de vários setores, incluindo o de manufatura.

Já no âmbito de testes voltados ao ao consumidor, a Americanet e a Nokia apresentam as aplicações de 5G Cloud Gaming, que podem democratizar o mercado de games no Brasil, e a Casa Conectada, a qual exibe como o 5G irá ampliar, de forma exponencial, o Acesso Fixo sem Fio (FWA), outro grande avanço que a nova tecnologia irá potencializar, via rede móvel. Também apoiam esta ação as empresas Qualcomm, Motorola, ASKEY, My Business, Keysight Technologies e Ookla Speedtest

“A evolução na qualidade das tecnologias de comunicação exige, cada vez mais, esforços meticulosos para democratizar e integrar os usuários de diferentes locais. A ideia desse Encontro é oferecer experiências relacionadas à inovação e competitividade da Americanet e a demonstração do 5G vai ao encontro dessa estratégia. As pessoas poderão conhecer o potencial da nova tecnologia e enxergar a capacidade que as PPPs podem agregar para democratizar o seu acesso em todo o país”, explica o CEO da Americanet.

O executivo da Americanet também conta que a operadora pretende levar a experiência da tecnologia 5G para 25 residências do município de Pindamonhangaba, que irão usufruir da sua aplicação por cerca de dois meses. Neste período, a Americanet fará um monitoramento contínuo para estudar os benefícios, buscar melhorias e entender alguns dos caminhos a serem explorados pelas telecons. “Vamos compilar e disponibilizar esses dados para que qualquer provedor tenha acesso e possa utilizá-los a fim de construir um plano de negócios mais assertivo para atender a sua região, assim que os espectros da nova geração forem liberados”, finaliza Oliveira.

Deixe uma resposta