Artesanato cearense ganha destaque nas vitrines do “Janelas #CasaCor”

Fortaleza recebe, à beira-mar, o Janelas CasaCor. Expostas em contêineres estilizados que exibem o trabalho de arquitetos e designeres cearenses, peças de arte em cores, texturas e formas de 55 artesãos cearenses saltam aos olhos de quem passeia pela orla da cidade. A exposição chega aos espaços por meio da Central de Artesanato do Ceará (CeArt), equipamento do Governo do Ceará, administrado pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS). A mostra ocorre de 25 de outubro a 25 de novembro, na Praia do Mucuripe.

Neste ano, devido à pandemia da covid-19, a mostra se reinventa e apresenta um novo formato de exposição. Ao ar livre, com vista para o mar, a população pode conferir os trabalhos nos 13 contêineres dispostos na orla. Os ambientes são decorados por arquitetos que utilizam o artesanato cearense como fonte de inspiração para suas criações.

Estão lá da arte popular do Cariri, com peças como o trançado de palha de milho de Juazeiro, à tecelagem de Mucambo, passando pelas cerâmicas de Ipu, Viçosa e Cascavel, pelos bordados de Maranguape e Fortaleza, pela renda de labirinto de Aracati e pela palha da carnaúba de Cabreiro.

“O artesanato do Ceará vem ganhando novos espaços para comercialização e exposição e essas novas oportunidades geram renda para os nossos artesãos. Recentemente foi inaugurada a loja colaborativa Birds, no Jardins Open Mall, e, no próximo mês, teremos uma nova loja no Shopping Aldeota, além da realização da Feirart, que acontece no mesmo local. E agora estará presente na Janelas Casa Cor mais um espaço para divulgar o nosso legítimo artesanato cearense”, ressaltou a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana.

“Os participantes da mostra foram convidados a selecionar peças comercializadas na CeArt. Ficamos muito felizes em ver que praticamente todos os espaços têm o nosso artesanato. Quem visitar o Janelas Casa Cor vai conferir como nosso artesanato dialoga com projetos luxuosos e pode comprar os produtos expostos ou outros nos nossos espaços de comercialização”, destaca a titular da SPS, Socorro França

A arquiteta Brenda Rolim, que assina o espaço Cabana ao Vento, conta que criou um espaço de morada provisória, que deve crescer pós-pandemia. “Neste espaço usamos vasos em argila com desenhos de renda, bolsas cestos no trançado da carnaúba”, conta.

“Nossa ideia é levar ao público produtos que refletem nossas expressões artísticas com um toque de contemporaneidade. Somos um povo com uma cultura muito rica, cheia de expressões e precisamos reverberar tudo isso. Agora, temos a oportunidade de levar a um número maior de pessoas parte de um trabalho autoral que há anos é desenvolvido em nosso Estado, fruto de inspirações baseadas em vivências regionais, na ancestralidade indígena e no folclore brasileiro”, destaca a artesã, Armênia Rocha.

Os ambientes poderão ser visto pessoalmente, cumprindo as regras saúde, segurança e distanciamento social; e em visitas virtuais pelo site janelascasacor.com. Interativo e dinâmico, o site oferecerá o tour virtual de cada projeto, no qual será possível enxergar, de maneira minuciosa, todos os ambientes. QR codes estão disponíveis para que cada espaço possa ser visitado virtualmente e ainda com a opção de market place, acesso a links digitais de cada fornecedor com os produtos presentes no local.

Deixe uma resposta