Centec leva conhecimento a mais de 6 mil cearenses de 148 municípios em plena pandemia

A pandemia da covid-19 impôs numerosos desafios a serem vencidos pelos cearenses. Logo nos primeiros meses do isolamento social, os profissionais do Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec) tomaram para si a responsabilidade de continuar ofertando qualificação profissional aos jovens e adultos em busca do primeiro emprego ou de uma recolocação no mercado de trabalho. 

Após as fases de planejamento e capacitação de professores e instrutores, o Centec ofertou, nos meses de junho a outubro, 6.918 vagas em cursos gratuitos de Formação Inicial e Continuada por meio do ensino remoto. Foram preparados 20 cursos oferecidos pelos Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) que são as unidades do Centec localizadas em 29 municípios. Porém, como as aulas aconteceram pela internet, foi possível alcançar pessoas de 148 cidades, cerca de 80% do território cearense. 

Todas as ações só foram possíveis graças a uma forte parceria do Centec com o Governo do Ceará, através da Secretaria da Ciência, Tecnológica e Educação Superior (Secitece). O presidente do Centec, Silas Alencar, afirma se sentir honrado em poder oferecer, aos cearenses, oportunidades e acesso a novos conhecimentos. “É perceptível que a situação no nosso Estado está bem melhor, o que não é motivo para baixarmos a guarda, mas nos dá a alegria de saber que estamos no caminho certo. Foi um momento de crise muito difícil, em que pessoas perderam empregos, suas rendas, e que famílias tiveram que buscar formas de se reinventar. E fico honrado ao saber que, com os nossos cursos, pudemos contribuir de alguma forma para melhorar as condições de vida do nosso povo”, agradece Silas.

O diretor de Extensão Tecnológica e Inovação do Centec, Hermínio Lima, que é responsável por gerenciar os CVTs, revela que devido ao amplo alcance das redes sociais, pessoas de outros Estados desejam participar das formações. “Através do ensino remoto emergencial, conseguimos abrir e ampliar as possibilidades de capacitação profissional e levar conhecimento aos lares dos cearenses, contribuindo para a geração de emprego e renda”, comemora ele.

Cursos ofertados

Uma grande equipe com mais de 100 pessoas, formada por coordenadores,  pedagogos, técnicos e professores da instituição, preparou 20 cursos remotos com carga horária que variam de 20 a 40 horas aulas. As vagas são divulgadas sempre às terças e quartas-feiras em www.centec.org.br

As capacitações são voltadas, preferencialmente, para pessoas que estejam em situação de vulnerabilidade socioeconômica, mas é não é prática excluir um aluno por não fazer parte do perfil desejado, pois o objetivo maior é de promover a inclusão e oferecer capacitação gratuita à população cearense. Para assistir às aulas, o aluno precisa ter um computador, notebook ou celular com acesso à internet.

O professor Kelber Maia já tem 20 anos de Centec, participou do processo de elaboração de algumas das formações e é docente das turmas de “Técnicas do assistente administrativo”. Ele relata que o ensino remoto tem sido uma experiência desafiadora, mas gratificante. “Um dos maiores desafios foi me adaptar às plataformas do Google, o Meet e o Classroom, mas hoje ele já foi superado. O que me deixa mais feliz é o retorno, os depoimentos que recebemos dos alunos. De que o nosso ensino é de qualidade e está preenchendo as expectativas. Uma aluna me disse que aprendeu com o nosso curso mais do que na faculdade e isso me deixa muito feliz. Além disso, a integração e a comunicação, apesar de não estamos juntos fisicamente, também têm sido perfeitas, com as ferramentas de chat, câmera, e-mails. Tudo isso tem facilitado muito nosso trabalho, e está sendo, agora, uma experiência maravilhosa”, disse Kelber.

Para Joselito Sousa, que mora no bairro Passaré, em Fortaleza, participar de um curso remoto durante o isolamento social o ajudou durante o tratamento para depressão. “Esse período de pandemia foi difícil para todo mundo e, no meu caso, que faço tratamento para depressão, participar do curso de assistente administrativo me ajudou muito porque pude conversar com outras pessoas, até de outras cidades, foi uma interação bem legal com eles e com a professora. Foi muito bom absorver novos aprendizados, me deu a expectativa de dias melhores, de que tudo passe logo e normalize. Só tenho agradecer porque esse período estudante que me ajudou a amenizar na minha situação”, disse.

Já Andrea Alencar, de Jucás, defende que esta capacitação a ajudou a vencer a timidez e a conseguir uma vaga no mercado de trabalho. “O curso me ajudou bastante na questão da minha timidez, tinha vergonha de falar em público e isso me gerava dificuldade no atendimento. Graças ao curso eu aprendi bastante não só sobre atendimento, mas também sobre vendas. Depois que eu conclui, consegui um emprego, agora sou vendedora em uma ótica na minha cidade e agradeço muito porque esse curso me ajudou a vencer minha timidez, agora consigo entrar em contato com o cliente de uma forma que passa segurança, de que eu sei o que estou fazendo, e sobre o produto que estou oferecendo”, agradece.

Deixe uma resposta